Como é que os cães expressam emoções e estados de espírito?

Não há duvida de que os cães expressam emoções! Conseguem presentear-nos com uma alegria extrema ou manifestar sinais de medo, quando algo os assusta.

Atualmente, sabe-se que os patudos têm as mesmas estruturas cerebrais, hormonas e alterações químicas que são responsáveis pelas emoções no Homem. Embora, existam essas semelhanças, as emoções dos cães são mais puras, pois não se conectam a pensamentos complexos. Assim, não se questionam sobre o que sentem, expressando-se a 100%! Não mentem, nem ocultam… são verdadeiros melhores amigos! 🙂

Quais as emoções que os cães expressam?

  • Amor: não há dúvida quanto a este sentimento! Os cães amam de verdade a sua família! Procuram demonstrá-lo incessantemente, a toda a hora, seja com mimos, lambidelas ou brincadeiras. São companheiros leais. Demonstram-no sempre de caudinha a abanar e sorriso no corpo!

  • Alegria: despoletada em vários momentos, como no passeio, na brincadeira, na chegada do tutor a casa, manifesta-se com latidos, corridas, saltos e cauda no ar!

  • Depressão: ao contrário dos humanos, os cães não verbalizam por palavras o sentimento de tristeza ou angústia. Por norma, quando estão doentes, perdem um elemento da família ou quando o próprio tutor está triste, os cães ficam deprimidos. Isso manifesta-se no seu olhar cabisbaixo, prostração, falta de apetite e apatia.

  • Ciúme: quem nunca percebeu que o seu patudo está com ciúmes? Seja de outro animal ou de outra pessoa? 🙂 Pois é verdade! Eles também se manifestam quando a sua atenção tem de ser dividida com outro elemento! Começam a tentar de tudo para captar a atenção do seu tutor ao máximo, e é muito fácil de entendê-lo.

  • Medo: os cães são muito sensíveis a traumas e emoções fortes. Nos momentos em que sentem medo, a sua postura corporal é bastante típica: caudinha entre as pernas, orelhas para trás, olhos arregalados! Em alguns casos, procuram esconder-se atrás ou entre as pernas dos tutores, pois sentem-se mais protegidos. São várias as causas que podem despoletar este sentimento e dependem de cada um. Destacam-se ruídos fortes como fogo de artifício e aspiradores, ou ambientes e pessoas desconhecidas.

  • Vergonha: quando vemos um cão de orelhas para trás, cauda entre as pernas, olhar cabisbaixo, corpo arqueado e escondido no ninho… já sabemos… fez asneira! Esta é a sua forma de demonstrar vergonha! A postura submissa que adotam é resultado de uma antecipação da reação do tutor perante a asneira. Esta reação não é duradoura, ao contrário de no Homem, por isso repreender os cães passado um tempo do comportamento indesejado não surte efeito.

Ana Matias

Médica Veterinária

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *