Cosa sono gli speroni dei cani?

Cosa sono gli speroni?

Lo sperone rappresenta una vestigia del primo dito dei vecchi antenati del cane, è posizionato lungo il lato inferiore della zampa e non tocca il terreno quando il cane è in posizione eretta. Seppur gli speroni possono essere presenti sia sulle zampe anteriori che su quelle posteriori, possono altresì non essere presenti affatto. Per intenderci, sono delle dita accessorie, che nel corso dell’evoluzione canina hanno perso la loro funzione e parallelamente la loro ragione di esistere. Ecco perché in alcuni cani non sono presenti. Paradossalmente in alcuni esemplari, gli speroni possono prestarsi anche in numero doppio sulla stessa zampa: Non è infatti strano trovare due unghie che partono all’altezza dello stesso sperone di una zampa.

A cosa servono gli speroni?

Gli speroni non hanno alcuna funzione specifica ne per l’andatura ne per la corsa dell’animale. Se nella maggior parte dei casi possono tranquillamente rimanere inosservati sulle zampe del cane, in alcuni casi (cane da caccia, cane sportivo, cane con tendenza a ferirsi gli speroni) è possibile prevedere la loro rimozione chirurgica. Spesso al fine di non dover addormentare il cane per la mera rimozione degli speroni, tale pratica può essere eseguita preventivamente in concomitanza di una anestesia programmata per motivi ben più seri come una castrazione o la sterilizzazione della femmina.

Possibili lesioni e trattamento

Ogni qualvolta gli speroni vengono trascurati e le loro unghie lasciate crescere troppo, queste tendono ad arricciarsi su se stesse, con il rischio di perforare la cute. Nei casi più gravi col tempo può instaurarsi un’infezione con presenza di materiale purulento.
Un altro problema associato alla presenza degli speroni è la loro rottura o lacerazione per traumi: tipico dei cani che vivono o effettuano spesso camminate su terreni accidentati, ma anche nell’ambiente domestico gli speroni possono rimanere intrappolati all’interno della trama di copertine o cucce e lacerarsi col movimento della zampa. Data la dolorabilità della lesione è sempre preferibile contattare il proprio medico veterinario per la valutazione della gravità della situazione e per la prescrizione di antinfiammatori antidolorifici. La prescrizione dell’eventuale copertura antibiotica topica od orale sarà valutata solo in base all’estensione della lesione.

Dott.ssa Alessia Troli
Medico Veterinario Barkyn

Mistério de Natal desvendado: o meu cão pode comer bacalhau?

Abriu oficialmente a época Natalícia, repleta de tradições e miminhos! A ceia de Natal é, sem dúvida, um dos momentos mais esperados ao longo do ano e, como tal, o seu melhor amigo de quatro patas tem de estar presente!

Será que o nosso cão pode comer bacalhau?

A resposta é sim! Os cães podem comer bacalhau desde que devidamente preparado e confecionado. O bacalhau é um peixe branco utilizado como fonte de proteína em muitos alimentos para animais. Este ingrediente fornece uma quantidade considerável de minerais essenciais para o desenvolvimento dos nossos cães, como o cálcio e o fósforo. Além disso, é uma fonte natural de vitaminas A e B (B3, B9 e B12). Sendo um peixe branco, o seu teor em gordura é menor, podendo ser uma boa opção para cães seniores ou com excesso de peso.

Contudo, antes de oferecer este pitéu, deverá ter alguns cuidados:

  • Cozê-lo é a forma mais adequada de cozinhar este alimento
  • Não deverá adicionar quaisquer temperos (sal, pimenta, cebola, alho, entre outros) ao peixe
  • É aconselhável desfiar e separar bocadinhos de bacalhau sem espinhas e/ou pele, de forma a evitar que se alojem ou causem problemas no aparelho digestivo do seu cão

Como todos os alimentos que não sejam incluídos na dieta regular do seu patudo, o bacalhau deve ser oferecido em quantidades limitadas e apenas ocasionalmente. Alguns cães não reagem bem quando sujeitos a alterações alimentares e podem manifestar sinais como diarreia, vómito ou perda de apetite. Lembre-se sempre de consultar o seu Médico Veterinário habitual, em caso de dúvidas.

Ana Matias

Médica Veterinária

5 formas de dizer ao seu cão que o ama

Era mais fácil que os nossos patudos conseguissem falar e percebessem tudo o que lhes dizemos, mas como ainda não temos forma de o fazer, deixo-lhe pequenos truques para que possa expressar todo o amor que sente pelo seu cão:

  • Brincadeira e exercício físico: não à nada melhor que para o seu cão que poder passar tempo consigo e se for a fazer alguma atividade que envolva saltos e corrida não pode ser melhor. Assim programe uma caminhada e aproveite para lhe dar uma trela um pouco mais longa, ou então, um brinquedo novo em que possam os dois jogar durante a tarde, o seu cão vai amar e vai fazer bem a si e a ele!
  • Ensine-lhe truques novos: o treino com base no reforço positivo pode ser uma excelente forma de criar e mostrar ao seu cão o quanto gosta dele. Pois além de estar a ensina-lo está a dar-lhe atenção e mimo. Vai ajuda-lo a manter a mente ativa, inclui a atividade física necessária para o seu patudo e é um ótimo exercício para aqueles dias em que o passeio tem de ser mais rápido porque o tempo está chuvoso.
  • Faça-lhe festas, muitas festas: mais simples é difícil. Aqui as festas ou massagem devem ser feitas na zona que ele mais gostar. A maioria dos cães adora receber festas na barriga, no pescoço e atrás das orelhas, quaisquer mimos num destes sítios vai fazer as delícias do seu patudo. Evite locais que ele não gosta como as patas, as almofadas plantares ou mesmo o focinho.
  • Dê snacks saudáveis ao seu cão: que tal mimar o seu cão porque lhe apetece? E porquê não o fazer-lo de uma forma diferente?! Muitos de nós simplesmente vai a prateleira e tira o primeiro biscoito/snack que encontrar e dá-lhe. Mas como dias não são dias, porque não experimentar fazer-lhe uma receita de biscoitos ou que tal um gelado, sem dúvida que o seu cão vai perceber o quanto o ama e vai ficar bastante contente!
  • Deixe que o seu cão durma consigo: Pode ser uma simples sesta durante o fim-de-semana ou mesmo uma noite de exceção onde o deixa subir para a sua cama. Este pequeno gesto vai transmitir segurança e conforto para o seu patudo e vai ajudar a fortalecer os laços afetivos entre os dois.

Já disse ao seu cão que o ama? Não perca tempo em retribuir todo o amor e carinho ♥

 

Maria Beatriz Mariano

Médica Veterinária

 

 

 

5 productos que todos los dueños de perros deberían tener

¿Qué necesita mi perro?

El mundo de los complementos caninos es muy amplio y cada vez crece más, y es que el cuidado de un perro ya no se reduce solo en darle una alimentación de calidad y cuidar de su salud, si no que hay un montón de artículos (unos útiles y otros no tanto) que están pensado nuestro fiel amigo.

Entre tanto artículo donde podemos elegir, te mostramos los 5 que nos parecen más necesarios y útiles para todo propietario y su mascota:

  • Cama: una cama cómoda, adaptada al tamaño y peso de nuestro perro, es una de las cosas más importante que debemos ofrecerle a nuestro can. Como ocurre en las personas, el descanso es vital para la salud y bienestar de nuestro perro, por lo que debemos proporcionarle una cama adecuada, que no se hunda con su peso y sea lo suficientemente mullida para que no esté incómodo. Si el perro tiene una cama en condiciones, seguro que evitamos en gran medida que se suba a sofás y a la cama.
  • Comedero y bebedero: los recipientes donde coma y beba deben ser de un tamaño adecuado, fáciles de limpiar y de materiales que no dejen olores o sabor al alimento o al agua. En este caso recomiendo los fabricados con cerámica, aunque son más delicados que los de plástico o metálicos, la calidad es mayor y mantienen el agua más fresca y sin sabores.
  • Collar/arnés: importante elegir también los complementos para el paseo. Quizá en este punto es donde encontremos más variedad, ya que hay collares de diferente tipo y anchuras, arneses de todas las formas, etc. Según las características del perro y las preferencias, se puede elegir uno u otro indistintamente. De forma general, se prefiere arnés para perros pequeños y collar para perros más grandes, pero lo ideal es que el perro esté cómodo y el paseo sea relajado tanto para propietario como para mascota.
  • Juguetes: en este punto hay un número infinito de opciones pero no hay que perder la cabeza, con 3-5 juguetes es más que suficiente para un perro y siempre va a elegir el último que se le haya dado (son como niños). Uno de los juguetes que no deben faltar son los rellenables tipo Kong, solo hay que rellenarlo de chuches o pienso y estará un buen rato entretenido.
  • Cepillo: el cepillado es necesario en todos los perros, no solo en los que tienen el pelo largo. Con el cepillado eliminamos el pelo muerto y reactivamos la circulación de la piel para obtener un pelo más sano y brillante. Hay gran variedad de cepillos según la longitud y tipo de pelo, pero uno de los más recomendados es el Furminator, que tiene también diferentes variedades según el pelaje.

Irene Martinez

Médica Veterinaria

5 produtos que todos os donos de cães devem ter

Acolher um novo membro da família em casa implica, como todos sabemos, algumas necessidades específicas de forma a poder proporcionar-lhe uma vida confortável. Além de uma ração de qualidade, uma zona de descanso confortável, tempo e disponibilidade para ele, existem alguns objetos que lhe vão facilitar a vida. Fique a conhecer o meu Top 5:

 Kong

O Kong consiste num brinquedo de plástico com um orifício pequeno em que pode introduzir uns biscoitos próprios da marca ou criar uma pasta caseira (com ração e banana, por exemplo) para introduzir no seu interior. Isto permite que o animal fique entretido durante algum tempo e é ideal para aqueles animais destruidores ou que ficam muito stressados por ficarem sozinhos.

Escova

Todos os tutores sabem que a queda de pelo faz parte do dia a dia de quem tem um patudo por casa, sendo que há alturas piores que outras. A escovagem semanal deve fazer parte da rotina dos nossos animais. Para isso é essencial que tenha uma escova de qualidade que não só seja confortável para eles mas que também consiga remover todo o pelo morto com eficácia.

Produtos de higiene oral

Sabia que com o avançar da idade, é muito comum os nossos cães sofrerem de problemas dentários, como tártaro, gengivite e mesmo queda de dentes? Isto acontece muitas vezes pois a higiene oral não é feita com regularidade e pode ser uma fonte de dor muito grande para o animal. Para evitar que isso aconteça deve habituar o seu patudo, desde muito cedo, à escovagem diária dos dentes, com uma pasta dentífrica indicada para cães. Existem também elixires que podem ser adicionados à água do seu animal para ajudar no hálito e a manter a boca mais saudável.

Produtos para higiene do pelo

Sabia que os nossos patudos não devem tomar banho com muita frequência? Ainda assim, quando o fazem deve ser com um champô de qualidade, adaptado ao seu tipo de pelo. Além dos banhos, pode também utilizar toalhitas próprias para o efeito para retirar as impurezas do pelo e manter um odor mais agradável.

Peitoral e trela

Independentemente do porte do seu patudo, os passeios são essenciais! Desde que tenha o protocolo vacinal em dia, a rotina de passeio deve fazer parte do dia-a-dia do seu cão. Permite-lhes explorar, treinar o olfato, socializar e é uma grande fonte de prazer para o seu companheiro de quatro patas. No entanto, deve ser sempre feito com recurso a trela e peitoral e nunca à solta (exceto em locais indicados para o efeito). O peitoral, regra geral, acaba por ser mais confortável que a coleira, pois distribui as forças ao longo do corpo do animal e não apenas no pescoço. Qual escolher depende sempre do seu gosto pessoal!

 

Quais destes artigos já está habituado a usar e quais são novidades para si?

Espero ter ajudado a proporcionar o maior conforto e bem-estar ao seu amor de quatro patas! 🙂

 

Ana Cláudia Gonçalves

Médica Veterinária de Animais de Companhia

Qual é a coisa que o seu cão mais gosta de destruir?

São histórias reais, de patudos bem malandros que deram algumas dores de cabeça aos seus donos com as suas asneiras. Mas também uma recordação que sempre que se lembram ficam de sorriso na cara! 

Passamos a apresentar algumas histórias partilhadas com a equipa Barkyn:

 

“Além de comandos de televisão, meias, toalhas de casa de banho… A mais requintada foi roer a lente dos meus óculos sem destruir a armação!”

Zaida, a melhor amiga do Zazu

 

 

“O Poker roeu 4 pára-choques, 1 sistema de rega, 1 holofote, uma rede de piscina, uma bomba de encher pneus, 1 frasco de protetor solar cheio, uns quantos sapatos…
Tirando isso, nunca roeu os brinquedos dele!”

Margarida, a melhor amiga do Poker

 

 

“O Moka, com 6 meses, descobriu recentemente um passatempo incrivelmente divertido: arrancar o chão flutuante entre a casa de banho e o corredor.”

Ana, a melhor amiga do Moka

 

 

“O Spaike quando tinha um ano adorava arrancar pára-brisas dos carros…
Podem imaginar a nossa cara quando vimos ao acordar os carros sem pára-brisas. Conclusão: nunca mais deixamos os carros dentro de casa!”

Rita, a melhor amiga do Spaike

 

 

“A Jack sonha ser eletricista, mas até então as coisas não lhe correm tão bem quanto expectável…
As suas principais obras cá em casa foram roer os fios elétricos do frigorífico e do aquecedor.”

Ana, a melhor amiga da Jack

 

 

“A Kika tem um amor louco por meias…
Quando ela consegue chegar aos quartos dos miúdos e a vemos a correr pelas escadas para o jardim, tipo flecha, já sabemos que rapinou meias!”

Vânia, a melhor amiga da Kika

 

 

“Começamos a enumerar os seus feitos destruidores com nomes, como fazem em Game of Thrones: Joy, the Dog from Hell, Internet Smiter, Furniture Eater, All around Bad Girl.”

Bruno, o melhor amigo da Joy

 

“A Bolota há cerca de dois meses decidiu invadir o estojo de maquilhagem da dona e comeu dois batons cor de rosa.Pintou patas, cara e almofadas. E quando foi à rua fazer as suas necessidades a surpresa era cor de rosa”

Ana, a melhor amiga da Bolota

 

Alguma semelhança com as asneiras do seu cão é pura coincidência!?

 

 

 

Lupo Ibrido

Un lupo ibrido è un canide ibrido risultato dell’incrocio tra un Canis lupus familiaris, un “cane”, ed altre sottospecie di Canis lupus. Nel gergo della cinofilia viene anche definito cane lupo, definizione che vale anche per qualsiasi cane, ivi comprese razze canine “canoniche” (es. pastore tedesco), nel cui corredo genetico, sino alla quinta generazione, figuri l’incrocio con il lupo selvatico.

Nei casi di ibridi manipolati dall’uomo, la prima generazione è quasi sempre ottenuta dall’incrocio tra un lupo selvatico ed un cane di tipo “lupoide” quale il pastore tedesco, il siberian husky o l’alaskan malamute.
Tutte le razze canine che conosciamo derivano dall’addomesticamento di lupi avvenuto migliaia di anni fa. Oggi il rapporto tra lupi e cani è molto complesso ma essendo quindi strettamente affini, lupi e cani possono incrociarsi e produrre prole fertile.
In Toscana esemplari ibridi (ovvero generati dall’incrocio cane-lupo) sono stati confermati sull’Apennino Tosco emiliano, nel Senese, nell’Amiata e nel Parco della Maremma.

Comportamento

Il comportamento di un lupo ibrido può variare dalla vita nel branco di lupi, dove di solito resta di rango inferiore, ma più spesso preferisce la vita solitaria accompagnandosi occasionalmente coi compagni di cucciolata suoi simili. Essendo un predatore solitario di solito viene scacciato dagli altri lupi e si rifugia in ambienti antropizzati dove potrebbe attaccare piccoli animali da cortile.

Rispetto al lupo, un lupo ibrido è meno timoroso nei confronti dell’uomo, seppur tale distinzione valga solo nel confronto con le sottospecie di lupo diffuse nei paesi ad alta antropizzazione. Sono rarissimi i casi di aggressione all’uomo, di fronte al quale preferisce sempre la fuga.
Si è notato un aumento di questo tipo di animali per via del fatto che ormai i lupi si avvicinano sempre di più ai centri abitati e arrivano ad avere più interazioni con i cani domestici.

A causa degli incroci con il cane, il lupo rischia di veder diluirsi la sua identità genetica, con il rischio di perdere quegli adattamenti acquisiti nel corso di milioni di anni attraverso la selezione naturale.

Dott.ssa Aurora Busti
Medico Veterinario Barkyn

Magnesio para perros

¿Dónde se encuentra y para qué sirve el magnesio?

El magnesio se encuentra principalmente almacenado en huesos, ayudando en la estructura del esqueleto pero, además de esta función, tiene otras en musculatura lisa, interviniendo también en otras rutas metabólicas.

En los alimentos se puede encontrar en mayor proporción en legumbres, cereales y lácteos.

¿Son necesarios los suplementos de magnesio?

Las dietas comerciales de calidad ya incorporan las cantidades necesarias de magnesio para el animal, por tanto no sería necesario suplementarlo pero, en algunos estados de salud, puede ser necesario suplementar con este oligoelemento para evitar otros problemas, por ejemplo:

  • Preeclampsia en perras gestantes o lactantes: bajada de la concentración sanguínea de calcio.
  • Algunos tipos de arritmias.
  • Diabetes: controla la glucemia.
  • Colesterol: ayuda a disminuir los triglicéridos en sangre y aumenta la HDL (colesterol bueno).
  • Hipertensión: ayuda a reducir la tensión en combinación con fármacos más específicos.
  • Problemas articulares: en combinación con condroprotectores.

¿Qué síntomas provoca la hipermagnesemia?

Como siempre ocurre con otros minerales y vitaminas, el exceso tampoco es recomendable y puede causar problemas muy graves. El exceso de magnesio en sangre puede provocar:

  • Vómitos.
  • Hipotensión.
  • Bradicardia (disminución de la frecuencia cardiaca).
  • Parálisis.
  • Disminución de la frecuencia respiratoria.
  • Pérdida de reflejos.
  • Paro cardíaco.
  • Coma.

Este aumento del magnesio en sangre puede aparecer por una sobredosificación, pero también en casos de estreñimiento grave, enfermedades endocrinas (Cushing, hipotiroidismo…), insuficiencia
renal
, etc.

¿Qué síntomas provoca la hipomagnesemia?

Es muy raro que un perro tenga niveles de magnesio bajos pero en pacientes críticos puede suceder, por ejemplo en casos de inanición prolongada, tratamiento con diuréticos, insuficiencia pancreática,
etc.

El déficit de magnesio en sangre provoca también una bajada del potasio y el calcio en sangre, causando:

  • Arritmias cardíacas.
  • Síntomas neurológicos: depresión mental, coma, convulsiones.
  • Anorexia.
  • Vómitos.

Siempre ante de empezar con cualquier suplemento, es necesario consultarlo con vuestro veterinario habitual, es la mejor forma de evitar sustos.

Irene Martinez

Médica Veterinaria

Una receta navideña para tu perro

Nos vamos a volver unos chefs de primera y os vamos a enseñar dos recetas con distintas opciones para que vuestros perros puedan disfrutar de las comidas y cenas de estas fiestas tan señaladas.

Rollitos de pollo rellenos de bastoncillos de zanahoria.

Receta de estrella Michelin donde las haya. Aparte de sencilla, es muy sabrosa y nutritiva y les suele encantar a todos los peludos. No obstante, no es apta para aquellos que tengan intolerancia o alergia al pollo.

La receta es muy simple. Abrimos la pechuga a la mitad sin cortarla del todo. Con ayuda de un martillo, aplastamos las pechugas para conseguir que se vuelvan más delgadas y manejables. A continuación, cortamos las zanahorias en juliana (podemos hacerlo sin pelarlas, si previamente las hemos lavado bien).

Con la zanahoria troceada en bastones, procedemos a colocarlas en el centro de la pechuga. No pasa nada si sobresale por los lados, más verdura para el perro. Una vez hecho esto, procedemos a cerrar la pechuga y hacer un rollito, como si de un canelón se tratase. Una vez enrollado, nos ayudaremos de un hilo de cocinar para evitar que se abra.

Con el rollito formado, ponemos a calentar en una olla una buena cantidad de agua. Cuando empiece a hervir, introducimos dentro el rollito con cuidado de no quemarnos. Cuando veamos que el pollo empieza a estar claro, al cabo de unos pocos minutos, podemos retirarlo del fuego. No pasa nada si la zanahoria está aun algo dura, le dará un toque crujiente.

Por último, podemos emplatar con uno poco de arroz o unas patatas hervidas. ¡Vuestro perro se chupará las patas!

Revuelto de judías verdes y atún

Receta de pescado para los perros alérgicos o intolerantes al pollo. Esta sencilla receta es muy fácil de hacer, rápida y económica, pero hará las delicias de los perretes amantes del pescado.

En primer lugar, procederemos a darle un hervor a las judías para que se nos ablanden un poco y nos pierdan la dureza de las fibras. Mientras las judías hierven, podemos aprovechar para ir haciendo el resto de revuelto.

Batimos unos huevos en cantidad variable en función del tamaño y hambre del perro, a los que le añadiremos una, dos o más latas de atún, también en cantidad variable. En este punto, comentar que el atún mejor que sea al natural, sin sal ni grasa.

A esta mezcla, le añadimos las judías hervidas y en una sartén con una puntita de aceite, comenzamos a cocinar removiendo cada poco. Cuando veamos que el huevo está bien cuajado, retiramos y servimos. Rico, sano y nutritivo.

Esperamos que estas recetas os resulten de utilidad y deleitéis a vuestros compañeros peludos con alguna de estas delicias.

Juan Vázquez

Médico veterinario

Magnésio para cães

O que é um macroelemento?

Os macroelementos são substâncias essenciais para a vida, isto é, necessitam de estar em quantidades satisfatórias no organismo dos animais para eles serem saudáveis. O magnésio é um deles e intervém em variadas funções fundamentais!

Quais as funções do magnésio nos cães?

O magnésio está envolvido em mais de 300 processos metabólicos, sendo imprescindível no metabolismo do cálcio, vitamina C, fósforo, sódio e potássio. 

É um elemento que participa no processo de formação de matriz óssea, regulando a saída e entrada de cálcio, contribuindo dessa forma para o fortalecimento dos ossos. Além disso, permite a ativação da vitamina D, importante para a absorção de cálcio pelos ossos.

A sua ação promove efeito analgésico natural, auxiliando no controlo de dor e recuperação muscular. Dessa forma, permite aumentar o desempenho físico dos animais e promover o seu bem-estar. 

O magnésio é importante para um funcionamento saudável do sistema nervoso e pode ajudar na recuperação de lesões ou transtornos nervosos, e melhorar a função cognitiva.

O sistema cardiovascular é também bastante influenciado por este macroelemento, que reduz o risco de doenças cardiovasculares e fortalece a saúde do coração.

Outra utilidade deste macroelemento, resume-se ao facto de baixar os níveis de stress nos cães. Sabe-se que quanto maior a ansiedade e stress nos nossos amigos de 4 patas, menor é a concentração de magnésio no sangue, pois maior é a sua perda. 

Como podemos administrar magnésio aos cães?

Encontra-se distribuído em vários alimentos, mas pode ser administrado sob a forma de suplementos, nos casos em que não se consegue suprir as suas necessidades diárias através da ingestão alimentar. 

Existem riscos da suplementação com magnésio nos cães?

O magnésio, como qualquer outro suplemento, só deve ser administrado sob indicação Médico Veterinária. O estado clínico do seu patudo deve ser avaliado e alguns exames complementares podem ser necessários antes de iniciar a suplementação. É importante respeitar a dosagem indicada pelo Médico Veterinário, pois pode variar mediante cada animal ou situação. Estas dicas permitem evitar casos de concentrações excessivas de magnésio no sangue (hipermagnesémia). Em casos normais, os rins são responsáveis por eliminar a dose de magnésio em excesso, contudo nos casos em que os cães sofrem de doenças renais ou azotémia pós-renal, essa capacidade pode estar comprometida. 

Níveis elevados de magnésio no sangue afetam a transmissão nervosa, reduzindo as respostas neurológicas. Além do sistema nervoso, as consequências manifestam-se ainda a nível muscular e cardiovascular.

Helena Ferreira

Médica veterinária de Animais de companhia