O meu cão persegue a sua cauda. Porquê?

Porque é que o meu cão tenta agarrar a cauda?

Apesar da maioria das pessoas considerar que um cão faz isso por brincadeira, nem sempre é assim. Existem várias causas para ele exibir este comportamento, tais como:

  • Estímulos e atividade insuficientes: cães que não desgastam adequadamente a sua energia, mantém-se demasiado ativos e excitados, podendo apresentar este comportamento.
  • Ansiedade: situações como ficarem sozinhos, terem de contactar com novas pessoas ou animais ou serem sujeitos a ruídos fortes e “assustadores” (ex: trovoada; fogo de artifício) são vários contextos em que esta manifestação pode ser exibida, como resultado do aumento agudo dos níveis de ansiedade.
  • Tédio: cães com falta de entretenimento, podem perseguir a cauda como forma de distração.
  • Conhecimento e exploração natural do seu corpo: os cachorros, tal como as crianças, passam por um processo de autoconhecimento do corpo. Durante o mesmo, é normal que tentem agarrar a cauda, e não é de estranhar que numa primeira fase possam percepcionar aquela estrutura como um brinquedo e não como parte da sua anatomia.
  • Alteração do estado mental em idades avançadas: cães séniores podem desenvolver, com o tempo, algum grau de disfunção cognitiva, manifestando este tipo de comportamentos inadequados.
  • Comportamentos de compulsão: estudos recentes identificaram manifestações comportamentais em cães, muito semelhantes àquelas que são observadas em seres humanos diagnosticados com TOC (transtorno obsessivo-compulsivo).
  • Problemas neurológicos: várias patologias que cursam com alterações do estado mental podem ter este tipo de comportamento como sinal. De realçar, a epilepsia idiopática.
  • Prurido ou desconforto na região perianal: o cão poderá tentar agarrar a cauda, como resultado de comichão e desconforto local, seja pela presença de pulgas, parasitas intestinais, inflamação/ impactação dos sacos perianais ou alergia (ex: alimentar).
  • Trauma: se a cauda tiver sido traumatizada (ex: ter ficado “entalada” numa porta), o cão tenderá a tentar agarrá-la, na tentativa de alívio da dor.

Quais os riscos e consequências deste comportamento?

Este comportamento, se repetido de forma sistemática, poderá acarretar consequências para a saúde do animal, resultantes do auto-traumatismo da região.

O que fazer para evitar este comportamento?

  • Ignorá-lo: se o tutor demonstrar que acha engraçada a situação, ele tenderá a repetir por considerar uma brincadeira. Se, por outro lado, o punir e castigar, irá aumentar-lhe os níveis de ansiedade, que poderão ser o que está justamente na base desta manifestação comportamental.
  • Redirecionar a atenção: assim que o veja a perseguir a cauda, ofereça-lhe um brinquedo para ele brincar.
  • Aumentar o nível de atividade: se conseguir mantê-lo entretido e a desgastar a sua energia diária, menos provável será que ele perca tempo atrás da cauda.
  • Identificar a causa subjacente: fale com o seu médico veterinário que, através da história e evolução deste comportamento, bem como do exame clínico, saberá explicar-lhe a origem do mesmo. Se considerar um distúrbio comportamental, como a causa principal, poderá ainda aconselhar-lhe uma consulta de comportamento, onde através de modificação comportamental e/ou a prescrição medicamentosa, se procurará eliminar esta prática.

Tomás Magalhães      

Médico Veterinário

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *