Fazer a transição de alimentação caseira para ração

Se o seu cãozinho está habituado a uma alimentação exclusiva ou maioritariamente caseira, será de esperar que a aceitação de uma dieta comercial seja mais difícil, mas não impossível! Tem que ter em conta que lhe está a alterar uma rotina e a oferecer um alimento com sabor, textura e cheiro diferente. Há que se considerar, igualmente, que cada animal tem pequenas variações em termos de paladar e consequentes preferências  alimentares.

Algumas dicas para efectuar esta transição:

  • Existe uma grande variedade de marcas de alimento comercial para cães disponíveis no mercado. Na escolha da ração tenha em consideração:
    • Idade – existem gamas específicas para as diversas fases de vida – cachorro, adulto, adulto maduro/mature e sénior;
    • Porte – dependendo do porte do animal (pequeno, médio, grande, muito grande/gigante) as rações variam nos tamanhos do grão e na sua formulação;
    • Condições de saúde – há determinadas situações em que é necessária e benéfica uma formulação de nutrientes particulares, nomeadamente em doentes renais, excesso de peso/obesidade, sensibilidades alimentares e dermatológicas e problemas articulares;
    • Necessidades específicas – cadelinhas gestantes/lactantes, animais esterilizados;
    • Sabor – escolha uma ração em que o sabor seja de um alimento que o seu animal goste mais e que esteja mais familiarizado.
  • A transição tem que ser sempre gradual. A alteração brusca da dieta pode provocar alterações no trato gastrointestinal e, consecutivamente, possíveis cólicas e diarreias. A alteração progressiva não só diminui a probabilidade de isto acontecer, como, também, ajuda numa maior aceitação do novo alimento:
    • 1ª semana: misture 1/4 (25%) de ração com 3/4 (75%) da dieta caseira habitual;
    • 2ª semana: misture 50% ração com 50% dieta caseira;
    • 3ª semana: misture 75% ração com 25% dieta caseira;
    • 4ª semana: comece a oferecer apenas a ração.

O tempo que cada animal leva a aceitar a nova dieta é muito variável, pelo que deverá adaptar para cada caso. Por exemplo, se verificar que a transição da 1ª semana ainda está a ser feita com relutância, pode prolongar o tempo da mesma.

  • Misturar a ração com água morna: intensifica o cheiro, o que pode tornar mais apetecível, e amolece a ração, assemelhando-se mais à textura de uma dieta caseira;
  • Misturar a ração com alimento comercial húmido (latas e saquetas), Barkyn Flavourarroz ou carne e a respectiva água de cozedura.

Se optar por misturar a ração com outro alimento, pergunte a um médico veterinário como o deve fazer, de forma a não exceder as quantidades recomendadas de calorias diárias e, consequentemente, aumento gradual do peso corporal do seu animal.

 

Sílvia Honrado

Médica Veterinária de Animais de Companhia

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *