Sarna Canina

A sarna é uma doença dermatológica provocada por ácaros (ectoparasitas microscópicos). No entanto existem diferentes tipos de ácaros que, consequentemente provocam diferentes sintomas.

Destacam-se os seguintes tipos de sarna:

  • Sarna demodécica: é a mais comum em cães, sendo provocada pelo ácaro Demodex canis. Muitas vezes conhecida como a “sarna negra” é transmitida apenas entre animais. Este ácaro habita na pele dos patudos, porém quando, por algum motivo, existe diminuição da sua imunidade, a proliferação do parasita ocorre de forma descontrolada, culminando no aparecimento de sintomas. Pode também ocorrer transmissão da mãe para os cachorros durante o parto, mas nestas situações é raro desenvolver-se sintomatologia. A sarna demodécica pode surgir de forma localizada, mais característica em cachorros e por norma desaparece por si só. O pêlo cai à volta dos olhos e da boca. Já na forma generalizada, encontramos grandes àreas sem pêlo por todo o corpo. A pododermatite demodécica manifesta-se pela ausência de pêlo nas patas, muitas vezes associada a infeções secundárias.
  • Sarna sarcóptica: o ácaro responsável é o Sarcoptes scabiei, o qual não habita na pele saudável dos nossos animais. Transmite-se através do contacto direto, incluindo para os humanos! Por isso, é necessário termos cuidados redobrados ao tocar nos animais infectados! É um tipo de sarna  caracterizado por uma comichão severa!
  • Sarna Otodécica/ Sarna do Ouvido: é provocada pelo ácaro Otodectes cynotis, sendo mais comum em gatos. Afecta tipicamente as orelhas e os ouvidos, conduzindo a otites secundárias.
  • Sarna por Cheyletiella: Cheyletiella spp. É um ácaro mais comum em gatos, embora altamente contagioso em cachorros.

Quais os sintomas da sarna?

  • Comichão intensa;
  • Pele vermelha e inflamada;
  • Feridas;
  • Áreas sem pêlo;
  • Odor desgaradável da pele;
  • Perda de peso e apetite;
  • Pele muito escura e espessa, nos casos crónicos;

Como se contagia?

Sendo os ácaros parasitas oportunistas, desenvolvem-se quando as defesas dos nossos companheiros estão em baixo. Podem transmitir-se de mãe para cachorro durante o parto/amamentação e entre animais com contacto próximo.

Qual o meio de prevenção e tratamento?

A melhor forma de evitar a sarna nos nossos patudos é através da sua prevenção! As desparasitações externas feitas regularmente durante todo o ano irão proteger os nossos cães contra estes ácaros indesejados. Rotina de higiene controlada é também um bom aliado. Reforçamos os banhos, escovagens e tosquias para manter a pele e o pêlo saudáveis. Caso tenha havido contágio é fundamental evitar o contacto com outros animais para que não haja transmissão, bem como fazer a desinfeção dos objectos e locais em contacto com o infectado.

O tratamento baseia-se na administração de acaricidas e banhos terapêuticos para limpar, acalmar e hidratar a pele. Em certos casos poderá haver a necessidade de associar antibióticos para combater a infeção secundária associada.

A sarna é uma doença que provoca muito desconforto aos nossos patudos. A sua prevenção e tratamento passam por si e pelo seu Médico Veterinário, por isso não adie e tome os cuidados necessários!

Sofia Galiza

Médica Veterinária de Animais de Companhia

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *