Come si organizza un piano di addestramento per il mio cane?

Perché dovrei addestrare il mio cane?

L’addestramento è importante per un cane affinché sia mentalmente equilibrato e socievole. Tali comportamenti vengono insegnati attraverso comandi che possono essere forniti dal proprietario o da professionisti.

 

Tutti i cani devono essere addestrati?

Sì, il tipo di addestramento varia a seconda del livello di apprendimento desiderato dal proprietario. Per esempio, un cane di famiglia dovrebbe avere un addestramento di base all’obbedienza per avere l’autocontrollo e rispettare le regole-base della casa.

 

Quali tipi di addestramento esistono?

  • Training individualizzato/risoluzione dei problemi comportamentali;
  • Training di base di obbedienza/socializzazione;
  • Training avanzato di obbedienza;

A seconda del tipo di addestramento, potreste aver bisogno dell’aiuto di un professionista.

 

Come posso programmare un piano di addestramento per il mio cane?

L’addestramento di un cane dovrebbe essere basato sulle ricompense: rafforzamento positivo e mai punizione. Ogni giorno si dovrebbe cercare di insegnare il comportamento previsto fino a quando non avrà imparato.
Alcuni comandi di base che dovreste insegnare al vostro cane:

  • Seduto:

  • Fermo:

 

  • A terra;
  • Cammina al guinzaglio;
  • Torna quando il proprietario chiama;

Wie entwickle ich einen Trainingsplan für meinen Hund?

Warum sollte ich meinen Hund trainieren?

Die Ausbildung ist wichtig, damit der Hund ausgeglichen und sozial ist. Verhaltensweisen werden durch Kommandos vermittelt – ein Training, das entweder vom Besitzer oder von anderen Fachleuten durchgeführt werden kann.

Sollten alle Hunde trainiert werden?

Ja, die Art und Intensität der Ausbildung variiert je nach dem gewünschten Ausbildungsgrad des Besitzers. Zum Beispiel sollte ein Familienhund einer Grundausbildung in Gehorsam unterzogen werden, um Selbstkontrolle zu erlernen und die Grundregeln des Hauses zu kennen und zu achten.

 

Welche Art von Ausbildung gibt es?

  • Individualisiertes Training / Lösung von Verhaltensproblemen;
  • Grundlegendes Gehorsam / Sozialisations-Training;
  • Fortgeschrittenes Gehorsam-Training;

Abhängig von der Art der Ausbildung, die du suchst, benötigst du möglicherweise Hilfe von einem Experten.

Wie programmiere ich einen Trainingsplan für meinen Hund?

Die Art und Weise, wie ein Hund trainiert wird, sollte auf Belohnung und positiver Unterstützung basieren und niemals auf Bestrafung. Du solltest versuchen das gewünschte Verhalten jeden Tag zu stärken, bis dein Hund es erlernt hat.Einige grundlegende Befehle solltest du deinem Hund beibringen:

 

  • Sitz:

  • Bleib:

  • Platz;
  • Zusammen an der Leine gehen;
  • Rückkehr, wenn der Besitzer ruft – Ruf;

 

¿Cómo programar un plan de entrenamiento para mi perro?

¿Por qué debería entrenar a mi perro?

El entrenamiento es importante para que el perro sea mentalmente equilibrado y social. Tales comportamientos se enseñan a través de señales-adiestramiento que pueden ser proporcionados por el dueño o por profesionales.

¿Deben entrenarse todos los perros?

Sí, el tipo de adiestramiento varía según el nivel de aprendizaje deseado por el dueño. Por ejemplo, un perro de la familia debe tener un entrenamiento básico de obediencia para tener autocontrol y conocimiento de las reglas básicas de la casa.

¿Qué tipos de entrenamiento hay?

  • Entrenamiento individualizado/resolución de problemas de comportamiento;
  • Entrenamiento básico de obediencia/socialización;
  • Entrenamiento avanzado de obediencia;
    Dependiendo del tipo de entrenamiento que estés buscando, puedes necesitar la ayuda de un profesional.

 

 

¿Cómo programar un plan de entrenamiento para mi perro?

El entrenamiento de un perro debe basarse en recompensas: refuerzo positivo y nunca en castigos. Todos los días debes reforzar el comportamiento pretendido hasta que aprenda.
Algunas señales básicas que debes enseñar a tu patudo:

  • Sentar:

  • Quieto:

  • Acostar;
  • Caminar con correa;
  • Regresar cuando el dueño lo llama;

 

Filipa Calejo

Veterinaria de Mascotas

O que é a cinomose canina? Sinais e tratamento.

Quais os animais em risco?

Todos os cães, sendo o risco maior em cachorros e animais não vacinados.

Como é transmitido?

Pelo contacto direto entre cães, sendo também possível ser transmissível por secreções, fezes, urina e saliva. O isolamento de animais com doença e medidas de prevenção de contagio são fundamentais – como uso de luvas descartáveis, mudança de roupa, desinfeção do local, etc.

É contagioso para as pessoas?

As pessoas não são afetadas, no entanto podem ser fontes do contágio através da roupa, mãos ou luvas contaminadas.

Quais os sintomas?

O vírus afeta o sistema respiratório, digestivo e nervoso.

O primeiro sintoma é a febre, aparecendo posteriormente:

  • Secreções nasais mucopurulentas
  • Espirros e tosse
  • Vómitos e diarreia
  • Secreções oculares mucopurulentas
  • Pneumonia
  • Perda de apetite
  • Quando afeta o sistema nervoso provoca convulsões, depressão, fraqueza nos membros, paresia e ataxia.

Como é realizado o diagnóstico?

Através da pesquisa de anticorpos ou detecção do vírus – análises.

Qual o tratamento?

Não existe cura, o tratamento consiste em controlar a sintomatologia provocada pelo vírus e as infecções bacterianas secundárias.

É necessário a hospitalização (internamento na zona infecto-contagiosa) para a realização fluidoterapia e tratamento sintomático dos vómitos, diarreia, tosse, etc.

O prognóstico é reservado, e quando afeta o sistema nervoso central é mau.

Como prevenir?

  • A vacinação é essencial, fazendo parte do protocolo vacinal dos cachorros e de revacinação anual;
  • Isolamento dos animais com a doença;
  • Limpeza e desinfeção de locais e objetos em contacto com animais infectados com o vírus;

 

 

Filipa Calejo

Médica Veterinária de Animais de Companhia

Saiba quais as praias onde pode ir com o seu cão

As praias dog-friendly que pode ir com o seu companheiro de 4 patas:

  • Praia do Portinho da Areia Norte, Peniche
  • Praia do Coral, Viana do Castelo
  • Praia Suave Mar, Esposende
  •  Praia da Ramalha Sul, Esposende

Deverá cumprir as regras da praia, como andar com a trela e recolher os dejectos, em caso de incumprimento poderá ser multado.

Nas praias não concessionadas e não vigiadas também pode levar o seu patudo, excepto naquelas que tiverem um aviso na entrada das mesmas a proibir a entrada a cães.

 

Check-list para praia:

·      Água – bebedouro e muita água é fundamental

·      Trela

·      Saco de dejetos

·      Toalha da praia

·      Guarda-sol

·      Biscoitos

·      Brinquedos

 

Veja aqui os cuidados a ter após um dia de praia.

 

Filipa Calejo

Médica Veterinária de Animais de Companhia

3 Doenças mais comuns de um bull terrier

Doenças mais comuns:

  • Surdez: comum nos Bull Terrier de cor branca. Pode ser bilateral ou apenas afectar um dos ouvidos;

 

  • Problemas dermatológicos: predisposto a alergias. Os cães de cor branca ainda requerem mais atenção na altura da primavera e verão, devendo mesmo evitar a exposição solar.
    • Dermatose solar canina: afecta zonas de pêlo escasso como nariz e tronco provocando eritema e descamação podendo evoluir para úlceras. É recomendado evitar exposição solar, assim como passeios nas horas de calor mais intenso. O uso de protetor solar (factor solar 30 ou mais elevado) duas vezes ao dia nas zonas mais suscetíveis é recomendado.

 

  • Doença renal: insuficiência renal crónica é comum em animais de meia idade. Mais recentemente também foi reconhecida predisposição para rins poliquísticos. Recomenda-se check-up renal (análises clínica e ecografia abdominal) anuais a partir dos 5-6 anos, de modo a haver detecção precoce.

 

 

Filipa Calejo

Médica Veterinária de Animais de Companhia

O meu cão está a ladrar muito: o que fazer?

Porque meu cão está constantemente a ladrar?

Existem várias razões para a vocalização excessiva, como:

  • Forma de sinal de aviso/alerta – por exemplo avisar que o carteiro está a chegar;
  • Por excitação
  • Por ansiedade, ansiedade por separação
  • Por tédio
  • Agressividade por medo
  • Reposta a outros animais
  • Síndrome alteração cognitiva

 

Como ensinar o meu cão a não ladrar?

Se conseguir identificar a motivo da vocalização será mais fácil a sua correção.

 

Algumas dicas:

  • Deverá ignorar o seu comportamento quando estiver a ladrar, e premiar com reforço positivo quando parar de ladrar.
  • Tente desviar a sua atenção, dar-lhe o seu brinquedo favorito, assim não conseguirá ladrar
  • Poderá ser necessário ajuda de um especialista como treinador para ajudar a inibir este tipo de comportamento, especialmente se o seu patudo ladrar quando não estiver em casa.

 

Veja aqui mais informações sobre alterações comportamentais em cães adultos.

 

Filipa Calejo

Médica Veterinária de Animais de Companhia

Como manter os cães hidratados no verão?

A hidratação é fundamental para diminuir o risco de insolação ou de golpes de calor.

 

Algumas dicas para ajudar o meu patudo estar hidratado em casa:

  • Ter sempre água fresca e limpa à disposição – pode colocar cubos de gelo para água estar fresquinha ao longo do dia;
  • Ter vários pontos de água;
  • Gelados caseiros – muito fácil e eles adoram! Pode usar comida húmida ou flavour ou mesmo fruta é só adicionar água e depois colocar no congelador – se colocar este preparado dentro de um brinquedo, o seu patudo vai adorar e é ótimo para quando está sozinho em casa nem vai ver o tempo a passar =)
  • Ter sempre um local com sombra e fresco para relaxar.

 

Algumas dicas para ajudar o meu patudo estar hidratado fora de casa:

  • Evitar passeios nas horas mais quentes;
  • Levar sempre água e um recipiente para beber – existem várias opções práticas e funcionais para os passeios, desde taças a garrafas adaptadas para cães;
  • Ter sempre um local com sombra e fresco para relaxar.

 

 

Filipa Calejo

Médica Veterinária de Animais de Companhia

Como ensinar o meu cão a nadar?

nuoto cane

Como ensinar o meu cão a nadar?

 

  • Escolha do local 

O primeiro ponto importante a considerar é a escolha do local – deverá ser num ambiente calmo e com boa visibilidade (água translúcida) como uma piscina ou lago.

Deve evitar o rio, devido à fortes correntes.

 

  • Brinquedos e biscoitos

Utilize biscoitos e brinquedos como reforço positivo, transforme esta aprendizagem num momento de diversão.

 

  • Ambientação à água

Deixe o seu patudo habituar –se à água, começar por molhar a patas e chapinar. Atire–lhe um brinquedo para uma parte rasa, de forma que molhe apenas as patas para ao ir buscá-lo e depois recompense-o com um biscoito.

 

  • Ensinar a nada

Quando seu cão já estiver confortável com as brincadeiras à beira da água, podemos então ensiná-lo a nadar.

Pegue nele ao colo (caso seja muito grande deverá estar sempre do seu lado) e entre na água até ter água pela cintura, depois coloque o na água e mantenha as suas mãos sob a sua barriga – não o solte. Observe se ele começa a movimentar as patas – reação instintiva – permita que ele nade sozinho, mas continue a segura-lo até que ele se desloque de forma estável e segura. Repita este processo as vezes necessárias.

 

 

  • Sair da água

Um ponto fundamental, principalmente nas piscinas! Ensine o seu patudo a sair da água, vire-o na direção correta e chame-o.

No caso das piscinas mostre-lhe onde estão as escadas, idealmente deverá conseguir sair sozinho sem o seu auxílio.

 

DICAS:

  • Informe –se relativamente à aptidão para nadar da raça do seu companheiro;
  • Respeite o seu tempo de aprendizagem;
  • Não o atire nem o force a entrar na água;
  • No caso de animais mais velhos ou em baixa forma física deverá ter atenção redobrada – irão cansar-se mais rápido!
  • Em locais de correntes, como mar ou rio poderá recorrer ao uso de coletes salva-vidas para cão. Pode ainda colocar uma trela ou guia de forma a não permitir que ele se afaste muito e em caso de necessidade consegue rapidamente ajudá-lo.

 

Filipa Calejo

Médica Veterinária de Animais de Companhia

 

Terapia assistida por cães. Em que consiste?

Quais as áreas onde são aplicadas as terapias com cães?

Estas terapias podem ser aplicadas em áreas relacionadas com o desenvolvimento psicomotor e sensorial, no tratamento de patologias físicas, emocionais e mentais, assim como em programas de autoestima e de melhoramento de capacidades de socialização.

As atividades podem ser dirigidas a pessoas de qualquer faixa etária, sendo realizadas em diferentes instituições como hospitais, lares, escolas, estabelecimento prisional, IPSS e clínicas de recuperação ou reabilitação.

Todo o processo é acompanhado e documentado por um profissional de saúde.

Qual a razão de incluir cães nas sessões de terapia?

A presença do cão ajuda a diminuir a solidão, a depressão e ansiedade e aumentar o foco e estímulos para a prática de exercícios.

Qualquer animal pode fazer parte de uma sessão de terapia?

Não, são animais previamente treinados. São cães com características especificas: animais calmos e equilibrados, socialmente aptos, obedientes e com um treino adequado.

 

Filipa Calejo

Médica Veterinária de Animais de Companhia