O que é a IBD – doença intestinal crónica?

O que é IBD?

IBD (“inflamatory bowel disease”) ou doença inflamatória intestinal crónica consiste numa infiltração da parede intestinal por células inflamatórias. Essa infiltração altera a parede intestinal, impedindo uma absorção alimentar normal e reduzindo a motilidade do intestino. Assim, começam a existir dificuldades intestinais em absorver os alimentos e em promover a sua progressão no processo digestivo.

Esta inflamação pode estender-se do estômago até ao intestino grosso e é classificada mediante o tipo de células inflamatórias predominante (ex: linfócitos, plasmócitos, eosinófilos).

Que sinais pode apresentar um cão com IBD?

Os sinais clínicos que os cães afetados com IBD podem apresentar, resultam da deficiência no processo de absorção e motilidade intestinais.

Pode surgir:

Como se diagnostica IBD?

O diagnóstico definitivo de IBD é feito por análise histopatológica de uma porção da parede gástrica e/ou intestinal recolhida por biópsia. Esta biópsia é realizada sob anestesia geral, podendo ser obtida por endoscopia ou cirurgia convencional. Além disso, é importante que o Médico Veterinário exclua, previamente, outras causas para os sintomas do cão. Por norma, há necessidade de realizar análises sanguíneas, ecografia abdominal e análises às fezes antes de se proceder à biópsia.

O que pode provocar IBD?

Atualmente ainda não se sabe quais os verdadeiros mecanismos que desencadeiam esta doença. Contudo, é consensual que se trata de uma patologia auto-imune em que as células do próprio organismo reagem, exageradamente e de forma incorreta, a proteínas presentes na dieta, bactérias das fezes ou mesmo à flora intestinal normal.

Quais as raças mais predispostas para IBD?

Existem algumas raças mais predispostas para esta doença como o Pastor Alemão, Rottweiller e Golden Retriever.

Qual é o tratamento?

Não existe cura para esta patologia, no entanto existem alternativas médicas que ajudam a controlá-la. A terapia utilizada nos casos de IBD combina uma dieta específica com recurso a ração hipoalérgica, antibióticos e medicação imunossupressora (como por exemplo, os corticosteróides).

Qual é o prognóstico?

O prognóstico varia mediante o grau de IBD e de cão para cão. Alguns patudos reagem muito bem apenas com dieta hipoalérgica, enquanto outros necessitam de doses elevadas de medicação imunossupressora para conseguirem controlar os sintomas. Por vezes, a medicação tem de ser administrada durante toda a vida do animal, acabando por provocar efeitos secundários noutros órgãos.

O resultado da biópsia permite prever o grau da doença. Contudo, qualquer cão com IBD requer um acompanhamento Médico-Veterinário constante.

Ana Matias

Médica Veterinária

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *