Gastroenterite canina

Quais são os sinais?

A maioria dos cães com gastro-enterite vão ter episódios intermitentes de vómitos e diarria. O vómito pode ser espumoso, biliar (principalmente se estiverem em jejum) ou até mesmo com sangue. A diarreia também pode variar muito, e pode ser de consisitência liquída a pastosa, com sangue, com muco, etc. Eles também poderão estar menos activos (prostrados até), desidratados, com apetite reduzido, com dor abdominal e até mesmo com febre.

Como é diagnosticada esta patologia?

O diagnóstico de gastroenterite é um diagnóstico fácil, pois os sinais clínicos são sugestivos da doença. O difícil é diagnosticar a causa da gastroenterite! O Médico Veterinário vai sempre começar pela história clínica – a dieta habitual, o que comeu e bebeu nas últimas 48 horas, se houve alteração de dieta, se deram algo fora do normal, se teve acesso recente a tóxicos, pesticidas, medicamentos, se teve contacto recente com algum animal novo ou pessoa, se já teve episódios anteriores de vómitos e diarreia, etc.

Análises de rotina também são imprescindíveis:

  • Hemograma: que nos indica se há infecção, ausência de células de defesa ou até mesmo desidratação.
  • Bioquímicas séricas e electrólitos: se há alteração da funcionalidade orgânica, ou desiquílibrios electrolíticos.
  • Exame Radiográfico / Ecografia: para se avaliar se há obstruções intesntinais, presença de corpos estranhos, etc.
  • Análises complementares: Cultura e pesquisa de parasitas fecais; Medição de Vitamina B12 e folatos; Biópsia gastro-intestinal, etc.

Quais as causas mais comuns de gastroenterite?

  • Infeciosas: Bactérias, Vírus, fungos ou parasitas;
  • Alimentar;
  • Corpos estranhos: Podem ser tudo desde pedras a cordões;
  • Intussuscepção: quando o intesnto invagina em si mesmo causado obstrução intesntinal – levando aos sinais descritos anteirormente;
  • Tumorais;
  • Intoxicações;
  • Doenças endócrinas: Diabetes, por exemplo;
  • Doença pancreática, hepática ou renal.
  • Etc.

Como se trata uma gastroenterite?

O principal tratamento é a rehidratação e reposição dos electrólitos sanguíneos. Por isso é que grande parte dos animais com gastroenterite precisam de ser hospitalizados, de forma a poderem realizar fluidoterapia intra-venosa. O restante tratamento é de suporte e controlo dos sinais clínicos e muitas vezes passa pela adminsitração de antibióticos (em situações mais graves), probióticos, anti-eméticos, protectores gástricos e analgésicos. A cirurgia é necessária em caso de obstrução intestinal / intussuscepção. A alimentação só poderá ser reintroduzida caso os vómitos parem, e muitas vezes com recurso a uma dieta específica.

E qual é o prognóstico?

O prognóstico varia muito consoante a idade e a causa da gastroenterite. Por exmeplo, numa gastroenterite alimentar o cão melhora significativamente em 48-72h, enquanto numa gastroenterite vírica (mais comum em cachorros) podemos ter melhorias clínicias só ao fim de 5 ou 7 dias.

Uma coisa é certa: quanto mais rápido se iniciar o tratamento, mais rápido se observam melhorias. Por isso, não hesite em contactar o seu Médico Veterinário habitual caso o seu patudo comece a ter vómitos e/ou diarreia!

 

Ana Pinto

Médica Veterinária de Animais de Companhia

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *