Quais os melhores cães de guarda e porquê?

O que é um cão de guarda?

Por definição, um cão de guarda é um cão cuja sua função é exatamente a de guardar/vigiar um determinado território, uma pessoa ou animal. Este instinto de proteção foi-lhes herdado pelo seu ancestral, o lobo, pelo que, independentemente do seu tamanho e das suas particularidades enquanto raça, seja ele um Yorkshire ou um Rottweiler, todos o possuem.

 

Todos são iguais então?

De notar no entanto que, se formos “atropelados” por um Yorkshire ou um Rotweiller na rua, com certeza que o impacto será certamente diferente! 😊

E é por esse motivo que quando pensamos em cão de guarda, inevitavelmente pensamos em cães com um determinado porte e com determinadas características capazes de assustar qualquer agente invasor, esquecendo-nos rapidamente de que todos são igualmente capazes de a desempenhar.

 

Quais as mais comuns?

Inevitavelmente, quando abordamos esta questão no sentido prático, automaticamente pensamos em cães com determinadas particularidades, nomeadamente de peso, porte, robustez, poder de mandibula e pelo seu “ar feroz”. Exemplos dessas raças são:

  • Rotweiller
  • Doberman
  • Pastor Alemão
  • Pastor Belga
  • Boxer
  • Pit-Bull Terrier
  • Staffordshire Bull Terrier
  • Staffordshire Terrier Americano
  • Leão da Rodésia
  • Fila Brasileiro
  • Bullmastiff
  • Dogue Argentino

De entre as raças mais típicas de cães de guarda, também se incluem algumas portuguesas, como por exemplo:

 

  • Cão de Serra da Estrela
  • Cão de Gado Transmontano
  • Cão de Castro Laboreiro
  • Cão de Fila de São Miguel
  • Cão de Fila da Terceira

Resta alertar que algumas das raças citadas podem ser perigosas ou potencialmente perigosas. Saiba mais sobre este tema aqui. 

 

Mónica Carvalho

Médica Veterinária

 

Deve-se tosquiar o cão no Inverno? 5 Factos sobre a tosquia no inverno

De facto, um pelo longo, molhado e emaranhado faz com que, facilmente, o seu cão fique frio, húmido e suscetível a infeções. Assim, durante o inverno, os cuidados com o pelo do seu patudo tornam-se ainda mais importantes! Por isso, a resposta à pergunta “o meu cão pode ser tosquiado no inverno?”, a resposta é sim.

O que deve, então, saber sobre a tosquia no inverno:

  • Claro que os nossos amigos patudos também sentem frio, mas os malefícios de não tratar do pelo no inverno poderão ser muito maiores. Se não tosquiar o seu animal, nem tiver os devidos cuidados diários, o estado do pelo poderá chegar a um ponto em que a única solução é a tosquia completa e bem mais curta do que a elegida por si.

 

  • A tosquia deve ser adaptada à época do ano. O pelo não deverá ser cortado tão curto no inverno. Dessa forma, conseguirá manter uma quantidade de pelo suficiente para manter a temperatura corporal do seu cão, mas ao mesmo tempo consegue fazer muito mais facilmente a sua manutenção.

 

  • Um pelo mais curto no inverno pode ajudar a manter a pele mais saudável e livre de infeções. Se o seu cão passa mais tempo no exterior, estará mais suscetível a ficar molhado ou sujo. Um pelo comprido ou um pelo que não seja diariamente cuidado poderá acumular detritos e humidade, o que juntamente com o possível aparecimento de nós, pode conduzir a infeções dermatológicas.

 

  • O uso de casacos poderá ser uma ajuda para manter quente o seu cão no tempo mais frio. A tosquia ajudará a manter o pelo menos emaranhado.

 

  • Se preferir não tosquiar, saiba que poderá apenas optar pela tosquia higiénica. Este tipo de tosquia poderá ser feito ao longo de todo o ano. Caracteriza-se pelo corte do pelo apenas nas zonas genitais, ajudando a mantê-las mais limpas e, assim, menos suscetíveis a infeções.

 

Lembre-se que o pelo do seu cão precisa de um cuidado continuo ao longo de todo o ano!

 

Ana Alves – Médica Veterinária

Que raças têm o pelo mais hipoalergénico para as pessoas?

“Sou alérgico ao pelo de animais” – é em grande parte um mito. Os alergénios aos quais as pessoas são normalmente alérgicas encontram-se na saliva, glândulas sebáceas e células da pele morta (mais conhecidas por caspa) e não propriamente no pelo dos animais. O que acontece é que o pelo é um meio de armazenamento desse tipo de substâncias, bem como de pólen ou ácaros, também grandes fontes de alergias.

Se já tem um cão em casa e necessita de minimizar os alergénios presentes no ambiente existem algumas dicas que poderá seguir.

Como reduzir a quantidade de alergénios em casa:

 

Se é uma pessoa “alérgica a animais”, dar-lhe-ei em seguida uma lista de raças de cão que poderá escolher de forma a que as suas alergias possam estar mais controlas.

Atenção! Deverá igualmente adotar as medidas anteriores. Deverá também saber que entre cada cão o tipo de alergénios difere, bem como a reação que cada pessoa individual apresenta face a cada alergénio. Por isso, apesar de possuir uma raça “hipoalergénica” em casa, poderá apresentar igualmente manifestações alérgicas.

As raças hipoalergénicas são assim definidas porque incluem cães que produzem muito pouca caspa e cujo pelo cai muito pouco ou, quando cai, fica preso nas outras camadas de pelo (evitando-se, assim, que os pelos juntamente com os alergénios se espalhem pela casa).

 

Raças “hipoalergénicas”

  • Poodle
  • Schnauzer
  • Yorkshire Terrier
  • Bichon Frisé
  • Bichon Maltês
  • Shit-tzu
  • Samoiedo
  • Cão de crista chinesa
  • Basenjis
  • Cão de água português

 

Lembre-se também que a melhor forma de perceber se é alérgico, e a que raça é alérgico, é passar algum tempo com patudos de diferentes raças e verificar a sua reação!

 

Ana Alves

Médica veterinária

5 produtos para fazer a higiene oral do seu patudo

1- Orozyme Pasta dentífrica

A pasta da Orozyme é recomendada pela maioria dos veterinários, graças aos resultados excelentes na prevenção de tártaro. Pode ser utilizada sem escovagem, graças à sua ação enzimática. Basta colocar nos dentes/gengivas.

2- Vet IQ Pasta dentífrica

Escovar os dentes dos cães regularmente é essencial e a utilização de uma pasta dentífrica auxilia a escovagem. Deve utilizar a escova de dentes própria para a limpeza dos dentes do patudo. Coloque primeiro a pasta nos dentes e depois escove-os com movimentos circulares.

3- Alpha Spirit

É um osso grande e saboroso, bastante adorado pelos patudos! Deve ser dado sobre supervisão do dono e evitado em cães com sensibilidade intestinal. Estimula bastante a mastigação e permite uma ótima limpeza mecânica dos dentes e remoção de parte da placa bacteriana!

4- Tasty Bone Dental

É um brinquedo que ajuda a melhorar a higiene dentária de cães! Para além de entreter os patudos, ajuda a manter a saúde oral. O formato auxilia a limpeza mecânica dos dentes e deixa o hálito mais fresco graças à inclusão de menta.

5 – Beco Bone

Apesar de não ser um brinquedo específico para ajudar na higiene dentária, como é resistente ajuda na limpeza mecânica dos dentes. E ainda dá para colocar snacks dentro!

Daniela Leal

Médica Veterinária

Tudo o que precisa de saber sobre a raça Yorkshire

Origem

O Yorkshire teve origem em Inglaterra, na região de Yorkshire, no século XIX.

Saúde

Profilaxia

Como qualquer cão, deve ter tantos as vacinas como a desparasitação interna e externa em dia! Esta profilaxia vai ajudar na proteção contra doenças e contra infestação por parasitas.

Tártaro

Sendo cães de raça pequena, têm uma grande predisposição para a acumulação de tártaro. A alimentação à base de ração seca e a utilização de snacks para os dentes são uma mais valia na prevenção do tártaro, mas muitas vezes é necessário que o dono escove os dentes ao patudo regularmente, utilizando uma pasta dos dentes própria.

Em cães que já têm uma acumulação de tártaro significativa, pode ser necessária a realização de uma destartarização.

Sensibilidade gastrointestinal

A raça tem frequentemente alterações intestinais (como diarreia, fezes mais moles, vómitos). É necessário ter em atenção não só a ração oferecida (que deve ser de boa qualidade e facilmente digestível) como também a quantidade de snacks e extras que são oferecidos fora da refeição. Mudanças alimentares não são bem toleradas pelos Yorkshire!

Higiene

Graças ao pelo longo, os cães de esta raça precisam de ser escovados muito frequentemente. Os banhos devem ser regulares e o champô escolhido deve ser para pelo longo.

Graças à dificuldade em manter o pelo em bom estado, muitos cães desta raça são tosquiados. A tosquia permite não só renovar o pelo, como também evita que se formam as chamadas “chocas”.

Lifestyle

Tanto gostam de sair à rua e passear com o dono como adoram ficar a dormir no sofá!

Cães que não manifestam desde cedo interesse em passear devem ser estimulados para tal. A socialização é muito importante e o convívio com pessoas e animais e a exposição a estímulos irão modelar o comportamento em adulto!

Comportamento e Temperamento

Apesar de pequenos em tamanho, alguns cães desta raça tentam ser dominantes. A educação e o treino devem ser rigorosos, de forma a evitar quer comportamentos extremos de dominância quer o desenvolvimento de um temperamento teimoso.

Daniela Leal

Médica Veterinária de Animais de Companhia

Tudo o que precisa de saber sobre o Labrador

  • Características físicas

Macho: altura do garrote – 56/60 cm; peso – de 28 a 40 Kg

Fêmea: altura do garrote – 54/58 cm; peso – de 25 a 35 Kg

  • É um cão bastante compacto, apresenta um crânio largo, pescoço forte e peito largo.
  • A cauda é robusta, atuando na água como uma espécie de leme.
  • O pêlo é curto e denso, apresentando uma excelente camada impermeável de subpelo.
  • Existem 3 cores de pelagem: amarelo, castanho e preto.

 

  • Temperamento

É um cão ativo, seguro e tenaz e apresenta um faro extraordinariamente sensível.

Apesar de ser uma raça desenvolvida para caçar na água (daí a sua paixão pela água), também é um ótimo caçador em terra.

É afetuoso com toda a gente, é dócilpacífico e leal, destacando-se como um ótimo cão de família, principalmente no que toca à relação com crianças e idosos.

Contudo, é importante ter um treino firme, devido ao facto de ser um cão teimoso. Apesar de requerer um treino especial é um cão muito inteligente, que aprende com rapidez, desempenhando frequentemente funções específicas como cão-guia de pessoas invisuais ou cão polícia.

É um cão que não gosta de estar sozinho e necessita de muito exercício diário, visto apresentar uma energia quase interminável.

 

  • Saúde

  • Tal como outras raças de grande porte, os Labradores são predispostos a patologias como a displasia da anca e do cotovelo. Após completar o crescimento, poderá solicitar ao seu Médico Veterinário que seja realizado o despiste de displasia de anca (exame que implica sedação e avaliação do raio-x realizado por parte de um Especialista) – se não for aconselhado ser realizado antes.

Os donos destes cães devem estar atentos a qualquer desconforto de algum dos membros na movimentação do seu cão.

  • São cães predispostos ao aparecimento de otites, pelo que a higiene do canal auricular é essencial.

 

  • Nutrição

Visto ser uma raça de grande porte, necessita de uma alimentação que suporte as suas necessidades nutricionais, pelo que deve optar por rações de boa qualidade para cães de grande porte.

Sendo uma raça propensa a apresentar problemas de estômago, a ração deve ser dada 2 a 3 vezes ao dia. Deve também evitar fazer exercício após a refeição de modo a evitar o desenvolvimento de uma possível torção de estômago.

É importante ter um cuidado especial relativamente à quantidade de snacks que lhe são dados, uma vez que são cães muito gulosos e estão sempre prontos para comer.

 

  • As 3 cores de pêlo

A cor dominante nesta raça é o preto.

De uma forma muito sucinta, seguem alguns exemplos de acasalamentos e possíveis filhotes:

  • Entre pretos puros: só nascerão filhotes pretos.
  • Entre pretos (com o gene da cor amarela) e amarelos: nascerão filhotes pretos e/ou amarelos.
  • Entre amarelos: nascerão amarelos.
  • Entre pretos (com o gene de cor chocolate) e chocolates: nascerão pretos e/ou chocolates.
  • Entre chocolates: nascerão chocolates.

 

 

Rita Moita Ferreira

Médica Veterinária de Animais de Companhia

4 dicas para diminuir o pelo em casa

cane da appartamento

Infelizmente não há milagres para diminuir o pelo que aparece em todos os cantos da casa! Os cães largam pelo inevitavelmente, sendo que cães de pelo curto normalmente largam mais pelo que cães de pelo comprido!

Primeiro: Diminuir a queda do pelo do patudo

A chave está na diminuição da queda! Nem sempre é fácil fazer com que o patudo não largue muito pelo, contudo existem formas de tentar diminuir essa queda (uma boa alimentação, remoção do pelo morto, banhos regulares, suplementação da ração com óleo de salmãoconsulte aqui como diminuir a queda de pelo).

Segundo: Escovagem diária

A escovagem é essencial! Escove o patudo num local onde ele possa largar pelo à vontade – se tiver jardim, pátio ou varanda escove o patudo nesse local. Pode optar também por escovar o pelo fora de casa, antes e depois do passeio: assim não fica com restos de pelo em casa e o patudo pode sacudir-se à vontade após a escovagem.

Terceiro: Limpar o pelo em casa

A melhor forma de limpar o pelo em casa é com recurso ao aspirador. Deve aspirar muito bem os cantos da casa e trocar o saco do aspirador regularmente. Após aspirar a casa, confirme que não existem vestígios de pelo! Se existirem, passe um pano molhado pela zona.

Idealmente deve fazer primeiro a escovagem do pelo e aspirar posteriormente. Deve repetir esta limpeza sempre que necessário, sendo que a frequência vai depender do tipo de cão e do tipo de pelo.

Remover o pelo da roupa

Para além da limpeza da casa também é muito importante limpar o pelo da roupa e de superfícies como sofás, camas e zonas em que o patudo se deita. Se estas zonas não forem bem limpas, o pelo vai surgir novamente muito mais rapidamente. Para a roupa utilize rolos de limpeza próprios para remoção de pelo.

Daniela Leal

Médica Veterinária de Animais de Companhia

Atividades para fazer com o seu cão ao ar livre: 4 opções para um dia no parque

atividades-para-fazer-com-o-seu-cao-ao-ar-livre

4 atividades para fazer com o seu cão ao ar livre

 

Ter uma rotina com o seu patudo é importante e estas 4 atividades para fazer com o seu cão ao ar livre são excelentes exemplos de como passar umas horas divertidas no parque.

 

Se não souber onde ir consulte exemplos de parques caninos de Norte a Sul do País onde pode levar o seu amigo de quatro patas.

 

Frisbee – O jogo do frisbee é uma das atividades mais saudáveis e divertidas. Precisa apenas de um frisbee, tal como o nome indica, e de convencer o seu patudo a ir buscá-lo até se cansar.

 

Caça ao tesouro – O truque é simples: escolha um dos brinquedos favoritos, ou encontre um que passe a ser o brinquedo favorito do seu patudo, deixe-o farejar e esconda-o. De seguida é só deixá-lo ir em busca do tesouro.

 

Corridas – Se tiver energia para acompanhar o seu patudo esta é uma excelente atividade que não só vai deixar o seu amigo de quatro patas cansado como também ajuda a que o controlo do peso seja feito.

 

Salto de obstáculos – Esta pode ser uma experiência mais desafiante, mas também muito divertida para o seu patudo.

 

Fazer atividades ao ar livre é importante para o seu cão

 

Atividades para fazer com o seu cão ao ar livre são importantes pois todos os patudos precisam de correr e fazer exercício numa base diária para que possam manter uma condição física saudável.

 

O ideal é que tire pelo menos 20 a 30 minutos para brincar com o seu patudo – fará dele um cão saudável e com menos propensão para fazer traquinices em casa.

 

Assim sendo aproveite os dias bonitos de sol para levar o seu patudo ao parque e experimentar uma destas atividades.

Todos os cães devem fazer tosquia?

Para que serve o pelo?

O pelo tem como principal função proteger o patudo de temperaturas extremas – quer do frio quer do calor – bem como de raios ultravioleta. Existem diversas pelagens: curta, comprida, com pelo mais duro ou mais suave e até cães com duas camadas de pelo (a camada exterior e a camada interior ou sub-pelo).

Os cães mudam o pelo essencialmente na mudança de estação, contudo, esta mudança e consequente queda do pelo está muito suscetível à influência da luz solar. Por esse motivo, é comum que cães de apartamento, sujeitos a luz artificial de forma constante, acabem por largar pelo durante todo o ano.

Então por que motivo se deve tosquiar os cães?

Apesar do pelo constituir uma barreira protetora, a tosquia ajuda a renovar o pelo e a mantê-lo forte e saudável. Em alguns cães, principalmente cães de pelo longo, a tosquia ajuda a manter a higiene quer do próprio pelo, quer da pele. Como o pelo cresce mais forte e saudável, a queda de pelo pode diminuir em cães que fazem tosquia de forma regular (contudo os cães continuarão a largar pelo mesmo depois de serem tosquiados!).

Tomar a decisão de tosquiar ou não consoante o tipo de pelo

Nem todos os cães são candidatos a tosquia.

  • Cães de pelo curto, por exemplo, apesar de largarem muito pelo, não são candidatos a tosquia (como é o caso do Labrador).
  • Cães de pelo longo, tendo em conta o corte típico de raça, são candidatos a tosquia para que o pelo possa crescer saudável.
  • Cães de pelo duplo (como Husky ou Pastor Alemão) não são candidatos a tosquia. Nestes casos, o subpelo muda aquando a estação do ano, de forma a que a proteção contra o frio e contra o calor possa ser mantida.

E as tosquias são todas iguais?

Não. A tosquia pode ser realizada à tesoura, à máquina, com diferentes lâminas (que cortam o pelo com diferentes tamanhos, dependendo da lâmina utilizada), ou à mão (stripping). A tosquia deve ser realizada segundo o tipo de pelo e o tipo de raça.

  • Tosquia completa: É feita normalmente com máquina e está indicada em cães com pelo longo, com tendência a ganharem “chocas” ou cães que largam muito pelo.
  • Tosquia higiénica: Tosquia indicada em raças com bastante pelo, em que o objetivo é remover pelo principalmente de zonas que necessitam de higiene mais frequente (perto das patinhas, dos olhos, da barriga e cauda). A maioria dos cães pode realizar este tipo de tosquia de forma regular.
  • Stripping: Tipo de tosquia realizada em cães com pelo cerdoso (como o Schnauzer). O stripping é um tipo de tosquia realizado sem lâmina ou tesoura, sendo que o pelo é removido com a mão.
  • Tosquia de “raça”: Dá-se o nome de tosquia de raça quando a tosquia é feita com base no corte típico para aquela raça. Raças como o caniche ou o Yorkshire Terrier têm um “corte próprio”, que lhes favorece esteticamente.

 

Na maioria das vezes, o banho é dado juntamente com a altura da tosquia. Em alguns cães esta prática é uma questão de higiene que deve ser repetida várias vezes por ano, para além da escovagem regular do pelo.

 

Daniela Leal

Médica Veterinária de Animais de Companhia

3 brinquedos que ajudam o seu cão a ficar entretido por mais tempo

Kong

  • Brinquedo de referência há bastantes anos
  • Brinquedo mordedor de forma irregular e dispensador de biscoitos
  • Constituição: borracha
  • Pode colocar snacks no seu interior para o cão os tentar retirar, proporcionando largos minutos de distração
  • Muito resistente
  • Tamanho adaptado a cada cão

 

Tasty Bone Nylon 

  • Brinquedo mordedor em forma de osso
  • Constituição: nylon
  • Sabor agradável a bacon ou carne de vaca
  • Satisfaz a necessidade de roer que os nossos cães apresentam
  • Cuida da higiene dentária prevenindo a formação de tártaro
  • Fortalece os maxilares e ajuda a manter os dentes fortes
  • É seguro em caso de ingestão de alguns fragmentos
  • Tamanho adaptado a cada cão

 

Karlie Doggy Brain

  • Estimula a capacidade cognitiva do seu patudo
  • Possui 2 jogos:
  •  sachê: coloca os snacks nos buracos debaixo das peças e o seu patudo tem de as derrubar para poder encontrar e aceder aos biscoitos
  • slider: o seu cão tem de usar as peças que deslizam para aceder aos orifícios de forma a alcançar os biscoitos
  • Adaptado para qualquer cão.

 

 

Rita Moita Ferreira

Médica Veterinária de Animais de Companhia