Problemas de saúde relacionados com a obesidade canina

As embalagens de ração mencionam a quantidade que deve ser administrada por dia (em gramas), tendo em conta o peso do animal. A quantidade indicada é uma quantidade aproximada e, como tal, as doses devem ser ajustadas a cada animal de forma individual.

 

Quais as principais causas de obesidade?

Para além da predisposição genética de algumas raças (como Labrador ou Bulldog Francês), existem patologias ou hábitos que podem levar ao aumento de peso:

  • Ingestão de calorias em excesso: É uma das principais causas de obesidade nos animais de companhia. Para além de serem alimentados com rações ricas em hidratos de carbono e gordura, muitos dos patudos com excesso de peso ingerem mais calorias do que deviam. Para além do excesso de ração oferecida pelo proprietário, também a oferta de extras fora da ração (como snacks ou comida caseira) tem influência no aumento de peso.
  • Hipotiroidismo: O hipotiroidismo é uma doença hormonal que altera o metabolismo e os animais com a patologia têm excesso de peso. O controlo do hipotiroidismo deve ser médico, sendo que o maneio alimentar é muito importante nestes casos.
  • Castração: Os animais castrados têm predisposição para a obesidade, uma vez que o metabolismo após a castração diminui. A alimentação e a quantidade de ração diária devem ser ajustadas de forma a evitar o aumento de peso.
  • Falta de atividade física: Também a falta de atividade física predispõe ao aumento de peso, tal como acontece com as pessoas. Animais com pouca atividade física não necessitam de tantas calorias como aqueles que passeiam várias vezes por dia e, como tal, as quantidades de alimentação diária devem ser definidas com base na atividade diária.

Que doenças podem surgir como consequência do excesso de peso?

A obesidade pode levar a outras doenças que surgem secundariamente, tais como:

  • Doenças articulares: O excesso de peso cria uma sobrecarga articular, podendo levar a osteoartrite e osteoartrose. Animais com problemas articulares prévios devem manter o peso dentro dos valores ideais.
  • Diabetes: A diabetes está associada à obesidade – animais com excesso de peso têm uma predisposição maior para se tornarem resistentes à insulina e desenvolverem a doença.
  • Dificuldade respiratória: O excesso de peso pode comprometer a capacidade respiratória, principalmente após esforço físico e/ou em animais braquicéfalos.
  • Doenças cardiovasculares: O excesso de peso, principalmente quando relacionado com uma má alimentação, pode indiretamente predispor ao aparecimento de patologias cardiovasculares.

Como saber qual o peso ideal?

O peso ideal não é igual para todos os animais, nem para animais dentro da mesma raça: depende da conformação de cada animal. Como tal, deve ser calculado com base nas medições corporais do animal.

A avaliação da condição corporal é essencial para perceber se o patudo se encontra acima ou abaixo da condição corporal ideal. A condição corporal varia de 1 a 9, sendo que 1 representa caquexia (magreza extrema) e 9 representa obesidade extrema. A condição corporal ideal está entre o 4 e o 5.

A avaliação é feita em consulta, pelo médico veterinário. Contudo, o proprietário pode perceber em casa se o patudo pode estar ou não acima do peso ideal. Em animais com uma condição corporal considerada ideal, devem ser observados os seguintes parâmetros:

  • As costelas devem ser facilmente palpáveis, mas não visíveis.
  • A zona abdominal não deve estar distendida.
  • As vértebras devem ser sentidas aquando da palpação da coluna, mas não devem ser “sentidas individualmente”.
  • Não devem ser sentidos depósitos de gordura.

Como atingir a condição corporal ideal?

Dependendo da condição corporal (de 1 a 9) vai ser estipulado pelo médico veterinário um plano alimentar e de exercício, para ajudar na redução/aumento de peso. Em animais obesos, a perda de peso deve ser gradual, sendo que o objetivo pode ser atingido apenas em 6-8 meses.

Após ser atingido o peso ideal, o plano alimentar deve ser ajustado com vista à manutenção do peso.

É necessário descartar em alguns casos, principalmente nos refratários à modelação alimentar, a existência de patologias (como hipotiroidismo) que podem estar na origem do excesso de peso.

Daniela Leal

Médica Veterinária

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *