I cani con le orecchie grandi hanno bisogno di cure particolari?

Le orecchie o meglio i padiglioni auricolari di alcune razze di cani sono state selezionate nel corso degli anni per avere delle dimensioni e forme “eccessive”, basti pensare a quanto sono diverse le orecchie di un beagle e quelle di un pastore tedesco, larghe “a cotoletta” e pendenti le prime, sottili ed erette le seconde. O pensate per esempio al buffo basset hound o al cocker con larghi e lunghi padiglioni auricolari che possono toccare il pavimento.

Le razze con orecchie pendenti come i cocker, labrador, golden retriever, setter, beagle, bassethound, breton hanno indiscutibilmente bisogno di un minimo di extra-cure e attenzioni in modo da evitare otiti, o spiacevoli inconvenienti per il nostro amico a quattro zampe.

Anatomicamente infatti, le orecchie di questi cani sono predisposte ad accumulare cerume, umidità e sporcizia, favorendo lo sviluppo di otiti batteriche, parassitarie o allergiche. Inoltre, frammenti di piante, come spighe o forasacchi possono rimanere facilmente incastrati all’interno dell’orecchio richiedendo l’intervento d’urgenza del medico veterinario.

Quali sono quindi le precauzioni necessarie?

Vi consiglio intanto di abituare il vostro cucciolo sin da piccolo ad aver le orecchie manipolate e pulite. In concomitanza del bagno, potete con del cotone e delle apposite soluzioni (generalmente altamente lipidiche), pulire le orecchie del vostro amico. Ricordatevi sempre di premiare il vostro cane, in modo che associ l’evento pulizia orecchie a qualcosa di piacevole! In commercio si trovano differenti prodotti per l’igiene delle orecchie e non necessitano prescrizione medica, ma non esitare a contattare il tuo veterinario per extra spiegazioni!

Durante le passeggiate, per i cani con le orecchie più lunghe e che toccano il suolo il consiglio è quello di usare una bandana o dei fiocchetti per evitare che raccolgano tutta la sporcizia dal suolo, anche in questo caso è necessario abituarlo sin da cucciolo. Lo stesso si può fare in casa per quando beve o mangia dalla ciotola! I proprietari di Cocker sanno bene di cosa sto parlando! Ed a tal motivo, potete trovare anche delle ciotole speciali fatte per questi cani!

Allo stesso modo, le razze amanti dell’acqua non resisteranno ad un tuffo nel fiume, o nel lago di paese…non ti preoccupare! Sarà importante però, una volta a casa, pulire ed asciugare con cura le orecchie del vostro migliore amico!

Se il vostro cane sviluppa spesso otiti parassitarie inoltre, alcuni prodotti spot-on possono prevenire l’insediamento degli acari in questione. Chiedi consiglio al tuo veterinario!

Oltre all’igiene del padiglione auricolare, nei cani con le orecchie più pelose vi consiglio di accorciar o meglio rimuovere i peli se non comporta un eccessivo stress per il cane, faciliterà l’igiene e l’areazione delle orecchie.

Ricordati invece, che nel caso in cui il vostro cane mostri fastidio alle orecchie, le scuote spesso, hanno cattivo odore o appaiono arrossate può essere in atto un otite, ed è necessaria la visita dal medico veterinario senza perdere tempo!

Vito Priolo

MRCVS, PhD

Artrose em cães

Quais os sinais clínicos?

A artrose em cães idosos é uma doença bastante comum e que tem como principais sinais clínicos a claudicação (ou seja, o seu patudo começa a mancar), rigidez, dor, relutância a levantar-se, correr ou saltar. Em casos mais avançados o animal pode mesmo recusar-se a andar.

Um dos tipos de artrose frequentemente reconhecida é a artrose associada à anca em raças grandes como o pastor alemão, labrador, Golden Retrivier, Rottweiler, mas pode aparecer em qualquer animal de porte grande. Apesar de menos comum, também pode acometer algumas raças menores. Pode também ocorrer noutras articulações do esqueleto animal.

Porque acontece?

Na base da fisiopatologia da artrose, está um ciclo auto-destrutivo e progressivo de agressão e inflamação. As células das articulações uma vez “irritadas”, libertarem citocinas pró-inflamatórias, as quais favorecem o processo de inflamação, que acelera a descomposição do colagénio de tipo II da cartilagem e dos proteoglicanos.

Como se trata?

Existem diferentes abordagens terapêuticas mais ou menos invasivas para tratar a artrose em cães idosos. O objetivo é minimizar a dor nas articulações reduzindo a inflamação e, se possível, abrandar o dano da cartilagem.

O tratamento farmacológico da artrose em cães idosos costuma incluir agentes anti-inflamatórios esteroides ou não esteroides (AINEs), com intuito de aliviar a dor e a inflamação. Os AINE inibem a produção de prostaglandinas, que são promotoras de inflamação. O principal problema associado a estes fármacos é que, quando usados dde forma crónica, costumam provocar efeitos secundários gastrointestinais como vómitos, ulceração, anorexia, fezes escuras e com sangue, e dor abdominal.

Os corticosteroides e glicocorticosteroides são também usados em casos agudos com alta eficácia para aliviar a dor e a inflamação, já que inibem a produção de ácido araquidónico. Não obstante, o seu uso  prolongado no tempo está desaconselhado tendo em conta os efeitos secundários indesejados, sobretudo devido à sua ação imunossupressora.

Fatores de crescimento e regeneração da cartilagem podem contribuir para manter a integridade estrutural e funcional da cartilagem ao inibir a capacidade da interleucina 1 para estimular a degradação de proteoglicanos.

O sulfato de glucosamina pode ser usado como terapia adjuvante no tratamento da artrite e artrose em cães idosos porque o sulfato intervém na produção de cartilagem e a glucosamina possui propriedades anti-inflamatórias sem grande risco de  efeitos secundários.

O ácido hialurónico pode atrasar a degradação cartilagínea, já que é responsável pela visco-elasticidade do líquido sinovial, atuando como um lubrificante articular e ajudando a absorver os impactos nas articulações.

A terapia com células mãe pode ser a seguinte opção, sobretudo para os cães que sofrem artrose da anca, já que inibe o processo inflamatório e repara o tecido danificado. Dado que se trata das próprias células do cão extraídas dos seus tecidos gordos ou da sua medula óssea, o risco de rejeição é menor e a melhoria pode ser significativa.

Em casos mais severos de dor a intervenção cirúrgica à articulação pode ser ponderada.

A obesidade pode fazer com que a articulação se desgaste mais rápido devido à pressão extra que é exercida na articulação.

Assim, uma alimentação regrada , equilibrada e rica em condroprotetores pode ser parte da terapia do seu patudo 🙂

Tudo o que precisa de saber sobre o Labrador

Aparência física do Labrador

Os Labradores são cães muito compactos, apresentam um crânio e peito largos, e pescoço musculoso. A sua pelagem é curta, mas bastante densa, existindo uma camada de subpêlo impermeável, que lhes permite suportarem mais tempo dentro de água, onde as suas caudas robustas funcionam como leme.

Macho

Altura do garrote: 56 a 60 cm

Peso: 28 a 40 Kg

Fêmea

Altura do garrote: 54 a 58 cm

Peso: 25 a 35 Kg

Cores de pelagem

Existem três cores, nomeadamente preto (cor dominante), castanho e amarelo.

De que cor poderá ser o seu cachorro Labrador?

De uma forma muito sucinta, seguem alguns exemplos de acasalamentos:

  • Entre pretos puros, só nascerão filhotes pretos.
  • Entre pretos (com o gene da cor amarela) e amarelos nascerão cachorros pretos e/ou amarelos.
  • Entre amarelos, nascerão cães amarelos.
  • Entre pretos (com o gene de cor castanha) e castanhos, nascerão cachorros pretos e/ou castanhos.
  • Entre castanhos, nascerão cães castanhos

Personalidade/Temperamento do Labrador

O Labrador é uma raça bastante equilibrada, inteligente, brincalhona, dócil e fácil de educar/treinar. São cães que estão sempre aptos para nadar, brincar e caminhar na companhia do seu tutor! A maioria destes cães também adora crianças! Por isso, se procura uma companhia leal e afetuosa, é neles que a vai encontrar!

Destacam-se como ótimos cães de família, no entanto, embora aprendam com facilidade e rapidez, requerem um treino firme, dada a sua teimosia. Além disso, detestam estar sozinhos e têm uma energia inesgotável, pelo que necessitam de uma boa dose de exercício diário.

Perante as suas características, são procurados muitas vezes para desempenhar funções de trabalho, como cães polícia ou cães-guia.

Origem da raça

Acredita-se que os Labradores Retriever tenham origem na costa da Terra Nova, no Canadá, onde os pescadores os utilizavam para recuperar os peixes que saltavam das redes, puxando-as mesmo até terra. Daí o seu nome: “Labrador” pela província Canadiana do mesmo nome e “retriever” da palavra inglesa “retrieve”, que significa “recuperar”. As primeiras criações surgiram por parte dos britânicos, que ficaram fascinados, não só pela sua aparência como pela sua aptidão para a caça. Em 1903, a raça é finalmente reconhecida como independente pelo Kennel Club britânico, fazendo sucesso desde então. As cores amarela e castanha foram aceites para criação mais tarde, juntando-se assim à cor preta original.

Saúde e doenças hereditárias

Tal como outros cães de grande porte, os Labradores são predispostos a patologias articulares e ósseas, destacando-se a displasia do cotovelo e da anca, que têm componente hereditária. Podem efetuar-se radiografias para despiste, de forma a perceber se as doenças estão presentes e qual a sua gravidade. Os Médicos-Veterinários, aconselham sempre a realização destes exames quando termina o crescimento dos cães de raça Labrador.

Atrofia progressiva da retina e cataratas são duas doenças, também com componente hereditária, que podem surgir nos Labradores.

As otites são muito comuns nos cães desta raça, dada a conformação dos seus ouvidos, que favorece o crescimento bacteriano. Por isso, é recomendável a higienização do canal auricular com bastante frequência. Deve sempre solicitar ajuda ao seu Médico Veterinário para a escolha do produto de higiene adequado.

Obesidade! São cães muito gulosos, com tendência a comer em demasia e consequentemente a ganhar peso extra. É importante evitar a obesidade, não só recorrendo a exercício físico, mas também através de uma alimentação correta e equilibrada!

Alimentação

Dado pertencerem a uma raça de grande porte, os cães Labrador, requerem uma alimentação exigente, capaz de satisfazer as suas necessidades nutricionais e energéticas. Selecionar uma ração de alta qualidade, com uma percentagem de proteína adequada, com variedade de nutrientes e de ingredientes de elevado valor biológico é o segredo! Além disto, é extremamente importante respeitar a quantidade diária recomendada para o alimento escolhido.

Sendo uma raça propensa a apresentar problemas de estômago, a ração deve ser dividida por 3 refeições ao longo do dia. É de evitar o exercício físico após a refeição, para prevenir a ocorrência de dilatação e torção gástricas, que são casos de extrema urgência!

Envelhecimento

Os avanços na Medicina Veterinária preventiva têm feito com que o tempo de vida dos nossos cães aumente, contudo após os 7 anos de idade, os Labradores são considerados seniores e os problemas começam a aparecer ou a agravar-se! É importante prevenir problemas ósseos e articulares, com recurso a condroprotetores e a ração específica para sénior, intensificar os cuidados de higiene tanto a nível de pelagem, de ouvidos e de dentição.

Nesta fase, merecem cuidados especiais e visitas mais frequentes ao Veterinário.

Ana Matias

Médica Veterinária

¿Mi perro mini puede comer croquetas medianas?  

Los piensos clasificados en base al tamaño de la croqueta podemos dividirlos , de forma general, en 4 tipos: 

  • Croquetas extra pequeñas : para perros de razas toy o miniatura (2-4 kg) como pueden ser Chihuahuas, bichones, yorkis o cruces. Su tamaño es muy reducido, algo más grande que una lenteja. Facilita la masticación y reduce la acumulación de sarro al actuar de forma mecánica limpiando los dientes.  
  • Croquetas pequeñas : Para razas de tamaño pequeño, entre 4-10 kilos aproximadamente. Aquí podemos incluir individuos de razas como pomeranias, schnauzer mini, o cruces de aproximadamente esa complexión. Las croquetas son de un tamaño similar a un guisantes. También favorecen la limpieza de las piezas dentales.  
  • Croquetas medianas : Perros de entre 10 y 30 kilos aproximadamente, como beagles, cockers, collies… De tamaño similar a un garbanzo cocido. Estas croquetas dificultad el atragantamiento y obligan al animal a masticar más despacio.  
  • Croquetas grandes : De tamaño similar al hueso de una ciruela. Están indicadas para perros de más de 30 kilos, como pastores alemanes, labradores, mastines… Favorecen la masticación y evitan el atragantamiento.  

Con estos puntos aclarados, vemos que hay diferencias claras entre los tamaños de algunas croquetas. No obstante, no todos los piensos ni todas las gamas cuentan con esta variabilidad de tamaño. Existen piensos que cuentan con croquetas que tienen un tamaño medio universal, para animales de tamaño medio, que también pueden ser ingeridos por animales pequeños o grandes.

Si bien es cierto que las razas de tamaño muy pequeñas pueden tener dificultades para aprehender este tamaño de croquetas, las razas de tamaño pequeño no deberían de tener mayor problema a la hora de ingerirlo. No obstante, en caso contrario y si no hay otra opción, como puede ser un caso de alergia que responde perfectamente a un pienso y este no cuenta con tamaño pequeño de croqueta, se puede optar por machacar el pienso y así facilitar la aprehensión por parte del animal. 

Juan Vázquez 

Médico veterinario 

Lavori per cani: quali sono le professioni dei cani.

Da sempre gli animali sono stati utilizzati per aiutare l’uomo in alcune mansioni, cani compresi. Fin da tempi immemori erano utilizzati come aiuto nella caccia, per trainare le slitte, ma vediamo come ai giorni nostri ci facciamo aiutare dai nostri amici a quattro zampe.

Cane poliziotto

I cani, soprattutto quelli di razza pastore tedesco, sono utilizzati dalle forze armate per svolgere mansioni che solo i cani possono ricoprire, sfruttando le loro capacità, come ad esempio il loro olfatto sopraffino. Sono, infatti, fondamentali nell’ambito dell’antidroga, essendo in grado d’intercettare chi sta trasportando stupefacenti, e riescono, sempre grazie al loro naso, a rintracciare ordigni esplosivi.

Cani da salvataggio

I cani che lavorano in questa categoria, sono dei compagni fondamentali per gli umani, basti pensare a tutte le vite salvate grazie al fiuto dei cani che ha permesso di trovare le persone bloccate nelle macerie a seguito di un terremoto. Fondamentali anche quelli addestrati per il salvataggio in acqua, soprattutto labrador e golden retriever, che da sempre sono al fianco di bagnini di mare o di lago per il recupero delle persone in difficoltà in acqua.

Cani da pet therapy

In questa categoria sono inclusi tutti quegli esemplari che vengono adottati da persone che presentano problematiche di vario genere, sia di tipo psicologico sia motorio. Sono, infatti, utilissimi poiché prendersi cura di un cane aiuta a calmare l’ansia, facendo superare stress e tensioni e mette in uno stato d’animo positivo e proposito, il che aiuta per una più pronta guarigione.

Cani guida

Questa categoria, indispensabile per le persone non vedenti, rappresenta forse una delle più nobili professioni che un cane può svolgere. Un cane guida seguirà una persona non vedente per tutta la sua vita e oltre ad esserne compagno, lo aiuterà a muoversi e avrà anche un effetto benefico sul suo umore così come avviene nella pet therapy.

 

Dobbiamo ricordarci che queste categorie di cani, rientrando a tutti gli effetti in animali lavoratori, non devono essere distratti mentre stanno svolgendo la loro mansione. Per questo quando li si incontra per strada prima di dargli attenzioni sarebbe meglio chiedere al proprietario se ci possiamo interagire.

Dott. Aurora Busti
Medico Veterinario Barkyn

O meu signo é compatível com que raças?

Carneiro: Pastor Alemão e Pit Bull!

As pessoas deste signo têm uma personalidade forte, são impulsivas, teimosas e emocionais. Na relação com outros são muitas vezes “crianças”, estão prontos para qualquer brincadeira e precisam de relacionamentos capazes de os acalmar. Os patudos com um temperamento brincalhão mas ainda assim com uma postura autoritária, podem ser um parceiro de vida ideal para pessoas deste signo!

Touro: Basset Hound!

Os taurinos apegam-se a quem os rodeia, são pessoas confiáveis e prontos para ajudar. Podem tornar-se controladores e inflexíveis e são, por vezes, ligados aos bens materiais.  As raças ideais para se relacionarem com tutores taurinos são sem dúvida raças pouco teimosas e que gostam de se sentir protegidas.

Gêmeos: Labrador e Golden Retriever!

Têm o dom da comunicação e encaram a vida com sentido de humor. Por vezes tornam-se desinteressados e distantes, mas são movidos por estímulos intelectuais! Para um geminiano, a melhor relação cão/dono será com um patudo divertido e independente.

Caranguejo: Shih Tzu!

Os nativos deste signo adoram proteger as pessoas de quem gostam. São leais, gentis e confiáveis. Patudos mais carentes, que necessitam de bastante atenção do dono, serão a melhor opção para pessoas deste signo.

Leão: Pastor Australiano!

Vigor, energia e domínio caracterizam os leoninos. São amigos do seu amigo e por vezes autoritários. Cães elegantes, que adoram brincar, que aceitam bem o treino e comandos vão relacionar-se bem com nativos deste signo.

Virgem: Border Collie!

Virgem é um dos signos mais inteligentes do zodíaco! São práticos, disciplinados e analíticos e na relação com os outros são bastante carinhosos e sensíveis. Patudos bem-comportados, inteligentes e que se entregam bastante à relação com o dono vão dar-se bem com os virginianos.

Balança: Galgo Afegão!

São muito indecisos, preguiçosos, mas bastante responsáveis. Dão valor à aparência e estão sempre preocupados em manter o charme. São bastante pacientes com as pessoas com quem se relacionam. Um patudo bonito e que necessite de ter o dono sempre presente para as suas aventuras é o parceiro ideal para os nativos deste signo!

Escorpião: Rottweiler!

Leais, dedicados e… ciumentos e rancorosos! São por vezes obsessivos, embora estabeleçam relações fortes e duradouras. Patudos protetores, focados na relação com o dono e com um temperamento calmo serão uma ótima companhia para estes cães!

Sagitário: Bulldog Francês e Dálmata!

São generosos, otimistas e aventureiros! Gostam de conviver com quem lhes traz sempre algo novo. Por vezes são inflexíveis e constroem espectativas irrealistas. Para este signo se dar bem com o seu patudo, o ideal é escolher uma raça sempre pronta a abraçar novas aventuras.

Capricórnio: Fox Terrier e Galgo!

Práticos, teimosos, ambiciosos e disciplinados, os capricornianos tendem ainda a ser frios para a maioria das pessoas que os rodeiam, tornando-se emocionais ao longo do tempo. São compatíveis com patudos fáceis de educar e que estimulem o seu lado afetuoso.

Aquário: Beagle!

É um signo criativo, amigo e por vezes imprevisível. São nativos bastante racionais e gostam de estar envolvidos em novas experiências. Patudos que acompanhem os traços de personalidade dos aquarianos, serão uma ótima companhia.

Peixes: São Bernardo e Bichon Maltês!

Vivem no mundo dos sonhos e da imaginação. São sensíveis, por vezes fracos e bastante altruístas. Um patudo carinhoso e protetor pode ser a companhia ideal para os nativos deste signo.

 

Daniela Leal

Médica Veterinária

Dicas para os primeiros passeios à rua

Os passeios ou as “idas à rua” são uma rotina fundamental na vida do seu cão! Além de serem importantes para permitirem que mantenham um estilo de vida saudável e pratiquem exercício físico regular, permitem também estimular o seu desenvolvimento social e intelectual. Além das vantagens supracitadas, são ainda, uma óptima oportunidade para estabelecer uma relação única com o seu patudo! O passeio é o momento de caminharem juntos e conectarem!

Mas os primeiros passeios podem ser desafiantes e têm algumas limitações para que a adaptação seja fácil e segura.

Antes de mais, qualquer cachorro só deve sair à rua após ter completado o seu plano vacinal contra as doenças infecto-contagiosas. Antes desta estar completa, os passeios são contraindicados pois expõem os nossos patudos a um conjunto de ameaças que o seu sistema imunitário juvenil e incompetente pode não ser capaz de reprimir.

Depois do aval do seu médico veterinário para iniciar os passeios deve começar por:

  • Colocar trela ou peitoral em casa durante algumas horas para que o seu patudo se habitue a usa-lo e não veja estes acessórios como ameaças. Deve usar trela sempre que ele estiver na via pública!
  • Começar por levá-lo em passeios curtos, mas frequentes. A repetição implementa rotinas. Saia com ele muitas vezes ao dia e sempre que ele aparente que precisa de fazer as suas necessidades.
  • Deve aumentar gradualmente a distância e a duração das saídas.
  • Deve, igualmente, adaptar o passeio à raça e à idade. Raças como Beagles, Labradores, Border Collies ou outras muito activas têm necessidades de estimulação e de exercício maiores que outras raças mais pachorrentas 🙂
  • Reforço positivo é importante: recompense com um biscoito sempre que fizer as necessidades durante o passeio e sempre e que caminhe ao seu lado sem puxar.

É um processo. Mas com paciência e determinação, o seu patudo vai se adaptar à rotina de passeios que treinarem juntos e cada dia vai ser mais fácil que o anterior!

Bom passeios!

Helena Ferreira

Médica Veterinária de Animais de Companhia

Todos os cães devem fazer tosquia?

Para que serve o pelo?

O pelo tem como principal função proteger o patudo de temperaturas extremas – quer do frio quer do calor – bem como de raios ultravioleta. Existem diversas pelagens: curta, comprida, com pelo mais duro ou mais suave e até cães com duas camadas de pelo (a camada exterior e a camada interior ou sub-pelo).

Os cães mudam o pelo essencialmente na mudança de estação, contudo, esta mudança e consequente queda do pelo está muito suscetível à influência da luz solar. Por esse motivo, é comum que cães de apartamento, sujeitos a luz artificial de forma constante, acabem por largar pelo durante todo o ano.

Então por que motivo se deve tosquiar os cães?

Apesar do pelo constituir uma barreira protetora, a tosquia ajuda a renovar o pelo e a mantê-lo forte e saudável. Em alguns cães, principalmente cães de pelo longo, a tosquia ajuda a manter a higiene quer do próprio pelo, quer da pele. Como o pelo cresce mais forte e saudável, a queda de pelo pode diminuir em cães que fazem tosquia de forma regular (contudo os cães continuarão a largar pelo mesmo depois de serem tosquiados!).

Tomar a decisão de tosquiar ou não consoante o tipo de pelo

Nem todos os cães são candidatos a tosquia.

  • Cães de pelo curto, por exemplo, apesar de largarem muito pelo, não são candidatos a tosquia (como é o caso do Labrador).
  • Cães de pelo longo, tendo em conta o corte típico de raça, são candidatos a tosquia para que o pelo possa crescer saudável.
  • Cães de pelo duplo (como Husky ou Pastor Alemão) não são candidatos a tosquia. Nestes casos, o subpelo muda aquando a estação do ano, de forma a que a proteção contra o frio e contra o calor possa ser mantida.

E as tosquias são todas iguais?

Não. A tosquia pode ser realizada à tesoura, à máquina, com diferentes lâminas (que cortam o pelo com diferentes tamanhos, dependendo da lâmina utilizada), ou à mão (stripping). A tosquia deve ser realizada segundo o tipo de pelo e o tipo de raça.

  • Tosquia completa: É feita normalmente com máquina e está indicada em cães com pelo longo, com tendência a ganharem “chocas” ou cães que largam muito pelo.
  • Tosquia higiénica: Tosquia indicada em raças com bastante pelo, em que o objetivo é remover pelo principalmente de zonas que necessitam de higiene mais frequente (perto das patinhas, dos olhos, da barriga e cauda). A maioria dos cães pode realizar este tipo de tosquia de forma regular.
  • Stripping: Tipo de tosquia realizada em cães com pelo cerdoso (como o Schnauzer). O stripping é um tipo de tosquia realizado sem lâmina ou tesoura, sendo que o pelo é removido com a mão.
  • Tosquia de “raça”: Dá-se o nome de tosquia de raça quando a tosquia é feita com base no corte típico para aquela raça. Raças como o caniche ou o Yorkshire Terrier têm um “corte próprio”, que lhes favorece esteticamente.

 

Na maioria das vezes, o banho é dado juntamente com a altura da tosquia. Em alguns cães esta prática é uma questão de higiene que deve ser repetida várias vezes por ano, para além da escovagem regular do pelo.

 

Daniela Leal

Médica Veterinária de Animais de Companhia

Cómo educar a un cachorro de Labrador

Carácter del Labrador cachorro:

Se trata de un excelente perro de familia de adiestramiento sencillo, ya que aprende con facilidad órdenes básicas pero no debemos olvidar que se trata de un cachorro y, sin una correcta educación, este perro simpático de carácter amable puede convertirse en un perro ansioso y con conductas destructivas.

Por lo tanto, al ser un animal que al llegar a adulto va a tener un tamaño grande y alta energía, es necesario un adiestramiento desde cachorro y ofrecerle siempre el ejercicio adecuado para él. De no ser así, puede convertirse en un perro peligroso, no por su agresividad, si no porque puede causar algún accidente debido a su tamaño y ansia.

Además de estos problemas de conducta, pueden aparecer otros problemas como la ingesta descontrolada de objetos, muy típica en esta raza, lo que puede causarle obstrucciones digestivas, peligrando su salud.

Adiestramiento desde cachorro:

Las educación de nuestro cachorro de Labrador debe empezar desde el primer día que llegue a casa. Los primeros pasos para su educación serán:

  • Reconocimiento de su nombre: uno de los puntos más importantes a la hora de educar a cualquier perro es que atienda a su nombre. Deberemos repetir su nombre cada vez que se relacione con nosotros.
  • Órdenes básicas: una vez reconocido su nombre empezaremos a enseñar órdenes básicas como “ven” y “no”, entre otras. Una vez las aprenda podemos pasar a otras de mayor dificultad como “sienta” o “tumbado”.
  • Hacer sus necesidades: al principio hará sus necesidades en casa, ya que no podrá salir a la calle hasta que no esté correctamente vacunado, pero debemos enseñarle a que las haga en un lugar específico, de esta manera será más sencillo después enseñarle que haga sus necesidades fuera de casa.
  • Socialización: esta parte es muy necesaria para cualquier cachorro, de esta forma evitaremos problemas de interacción hacia otros animales y personas en la etapa adulta. Debemos pasear con nuestro cachorro, al principio en brazos, y solo dejar que se relacione con perros que estén vacunados, que se acostumbre a diferentes entornos y personas.

La educación del Labrador será la misma que cualquier otro perro, siempre basada en el refuerzo positivo.

Irene Martinez

Médica Veterinaria

Se fosse um cão, que raça seria?

Que perguntas pode fazer a si próprio para perceber qual a raça que melhor encaixa consigo?

  • Em que casa gostaria de viver?
  • Prefere ficar em casa ou aproveitar o fim de semana para sair?
  • Gosta de correr e fazer bastante exercício?
  • É sociável?
  • É alto ou baixo?
  • Demora muito tempo a arranjar-se (tomar banho, vestir-se, etc)?
  • Prefere os convívios com amigos ou dedicar-se à família?
  • Que adjetivos o definem? Carinhoso? Teimoso? Impaciente? Preguiçoso?

A resposta a estas perguntas pode ajudá-lo a comparar-se a algumas raças de cães que podem ter gostos e uma personalidade e temperamento semelhantes aos seus!

Encontre a sua raça:

Labrador

Gosta de correr e fazer exercício. É considerado um cão ativo, com espírito jovem, frequentemente “aluado”, que prefere passear a ficar em casa. Não liga ao visual, mas a verdade é que tem uma beleza natural muito própria!

Pessoas extrovertidas, que gostam de festa e são extremamente sociáveis seriam sem dúvida um Labrador.

Golden Retriever

Inteligentes, muito leais à família, adoram atividade física tal como o Labrador! Tem um pelo que lhes confere uma aparência própria, muito elegante, que necessita de tratamento constante.

Pessoas que gostam de ter uma vida social ativa, que se preocupam com a imagem (principalmente com o cabelo!), que necessitam de exercício físico para se sentirem bem física e psicologicamente seriam um Golden Retriever.

Pug

O Pug é um cão de raça pequena, muito leal ao dono e que gosta de companhia a toda a hora! É um cão de apartamento e apesar de calmo pode ser bastante teimoso.

É o espelho de pessoas teimosas, mas afetuosas! Pessoas que preferem aproveitar o fim de semana em casa, com a família, que gostam de conviver e odeiam não ter companhia… seriam um pug!

Teckel

Gosta do sofá, mas não diz não a uma bela brincadeira no parque em troca de um fim-de-semana passado em casa. É um cão confiante, apesar da sua estatura. É uma raça sociável, mas graças à sua vontade muito própria pode entrar em conflito na relação com cães e pessoas. É curioso e muito enérgico e é visto por toda a gente como um cão com aparência muito fofa!

Se é uma pessoa curiosa, com ideias vincadas, confiante e gosta de manter uma vida social ativa… provavelmente se fosse um cão seria um teckel.

Pinscher

Cães de apartamento, que gostam de dormir mas adoram vir correr para o parque e conhecer novos amigos! Pequenos, “refilões”, muito ativos e medrosos.

Se revê estas características em si, provavelmente seria um pinscher.

Weimaraner

Grande porte, precisam de gastar energia (adoram nadar!), e são cães um pouco ansiosos. Dedicados à família, dão-se bem com outros animais e pessoas e precisam de treino constante para se manterem sociáveis e bem psicológica e fisicamente.

Se é uma companhia agradável para as outras pessoas, gosta de se dedicar à família e amigos, adora fazer exercício e explorar coisas novas, mas ainda assim tem um lado mais ansioso… a sua raça seria o Weimaraner.

Yorkshire Terrier

Um cão pequeno, que necessita de atenção e companhia, carinhoso e adora o colo do dono. É considerada uma raça vaidosa, pela necessidade de tratamento frequente do pelo e pelos movimentos graciosos. Apesar da estatura pequena, a teimosia e comportamentos de dominância são também característicos de muitos cães desta raça.

Se prefere apartamentos, é uma pessoa vaidosa, tem uma devoção pelo cabelo, adora partilhar momentos com a sua cara metade e adota comportamentos de teimosia e dominância na convivência com outras pessoas… provavelmente seria um Yorkshire Terrier.

Bichon Maltês

Também o Bichon Maltês necessita de atenção e companhia. É um cão tranquilo, adora o sofá e o colo do dono! É teimoso e tem uma personalidade forte. Apesar de gostar de dormir durante muito tempo, não diz não a uma boa hora de brincadeira…. sempre com o dono por perto.

Se prefere apartamentos, é uma pessoa tranquila mas com uma personalidade forte, e não diz não a um fim-de-semana no aconchego do sofá… o Bichon Maltês é a sua raça de cão!

Beagle 

Historicamente caçadores, os beagles são conhecidos pela sua energia sem fim. É alegre, adora brincadeiras, não aguenta muito tempo sem companhia e sem atividades desafiantes. Adora o exterior, precisa de uma educação firme e é confiante e corajoso! Muitos Beagles têm um uivar característico.

Portanto, se coragem e determinação não lhe falta, é uma pessoa extrovertida, que está sempre dentro de novos programas com os amigos, cria um ambiente de alegria à sua volta e tem uma voz marcante… provavelmente a sua raça seria o Beagle.

Corgi

Um cão de família, com um grande instinto de proteção e lealdade. Gosta de morar em apartamentos, e tem um pelo que necessita de tratamento frequente. É alegre e alinha em todas as brincadeiras. Adora comer e por vezes á um pouco impaciente. O treino é muito importante em cães desta raça!

Se tem um instinto protetor muito apurado, com uma ligação forte à família, adora divertir-se e é impaciente em determinadas situações… a sua raça seria o Corgi.

“Rafeiro”

É o cão de raça indeterminada… cuja personalidade é variável consoante as raças que lhe deram origem. Contudo, o meio ambiente moldará a personalidade dos rafeiros (assim como dos cães de raça!). São cães normalmente dóceis, muito próximos do dono… que também podem ter temperamentos negativos (como serem mais desconfiados). Depende!

Se tem um feitio com características não muito vincadas… quem sabe se não terá semelhanças com os rafeiros!

 

Daniela Leal

Médica Veterinária de Animais de Companhia