7 dicas de como prevenir o aparecimento de pulgas

Saúde

As pulgas são um dos parasitas mais frequentemente encontrados nos cães e gatos. A sua prevenção é muito importante uma vez que estas podem transmitir doenças ao seu animal de estimação.

cão

Dica número 1: Utilização de pipetas que tenham ação contra pulgas.

Existem diferentes produtos no mercado com eficácia mensal, devendo por isso ser aplicados todos os meses. A sua aplicação deve ser feita diretamente na pele, na região do dorso do animal, afastando o pêlo para que o contacto com a pele seja mais eficiente e colocando o produto em vários pontos. Alguns exemplos: Advantage®, Advantix® (só pode ser utilizado em cães, é toxico para gatos), Advocate®.

 

Dica número 2: Utilização de compridos com ação contra pulgas.

Existem vários produtos com duração de eficácia entre 1 (ex: Nexgard®) a 3 (ex: Bravecto®) meses. Tem sido demonstrada uma melhor eficácia no combate às pulgas através da utilização dos comprimidos em comparação com os outros métodos.

 

Dica número 3: Utilização de coleiras com ação contra pulgas.

Têm a vantagem de ter uma longa duração que vai entre 4 (ex: Scalibor®) a 8 (ex: Seresto®) meses. A sua eficácia contra as pulgas não é a melhor em comparação com os outros métodos, uma vez que conferem uma proteção maior na zona da cabeça, orelhas e pescoço, deixando o resto do corpo mais exposto.

Veja aqui um artigo mais aprofundado sobre a temática abordada nas 3 primeiras dicas.

 

Dica número 4: lavar com frequência os materiais onde o cão costuma passar mais tempo.

As mantas, camas, tapetes e brinquedos da zona onde o cão passa mais horas (por exemplo onde dorme), devem ser lavados regularmente, de preferência a uma temperatura elevada (mais de 60 0 ). Deve por isso optar por materiais facilmente laváveis e que suportem temperaturas elevadas. Estes materiais desenvolvem muitas vezes um ambiente propício ao desenvolvimento de ovos de pulga e podem ser transportados por nós, por exemplo, na sola dos nossos sapatos ou serem produzidos por pulgas adultas que estejam no cão.

 

Dica número 5: aspirar a casa com frequência, em especial as zonas que o cão tem acesso.

Ajuda a eliminar possíveis ovos de pulga que possam estar no ambiente. Em casos mais graves de infestações por pulgas é necessário utilização de produtos adequados que podem ser utilizados no ambiente (ao mesmo tempo que o cão também é tratado) ou, em casos mais extremos, recorrer a empresas especilizadas em desinfestação.

 

Dica número 6: banho e escovagem do cão, principalmente nos “picos” de aparecimento de pulgas (primavera e outono).

O banho (com um champô normal ou adequado à eliminação de pulgas) e a
escovagem ajudam melhor a perceber se o cão está ou não livre de pulgas e a eliminar as que estejam presentes. Quando são utilizadas as pipetas como desparasitante externo, não deve dar banho nos dias anteriores nem nos seguintes a colocar a pipeta para que o seu efeito seja alcançado com sucesso.

 

Dica número 7: manter desparasitados todos os animais que partilham o mesmo espaço.

Mesmo que tenha um gato que está sempre dentro de casa, este pode na mesma vir a ter pulgas. Tal como foi referido numa dica anterior, podemos levar ovos de pulgas para dentro de casa nos sapatos ou, se houver outros animais com acesso à rua, podem estes servir de vetores. No caso de ter animais que tenham alergia à picada da pulga, é ainda mais importante manter todos os coabitantes desparasitados regularmente, uma vez que nestes casos, a mordida de apenas uma pulga pode desencadear o quadro alérgico.

 

Inês Millet Barros
Médica Veterinária de Animais de Companhia

Planos Barkyn

Crie o seu plano personalizado Barkyn e descubra uma nova felicidade!

Começar