¿Qué son perros braquicéfalos?

 

Perros braquicéfalos, dolicocéfalos y mesocéfalos

Esta clasificación se lleva a cabo por la medida del ancho de la cabeza en relación a la mitad de la longitud de la cabeza. De esta manera, podemos diferenciar:

Perros dolicocéfalos, en los que el ancho es menor que la mitad de la longitud de la cabeza. Ejemplos de estas razas son: galgo, Collies.

Perros braquicéfalos, en  los que el ancho de la cabeza es mayor a la mitad de la longitud de la cabeza. Ejemplos: Bulldog inglés o francés

Perros mesocéfalos, en los que el ancho y la mitad de la longitud de la cabeza son iguales. Ejemplo: pastor alemán o Beagle

Razas de perros braquicéfalos

Bulldog inglés: es un perro robusto, de unos 35 cm de altura y aproximadamente 25 kg de peso. Tiene las orejas de pequeño tamaño y caídas.

Bulldog francés: También es un perro de potente musculatura, aunque de menor tamaño y peso que el bulldog inglés, ya que suelen pesar alrededor de 8-10 kg. Posee unas orejas características, de forma triangular y erguidas.

Boxer: este perro de tamaño grande, puede alcanzar los 25-30 kg. Tiene un cuerpo atlético, musculoso y es una raza muy activa.

Carlino o Pug: Poseen un cuerpo de aspecto rectangular, ya que tienen la cintura poco marcada, orejas caídas de pequeño tamaño y un peso aproximado de 7-9 kg.

Pequinés: de pelo largo y orejas caídas, esta antigua raza es robusta también, aunque por su pequeño tamaño no suelen superar los 5-6 kg.

Lhasa Apso: También tiene pelo largo y orejas caídas. Su peso aproximado es de unos 8 kg. La cola se enrolla sobre el lomo

Boston Terrier: De morfología ligeramente similar al Bulldogg francés, aunque el Boston Terrier es algo más alto y menos compacto. También es un perro robusto y ágil, con orejas erguidas y de mayor longitud que el bulldog francés.

¿Los perros braquicéfalos pueden viajar en avión?

Actualmente, debido a los desgraciados accidentes que se han producido en algunos ejemplares que viajaron en bodega, muchas compañías aéreas han restringido el acceso a los perros braquicéfalos de más de 8 kg, que no podrán viajar en avión, ya que no pueden viajar en cabina con sus propietarios, sino que tendrían que hacerlo en el espacio reservado al equipaje.

¿Los perros braquicéfalos pueden nadar?

Son muchos los perros braquicéfalos que no saben nadar. Se dice que el instinto para nadar en los perros hace que, cuando un perro cae al agua, aunque nunca haya nadado anteriormente, nade de esa forma característica. Pero en el caso de los perros braquicéfalos, no siempre sucede así.  Como sus extremidades suelen ser cortas, no pueden realizar correctamente el movimiento para nadar, lo que hace que muchos directamente se hundan. Por lo tanto, ten mucho cuidado si tu perro braquicéfalo se acerca a una piscina, ya que puede necesitar que tengas que auxiliarle si se cae al agua.

Enfermedades más comunes

Las patologías más conocidas en braquicéfalos son las respiratorias, debido a su anatomía, pero existen algunas otras patologías que suelen padecer con relativa frecuencia, como problemas oculares, ya que tienen ojos grandes, que si no lubrican adecuadamente, pueden dar lugar a ojo seco o incluso úlceras corneales. También suelen presentar patologías de piel, en muchas ocasiones como consecuencia de alergias o intolerancias alimentarias. Algunos ejemplares nacen con malformaciones óseas, como vértebras fusionadas o hemivértebras.

Síndrome respiratorio del braquicéfalo 

Debido a la conformación del cráneo, sucede que el mismo tejido que poseen otros perros en un espacio mayor, los braquicéfalos deben contener en un espacio mucho más reducido. Esto da lugar a que con gran frecuencia,  el paladar blando llegue a una zona de la garganta más profunda que en otros perros, lo que ocasiona dificultades respiratorias. Además, suelen tener los orificios nasales estrechos y la lengua corta, que se repliega en vez de sacarla “estirada” para poder transpirar de forma correcta.

En este link podrás ampliar información sobre este síndrome tan frecuente en braquicéfalos.

 

10 cães de raça pequena

1-Pug

O Pug é um raça cada vez mais conhecida! É o cão ideal para um apartamento pequeno, mas é um patudo que devido ao seu focinho achatado ressona bastante e é necessário ter isso em consideração no momento de o tornar o seu companheiro de vida

 2Chihuahua

O Chihuahua é das raças mais pequenas que existem por isso em qualquer ele conseguirá ficar confortável. A sua energia não tem fim, no entanto com alguns passeios conseguirá mantê-lo mais calmo e distraído.

3-Yorkshire Terrier

Uma raça muito conhecida por todos, é um cão muito apreciado pelo seu tamanho e pelo facto do seu pêlo não cair. São cães que adoram brincar e são perfeitos para quem tem crianças!

4-Jack Russel

Para além do seu tamanho, os Jack Russel são cães extremamente sociáveis e muito inteligentes. Apesar de terem muita energia, podem ser treinados para que consigam ficar calmos num apartamento. No entanto, será importante que seja passeado várias vezes por dia para desgastar a sua energia.

5-Lhasa Apso

Os Lhasa-Apso são pequenos companheiros de 4 patas que adoram ficar no seu canto a dormir. São cães muito fieis ao dono e tem um grande sentido de proteção. O seu pêlo necessita de bastante manutenção para que mantenha bonito e comprido.

6-Bulldog Frânces

A popularidade dos Bulldog Francês está espalhada por todo o mundo. São cães calmos e muito carinhosos. Adoram passar tempo a brincar com o seu dono mas uma boa soneca é sempre uma excelente ideia. Devido ao seu característicos.

7-West Highland White Terrier

Esta raça apesar do seu porte pequeno tem uma constituição muito robusta. Adoram passeios calmos mas podem ser longos, graças à sua resistência física. São extremante sociáveis e dóceis.

8-Shit-zu

Muito parecidos com os Lhasa-Apso, mas bastante mais preguiçosos. Não são cães de grandes passeios, sendo ideais para apartamento. De uma doçura e simpatia enormes! Adoram crianças e outros cães. O seu pêlo requer uma escovagem diária mas a sua queda é praticamente inexistente.

9-Cavalier King Charles

É uma raça que cativa só pelo seu olhar tão meigo. São cães que são indicados para toda a família pois adoram crianças e pessoas idosas. Não estranham ninguém, pedindo mimos a todo o tempo.

10-Pinscher

Os Pinscher são conhecidos em todo o mundo pelo seu ladrar tão constante. Apesar de muito pequenos têm um grande sentido de proteção dos seus donos estando alerta a todo o momento. Não se deixe enganar pelo seu tamanho! Se tiver liberdade, verá a quantidade de energia que o cão tão pequeno pode ter.

Sofia Galiza 

Médica Veterinária de Animais de Companhia

 

Cães braquicefálicos: descubra 6 curiosidades sobre a braquicefalia

Há várias raças de cães que se enquadram nesta categoria por possuírem crânios com esses atributos: Bulldogs, Pugs, Boston Terriers, Pequinês, Boxers, Shi Tzu, entre outros.

Algumas curiosidades sobre estes animais incluem:

1-Representam algumas das raças mais populares em Portugal

Especialmente nos últimos 5 anos,  os Buldogues franceses têm vindo a aumentar a sua população no nossos pais, sendo uma das raças mais populares entre as familias, quer pela sua aparecia irresistível,quer pela sua personalidade forte e carinhosa 😊

2-Têm tendência a ressonar e/ou a fazer ruídos a respirar

A Síndrome Braquicefálica é uma condição patológica que ocorre nestes animais e que se caracteriza pela combinação de estenose das narinas (que significa que tem o orifício das narinas mais apertado do que o normal), prolongamento do palato mole e eversão dos sacos laríngeos. De uma forma resumida, o crânio destes animais é achatado e curto em relação a outras raças, mas os órgãos da boca e laringe não são proporcionalmente mais pequenos, e por isso a passagem de ar através das vias respiratórias, nestes animais, torna-se mais difícil e ruidosa.

3-Apresentam maior risco de golpe de calor

Como os nossos patudos não transpiram, (com excepção das almofadinhas plantares), a forma pela qual perdem calor é através do arfar. Como estes animais apresentam vias respiratórias superiores mais tortuosas e apertadas, o processo de arrefecimento não é tao eficiente, e como tal, são mais propensos a sofrer  um golpe de calor.

Por isso, se têm um patudo braquicéfalo, em dias mais quentes, deve apenas passeá-lo no inicio da manha ou o final da tarde.

4-Têm risco acrescido de doenças oculares

O facto do seu crânio ser achatado, leva a que todas as estruturas e órgãos faciais estejam “apertados” o que leva a que grande parte destes animais tenham os globos oculares bastante proeminentes, e “saídos para fora”. Esta características acarreta alguns riscos de protusão ocular, ulceras de córnea entre outras.

5-Precisam de cuidados especiais associadas às suas pregas  de pele

As pregas de pele surgem também como uma característica particular de muitos destes cães  tornando-os incrivelmente charmosos 😊 Mas também requerem cuidados acrescidos. Essas pregas devem ser limpas regularmente para evitar dermatites e proliferações de leveduras e bactérias.

6-Precisam de uma dieta rigorosa

Estes animais, tendo em conta as características já mencionadas, não toleram bem excessos de peso, e a obesidade pode causar agravamento da sintomatologia respiratória. Assim, é de extrema importância manter uma condição corporal saudável e ter uma plano alimentar adequado.

 

Helena Ferreira

Médica veterinária de animais de companhia

5 consigli per una piacevole passeggiata con il vostro cane

1. Rispettare le esigenze del proprio cane

Non tutti i cani sono uguali: alcuni correrebbero per chilometri, sono instancabili, un tumulto di energia e vita; mentre altri come il povero Bulldog Francese hanno già il fiatone prima ancora di metter il naso fuori dalla porta. E’ importante che un buon proprietario abbia ben presente i limiti e i pregi del proprio cane, senza spingerlo a compiere sforzi eccessivi, oltre le proprie possibilità fisiche.
Brachicefali, cardiopatici, anziani o cani con problematiche ortopediche andrebbero accompagnati al guinzaglio “morbido”, senza mai tirarli per affrettarne il passo. Amarli, vuol dire aver pazienza.

2. Approvvigionamento d’acqua

A seconda della lunghezza della passeggiata, è sempre saggio portare con se una ciotola da viaggio o una bottiglietta d’acqua dedicata al nostro cane. Eviteremo di farlo bere in ciotole comuni o pozzanghere fangose.

3. Attenzione al colpo di calore!

Nei periodi estivi sono sconsigliate le passeggiate durante le ore più torride della giornata, oltre a esporre il nostro cane al rischio del tanto temuto colpo di calore, possiamo facilitare la formazione di ustioni o abrasioni del cuscinetti digitali, a seguito del contatto con l’asfalto rovente.

4. Variare il percorso

Compiere ogni giorno lo stesso tragitto può essere noioso non solo per noi… ma anche per loro. La passeggiata può essere uno stimolo per esplorare nuovi vicoli o zone della nostra città che altrimenti non avremmo mai pensato di visitare.

5. Lasciarlo correre in libertà

Una “piacevole passeggiata” per essere definita tale, deve prevedere sempre un momento di sgambamento e socializzazione. Cercare i parchi Bau più vicini a noi, può essere una gradevole variazione alla solita passeggiata al guinzaglio. Solo essendo libero da ogni tipo di costrizione fisica, il cane può sentirsi positivamente realizzato e libero di esplorare il mondo esterno. L’approccio con gli altri cani deve essere graduale, chiedendo sempre al proprietario dell’altro animale, quale sia la sua indole, prima ancora di permettere l’incontro fisico fra i due.

Dott.ssa Alessia Troli
Medico Veterinario Barkyn

O meu signo é compatível com que raças?

Carneiro: Pastor Alemão e Pit Bull!

As pessoas deste signo têm uma personalidade forte, são impulsivas, teimosas e emocionais. Na relação com outros são muitas vezes “crianças”, estão prontos para qualquer brincadeira e precisam de relacionamentos capazes de os acalmar. Os patudos com um temperamento brincalhão mas ainda assim com uma postura autoritária, podem ser um parceiro de vida ideal para pessoas deste signo!

Touro: Basset Hound!

Os taurinos apegam-se a quem os rodeia, são pessoas confiáveis e prontos para ajudar. Podem tornar-se controladores e inflexíveis e são, por vezes, ligados aos bens materiais.  As raças ideais para se relacionarem com tutores taurinos são sem dúvida raças pouco teimosas e que gostam de se sentir protegidas.

Gêmeos: Labrador e Golden Retriever!

Têm o dom da comunicação e encaram a vida com sentido de humor. Por vezes tornam-se desinteressados e distantes, mas são movidos por estímulos intelectuais! Para um geminiano, a melhor relação cão/dono será com um patudo divertido e independente.

Caranguejo: Shih Tzu!

Os nativos deste signo adoram proteger as pessoas de quem gostam. São leais, gentis e confiáveis. Patudos mais carentes, que necessitam de bastante atenção do dono, serão a melhor opção para pessoas deste signo.

Leão: Pastor Australiano!

Vigor, energia e domínio caracterizam os leoninos. São amigos do seu amigo e por vezes autoritários. Cães elegantes, que adoram brincar, que aceitam bem o treino e comandos vão relacionar-se bem com nativos deste signo.

Virgem: Border Collie!

Virgem é um dos signos mais inteligentes do zodíaco! São práticos, disciplinados e analíticos e na relação com os outros são bastante carinhosos e sensíveis. Patudos bem-comportados, inteligentes e que se entregam bastante à relação com o dono vão dar-se bem com os virginianos.

Balança: Galgo Afegão!

São muito indecisos, preguiçosos, mas bastante responsáveis. Dão valor à aparência e estão sempre preocupados em manter o charme. São bastante pacientes com as pessoas com quem se relacionam. Um patudo bonito e que necessite de ter o dono sempre presente para as suas aventuras é o parceiro ideal para os nativos deste signo!

Escorpião: Rottweiler!

Leais, dedicados e… ciumentos e rancorosos! São por vezes obsessivos, embora estabeleçam relações fortes e duradouras. Patudos protetores, focados na relação com o dono e com um temperamento calmo serão uma ótima companhia para estes cães!

Sagitário: Bulldog Francês e Dálmata!

São generosos, otimistas e aventureiros! Gostam de conviver com quem lhes traz sempre algo novo. Por vezes são inflexíveis e constroem espectativas irrealistas. Para este signo se dar bem com o seu patudo, o ideal é escolher uma raça sempre pronta a abraçar novas aventuras.

Capricórnio: Fox Terrier e Galgo!

Práticos, teimosos, ambiciosos e disciplinados, os capricornianos tendem ainda a ser frios para a maioria das pessoas que os rodeiam, tornando-se emocionais ao longo do tempo. São compatíveis com patudos fáceis de educar e que estimulem o seu lado afetuoso.

Aquário: Beagle!

É um signo criativo, amigo e por vezes imprevisível. São nativos bastante racionais e gostam de estar envolvidos em novas experiências. Patudos que acompanhem os traços de personalidade dos aquarianos, serão uma ótima companhia.

Peixes: São Bernardo e Bichon Maltês!

Vivem no mundo dos sonhos e da imaginação. São sensíveis, por vezes fracos e bastante altruístas. Um patudo carinhoso e protetor pode ser a companhia ideal para os nativos deste signo.

 

Daniela Leal

Médica Veterinária

Espirros reversos: o que são?

O que são espirros reversos?

O espirro normal é uma resposta de defesa que os organismos dos nossos cães, e também nosso, têm. Basicamente consiste na expulsão de uma quantidade de ar para fora do organismo, ocorrendo sempre, no momento da expiração. O espirro reverso ou também chamado respiração paroxística inspiratória é, essencialmente, o oposto, ou seja, é um espirro para dentro do organismo. Quando o cão está a inspirar (entrada de ar nos pulmões), acontece um espasmo involuntário da garganta e no palato mole (céu da boca mais mole).

Devo ficar preocupado ao ver o meu cão a ter espirros reversos?

Apesar do som assustador e de ser muitas vezes confundido, pelo dono, com os sinais de engasgamento ou asfixia, o espirro reverso tem a função de ajudar a libertar algo que esteja a irritar a garganta (mecanismo de defesa do organismo). Assim, se esporádico, não existe motivo para ficar preocupada. Mas atenção, se ficarem frequentes e acompanhados de corrimentos nasais, o seu cão deve ser visto pelo médico veterinário.

Raças de cães braquicéfalos, como por exemplo, Pugs, Boxers, Bulldog Inglês e Francês, devido a sua conformação anatómica da cabeça, são raças que frequentemente sofrem com espirros reversos. Mas qualquer raça e cão pode apresentar estes espirros.

Quais são as causas e diagnóstico dos espirros reversos?

Os espirros reversos podem acontecer em qualquer idade. Podendo acontecer apenas por defesa do organismo, ou estarem associados a alguma patologia. É frequente ver espirros reversos em cães com alergias, corpos estranhos, parasitas, inflamação ou infeção respiratória e tumores. Por vezes, também pode ser comportamental, cães muito excitados também o podem fazer.

O diagnóstico é realizado pelo médico veterinário, pela realização de exames complementares, como analises clínicas e raio-x. Caso consiga realizar um vídeo para mostrar ao médico veterinário, pode facilitar o diagnostico.

Como posso identificar que o meu cão está a ter um espirro reverso?

Quando o seu cão está a ter um espirro reservo, ele:

  • Fica parado e quieto num local;
  • Estica o pescoço;
  • Arregala os olhos e afasta os cotovelos;
  • Movimentos rápidos inspiratórios (entrada de ar nos pulmões) com a boca fechada;
  • Emissão de sons devido a passagem do ar pelo nariz;
  • Tosse.

Se quiser ajudar o seu cão, para que o episódio de espirro reverso passe mais rápido, pode:

  • Massajar levemente a garganta;
  • Oferecer-lhe água para que ele possa beber;
  • Manter a calma.

Maria Beatriz Mariano

Médica Veterinária

Braquicefalia e problemas caninos derivados desta condição

A Braquicefalia é um termo frequentemente associado com uma cotação negativa, mas na realidade, o termo literalmente quer dizer “crânio curto” e é utilizado para descrever um tipo de morfologia do crânio dos nossos patudos. São, comumente, designados de cães com “focinhos achatados”. Assim, há várias raças de cães que se enquadram nesta categoria por possuírem crânios com esses atributos: Bulldogs, Pugs, Boston Terriers, Pequinês, Boxers, Shi Tzu, entre outros.

Tenho um cão de raça braquicefálico. E agora?

O facto do seu patudo ser braquicefálico não significa, necessariamente, que vai ter problemas de saúde associados a essa condição. Porém, existe algumas patologias que surgem com maior prevalência nestas raças. A mais conhecida é uma síndrome que pode causar dificuldade respiratória.

A Síndrome Braquicefálica é uma condição patológica que ocorre nestes animais e que se caracteriza pela combinação de estenose das narinas (que significa que tem o orifício das narinas mais apertado do que o normal), prolongamento do palato mole e eversão dos sacos laríngeos. De uma forma resumida, o crânio destes animais é achatado e curto em relação a outras raças, mas os órgãos da boca e laringe não são proporcionalmente mais pequenos, e por isso a passagem de ar através das vias respiratórias, nestes animais, torna-se mais difícil.

Os principais sinais clínicos, aos quais devemos estar atentos em casa, são: respiração ruidosa, ressonar, cianose (ou mucosas arroxeadas), intolerância ao exercício e mesmo colapso.

No caso de isso acontecer, e depois de corretamente avaliado pelo seu médico-veterinário, a correção cirúrgica é a principal escolha terapêutica, e aumenta significativamente a qualidade de vida do animal.

Além desta condição respiratória, que é de facto a mais conhecida, raças braquicefálicas tem alguma tendência a ter:

  • Problemas de oclusão dentária
  • Dermatites das pregas (causadas por enrugamento da pele associado à forma peculiar das suas cabeças)
  • Problemas oculares, quer por protusão dos globos oculares, quer por fendas palpebrais pouco profundas
  • Golpe de calor

Por isso mesmo, os nossos amigos de quatro patas devem ser avaliados pelo médico veterinário ao longo do crescimento para ir avaliando o surgimento/evolução de alguma destas características que se incluem na síndrome, e outras associadas a esta característica encefálica.

Com acompanhamento veterinário adequado, os nossos meninos de cabeça achatada” podem ter um vida saudável e feliz!

Helena Ferreira 

Médica Veterinária

6 raças que precisam de pouco exercício diário

Caniche miniatura

O Caniche miniatura é um cão animado e inteligente, que se adapta muito bem à vida num apartamento. É uma ótima opção para crianças e idosos. É uma raça caracterizada pela sua dedicação e amor ao dono, relacionando-se bem com qualquer tipo de pessoa.

Embora seja ativo, não o leve consigo para a corrida diária. Fá-lo-á desistir.

Yorkshire Terrier

Tem uma personalidade, descrita por alguns, como grande para seu tamanho, sendo classificada como destemida, carinhosa, afetuosa, versátil e independente. É um animal muito irrequieto e nervoso, sempre alerta e atento. Talvez por isso, necessite de pouco exercício, dado gastar as suas energias durante o dia, na guarda da casa.

Chihuahua

Os Chihuahuas são das raças mais pequenas do mundo. É descrito como extremamente delicado, afetuoso e possessivo. São reconhecidamente ágeis e inteligentes dentro de casa, necessitando assim pouco exercício diário.

Bulldog Francês

São cães extrovertidos, alegres, brincalhões, atléticos e, acima de tudo, afetuosos com pessoas de todas as idades. É um cão adorado pelas suas feições e personalidade únicas.

São cães preguiçosos, que requerem o mínimo de exercício para se manterem alegres e saudáveis.

Pequenês

Têm uma personalidade independente e uma desconfiança instintiva com estranhos, alertando sempre os seus donos da presença de desconhecidos.

O comportamento calmo dentro de casa aliado ao pequeno tamanho, faz do Pequinês um excelente cão de apartamento.  Um passeio tranquilo na companhia do seu dono é o que mais se adequa ao temperamento da raça.

Pinscher miniatura

É uma raça requer os cuidados base, para a manutenção do bem-estar. O seu tamanho torna-o ideal para se adaptar bem em diversos ambientes.

São descritos como cães leais, valentes, persistentes, inteligentes, obedientes e curiosos.

Além das raças descritas acima, poderemos enumerar, de entre outras raças o Buldogue Inglês, Pug, King Charles Cavalier, Teckel miniatura, Basset Hound, Dogue de Bordeus, Lulu da Pomerânia, Shih Tzu, Mastim, Akita, Lhasa Apso, Spitz, Dogue Alemão, Chow-Chow, São Bernardo, Galgo Italiano.

Embora estas sejam raças que precisam de pouco exercício diário, não se esqueça que o passeio e exercício diários são essenciais para a manutenção do bem-estar do seu animal.

Mónica Carvalho

Médica Veterinária

Dicas para convivência entre cães e crianças

Atualmente, grande parte dos cães são considerados membros da família, conceito que as crianças facilmente entendem. Contudo, os mais novos têm dificuldade em perceber que os cães pertencem a uma espécie diferente, acabando por interagir com eles de igual para igual. Aqui ficam algumas dicas para tornar esta relação mais segura e duradoura.

  • Nunca os deixe sozinhos

A maior parte das crianças interage com os cães da mesma forma que interage com os membros da família, ou seja, através de contactos muito próximos, como beijinhos e abraços. Essa proximidade pode ser intimidante para o cão podendo levar a que este reaja de forma imprevisível.

Por outro lado, as crianças, comparativamente aos adultos comunicam de forma mais barulhenta (choram, gritam, fazem birras). Para os cachorros é difícil interpretar este comportamento, fazendo com que se sintam inseguros e com medo.

  • Amigos amigos, brinquedos à parte

É muito importante sensibilizar a criança para o facto de um cão não ser um brinquedo de peluche. Comportamentos como puxar a cauda ou as orelhas, montar o cão, atirar-lhe objectos ou calcar-lhe as patinhas, não são admissíveis e colocam a criança em risco de ser mordida.

  • Ensine a criança a não se aproximar do cão quando este:
  1. está a comer (comportamento possessivo);
  2. está a dormir (pode assustar-se reagir de forma agressiva);
  3. está doente / magoado / com dores;
  4. tem problemas de visão / audição;
  5. é um cão desconhecido.
  • Tenha atenção à linguagem corporal

Se para nós, adultos, nem sempre é clara a linguagem corporal do nosso patudo, para uma criança, esse mistério é ainda maior. Explique à criança que um cão com a cauda a abanar nem sempre significa que este está contente e que se colocar a cauda entre as pernas é sinal que está assustado, sendo melhor a criança afastar-se.

  • Seja responsável!

Se está a pensar adicionar um membro canino à sua família, seja responsável pois é uma decisão que vai mudar a sua vida para sempre. Informe-se dos cuidados que deve ter e assegure-se de que está à altura da tarefa. Neste artigo pode consultar as raças de cães mais adaptadas a crianças.

Sara Alves

Médica Veterinária de Animais de Companhia