¿Pueden los perros enamorarse?

El amor como respuesta química

La base química del amor podemos encontrarla en una hormona, la oxitocina, llamada la hormona del amor. Ésta se segrega en situaciones no sólo de amor entendido como amor romántico, de pareja, sino para establecer un vínculo muy potente con las crías, por ejemplo. La oxitocina se libera en grandes cantidades cuando una hembra amamanta  a sus cachorros, lo que hace que ese vínculo que se genera sea tan potente que la hembra quiera proteger a su camada ante cualquier situación.

Cuando un perro recibe una caricia por parte de su dueño, en su organismo se libera también oxitocina y el perro se siente querido, experimenta amor.

Pero esto también sucede entre perros, por lo que el amor entre ellos sí se produce. Por este motivo, los perros se alegran de ver más a unos determinados “amigos perrunos” que a otros, ya que en función de la relación que se haya formado entre ellos y la confianza que tengan, habrá un vínculo mayor o menor.

¿Pueden experimentar amor de pareja?

En la naturaleza, el lobo gris por ejemplo, sí forma una pareja estable. En cambio los perros no tienen una única pareja, como sucede con otras especies, que se emparejan para toda la vida e incluso llegan a fallecer de tristeza cuando el otro miembro de la pareja fallece. Los perros se emparejan para el momento del apareamiento, pero pueden tener muchas parejas a lo largo de su vida reproductiva. Esto no impide que puedan sentir una “conexión especial” con otro individuo de su misma especie. ¿Cuántas veces hemos oído que un perro se lamenta al separarse de su amiga preferida en el parque? ¿O que se alegra especialmente cuando la vuelve a ver? Esto es lo que comentábamos más arriba, por la liberación de oxitocina, que es mayor cuando un animal establece una relación más intensa con otro de su misma especie porque juegan, se entienden en su forma de interactuar y pasan un tiempo agradable juntos.

Asimismo, nuestro perro puede sentir amor hacia nosotros, una vez más, no amor romántico, pero sí un amor familiar, de manada, ya que consideran que formamos parte de su vida. Ellos sienten amor cuando les acariciamos, cuando salimos a jugar con ellos o cuando les hablamos.

Por esto, podemos concluir que los perros sí se enamoran, aunque no en el sentido que entendemos nosotros, los humanos, como amor de pareja.

Como é que os cães escolhem a sua pessoa favorita?

Os nossos patudos relacionam-se de modo específico com diferentes pessoas e a natureza e intensidade dessas relações  dependem, de uma forma geral, de vários factores: da socialização do cão,  atenção prestada, de um processo de associação positiva e da adequação de personalidades.

Mas vamos entrar nos detalhes essenciais para que você também, possa se tornar a pessoa favorita do seu cão 🙂

Muitos cães criam uma relação íntima com quem cuida deles durante o período de socialização, que ocorre entre o nascimento e os seis meses de idade. É durante essa altura especifica do desenvolvimento que os nossos patudos absorvem as suas primeiras experiências sociais e moldam a sua personalidade, sendo que é um período cujas circunstancias e interacções influenciam o resto das suas vidas. É por isso que é tão importante garantir que seu cachorro tenha interações positivas com uma ampla gama de pessoas, lugares e coisas.

Em animais adultos o processo de socialização e adaptação a experiências e pessoas continua, mas não numa taxa tão elevada ou intensa.

A disponibilidade e a atenção prestada é muito importante para a criação de um laço afetivo com um cão. Mas é igualmente importante que as interações e associações sejam positivas. Ou seja, queremos que o nosso patudo nos associe a memórias e experiências felizes e postivas. Queremos ser associados a brincadeiras e a mimos, mas também como a pessoa que dá incentivos e biscoitos.

Por outro lado, os cães costumam reagir mal às pessoas com quem têm más associações , ou associadas a experiencias assustadoras ou dolorosas.

Outro factor que influencia a criação de laços com um cão é o nível de energia e personalidade. Os cães costumam escolher uma pessoa favorita que corresponda ao seu próprio nível de energia e personalidade.

Além disso, algumas raças de cães são mais propensas a se relacionar com uma única pessoa, tornando mais provável que sua pessoa favorita seja o tutor ou cuidador principal.

De uma maneira geral , para se tornar a pessoa favorita do seu cão, além dos cuidados todos que lhe oferece, proporcione-lhe 30 minutos diários de atenção. Tempo ativo de brincadeira, treino, desporto, mas algo que ambos estejam envolvidos ativamente. Afinal, os nossos patudos também podem ser umas das nossas relações favoritas 🙂

Helena Ferreira

Médica veterinária de Animais de Companhia

 

 

5 cosas que probablemente no sepas sobre la cola de tu perro

Curiosidades de la cola canina

La cola de nuestro peludo no les sirve solo para indicarnos si está o no contento, tiene muchas otras cualidades que quizás no conocías:

  • Es una herramienta más importante de comunicación para el perro: junto con el ladrido, la cola del perro es una de las herramientas que más utilizan para comunicarse, tanto con otros perros como con nosotros. Según la velocidad del movimiento, la dirección o la tensión de la cola, nuestro perro va a expresar un estado de ánimo diferente.
  • Hay muchos tipos de cola: hay razas con colas muy características, como es el caso de los Carlinos, con un rabo corto y enroscado o las colas de los perros nórdicos, altas y que caen sobre el lomo. Las formas más habituales de colas son en forma de espada, hoz, gancho, enroscada, en anillo o con forma de sacacorchos.
  • Ayuda al perro al mantener el equilibrio: la cola también ayuda a los perros a estabilizarse y les ayuda a correr y girar mucho mejor.
  • Indicador de alerta: la posición de este apéndice también va a indicarnos si nuestro perro está en alerta y si hay algún peligro cerca que debemos evitar por ejemplo, un rabo alto y tenso en presencia de otro perro puede indicar un ataque inminente y debemos hacer lo posible para evitarlo.
  • Indicador de buena salud física y mental: seguro que habéis visto alguna vez un perro persiguiéndose la cola, esto es indicativo de que el animal está frustrado y necesita estímulos. Si el animal se muerde la cola, si hay falta de pelo o no la mueve puede indicarnos que hay dolor o alguna patología en la zona.

Como habéis visto, este apéndice es una parte importante para el perro, sobre todo para expresarse y comunicarse con su entorno, al cortar al rabo le quitamos al perro una parte muy importante de comunicación, lo que puede provocar que otros perros no puedan entender bien las señales de nuestro perro y favorecer las peleas.

Irene Martinez

Médica Veterinaria

Os cães podem apaixonar-se?

Quando vamos passear com os nossos cães ao parque vemos que por vezes há outros cães com quem eles mais felizes por verem, que se tiverem um companheiro em casa também se podem tornar verdadeiros amigos.  Por isso, sim, os nossos cães podem sentir amor à sua maneira!

A grande dificuldade em sabermos o que sentem os nossos animais deve-se ao facto de não falarem. No entanto, já foi feita muita pesquisa sobre as emoções e sentimentos dos cães pelos seres humanos, por outros cães ou até mesmo outros animais.

Segundo o Dr. Gregory Berns, os cães demonstram o seu amor através da sua linguagem corporal e do seu comportamento, apenas não o conseguem expressar por palavras. Ou seja, as relações sociais e a dedicação que os nossos cães têm é uma forma de amar. Além disso, foram feitos testes para ver se um cão preferia frases ditas por humanos ou comida, sendo o resultado muito aproximado entre os dois!

Mas é possível os cães se apaixonarem verdadeiramente? Mais ou menos ! Há estudos que comprovam que os cães produzem elevados teores de oxitocina (hormona da felicidade/amor) que tem um papel muito importante nas relações entre os nossos patudos e os seus donos ou outros animais.

Os nossos companheiros demonstram o seu amor cada vez que chegamos a casa e nos fazem uma festa enorme, cada vez que olham para nós de forma atenta, quando estão ao nosso lado sempre precisamos de carinho. Basicamente, a ser eles 🙂

São animais fenomenais, não são?

                                   Sofia Galiza

                                   Médica Veterinária de Animais de Companhia

Kennel per il cane: a cosa serve e come si usa

Se è vero che in lingua inglese questa parola può racchiudere molti significati (tra cui trasportino, cuccia, ma anche canile o allevamento), nel nostro paese il kennel è chiamato principalmente quel contenitore forato con lo sportellino che utilizziamo per trasportare il cane (ma anche il gatto o altri piccoli animali) in auto. Particolarmente adatto per limitare il rischio in caso di incidenti stradali, purtroppo è ancora poco sfruttato per quanto riguarda la vita di tutti i giorni. Questo strumento infatti, è utilissimo in molte altre situazioni, in particolar modo per cani molto timidi o a rischio di reazioni aggressive in tutti quei contesti pubblici dove si rischia il contatto stretto con altri cani o persone. Può essere utilizzato in casa e lasciato aperto, così che il cane possa usarlo come sua personale “isola felice”, oppure per invitarlo ad entrare qualora si abbiano ospiti intimoriti dalla sua presenza, o che lui stesso non gradisce. Può altresì essere sfruttato in tutti quei contesti dove il cane rischia di stressarsi stando a lungo in compagnia (sala d’aspetto del veterinario, mostre canine, gare sportive, sala d’attesa toelettatura, mezzi pubblici, etc.). Insomma, è sufficiente abituare il cane fin da cucciolo ad entrarvi autonomamente e rimanerci per tutto il tempo che lo desidera (inizialmente terremo lo sportellino sempre aperto) e attenzione a non usarlo mai e poi mai come punizione! Si rischia di perdere tutto l’aspetto educativo positivo che siamo riusciti a dargli fino ad ora. Per insegnargli ad entrare possiamo usare un bocconcino o il suo gioco preferito lanciandolo dentro, non forzarlo mai per nessun motivo e premiarlo quando mette anche solo una zampa. Quando ci entrerà con naturalezza, aumenteremo il tempo di permanenza di volta in volta. Nel frattempo possiamo aggiungere un comando vocale (ad esempio, “kennel!”) subito prima di quello gestuale; in poco tempo il nostro amico imparerà ad associarli.

Dott.ssa Lisa Pugliese

Educatrice e Istruttrice Cinofila

5 maneras de que tu perro te diga que te quiere

¿Los perros pueden sentir amor?

Seguro que más de una vez alguien te ha dicho que los animales no tienen esa clase de sentimientos. Pues miente. Los animales y, en concreto los perros, que es de lo que vamos a hablar,  sienten este tipo de emociones como el amor y lo expresan.

¿A quién se lo demuestran?

Con más frecuencia le demuestran amor a la persona con la que más relación tienen, que suele ser la persona que más interactúa con ellos y pasa más tiempo, además de alimentarle y en general cubrir sus necesidades básicas de ejercicio, higiene, etc. En este post puedes leer sobre cómo los perros eligen a su persona favorita.

Pero no sólo a esta persona le demuestran amor. Los perros, dependiendo de su carácter, pueden mostrar afecto hacia muchas personas, en ocasiones basta con que le hagan unas caricias para hacer saber que se sienten tranquilos con nosotros. En cambio, hay perros menos sociables, que sólo quieren relacionarse con pocas personas, que les considera “de confianza” y será a los únicos que les haga muestras de amor.

Las 5 formas más frecuentes de mostrar amor

  • Mover la cola cuando nos ven. En ocasiones, nos ven desde lejos y ya mueven el rabo frenéticamente, incluso dan saltos cuando nos ven. El rabo en los perros indica varias emociones, como la alegría (lo llevan erguido y lo mueven hacia los lados, con mayor o menos velocidad, según la intensidad de la emoción), o el miedo (lo esconden entre las patas).
  • Dar lametazos. Cuando un perro nos chupa las manos o las piernas, por ejemplo, nos está expresando lo mucho que nos quiere. Sería el equivalente a los besos que nos damos las personas.
  • Estar a nuestro lado en casa. Muchas veces estamos sentados y el perro está a nuestro lado, también sentado o incluso dormido, pero cerca de donde estamos. Hay perros que suelen dormir durante el día en una zona concreta de la casa y no se acercan tanto a nosotros, no por ello está demostrando menos amor que el que sí lo hace.
  • Incitarnos al juego. Si nuestro perro nos trae el juguete, nos da con la pata para jugar, nos ladra o se pone en la postura típica del juego (patas delanteras apoyadas en el suelo hasta el codo, aproximadamente, tercio posterior hacia arriba, que queda el cuerpo inclinado hacia delante), nos está pidiendo interacción, lo que también es una forma de mostrar afecto, ya que nos está diciendo que quiere pasar tiempo con nosotros haciendo lo que más le gusta, jugar.
  • Nos mira de manera diferente cuando estamos tristes. ¿Alguna vez te has sentido triste, o incluso has llorado y tu perro se ha puesto a tu lado, mirándote de una manera especial? Parece que nos quieren decir que están a nuestro lado, que nos apoyan. Esa mirada transmite un amor infinito…

Cada perro demuestra su amor de una manera especial, pero estas son las más habituales. ¿Quieres contarnos cómo lo hace tu perro?

5 coisas que provavelmente não sabe sobre a cauda do seu cão

A cauda é um prolongamento da coluna vertebral

É constituída por vértebras caudais, cujo número varia com o tamanho da cauda. Normalmente são mais largas na base e vão ficando mais pequenas em direção à ponta. Podem adquirir vários formatos, como acontece nos pugs, por exemplo, que têm a cauda enrolada.

É um meio de comunicação

A mensagem mais conhecida que a cauda dos nossos cães nos transmite é a de alegria e excitação. Todos nós associamos a sensação de bem estar e felicidade dos nossos cães a uma cauda a abanar energeticamente. No entanto, essa é apenas uma das mensagens que a cauda nos pode comunicar; através da mesma, podemos ainda perceber sensações de medo (quando a colocam entre as pernas), insegurança (quando baixam a base da cauda e abanam apenas a ponta, lentamente) ou até de reatividade/curiosidade (quando a colocam na vertical, sem abanar).

O seu cão não abana a cauda quando está sozinho

Uma vez que é uma ferramenta de comunicação, os cães não costumam abana-la quando estão sozinhos, uma vez que não têm ninguém com quem comunicar.

Promovem o equilíbrio

Apesar de não acontecer com todas as raças, há animais que utilizam a cauda para promover uma maior precisão no movimento. Muitas vezes utilizam-na como contrabalanço para conseguirem fazer viragens mais rápidas e precisas, por exemplo, durante uma corrida.

A reação do seu animal à cauda pode indicar-lhe problemas de saúde

Caso o seu animal comece subitamente a correr em círculos atrás da cauda isto pode ter vários significados. Pode ser sinal de tédio, da presença de pulgas ou até de problemas comportamentais. Caso o seu animal deixe subitamente de levantar ou abanar a cauda, pode também significar que sofreu alguma luxação ou fratura e deverá contactar o seu médico veterinário habitual.

 

Espero que tenha gostado de saber mais sobre esta parte tão especial do corpo do seu animal e que se delicie ao ver a alegria dele com a sua presença! 🙂

 

Ana Cláudia Gonçalves

Médica Veterinária de Animais de Companhia

Leptospirose canina: o que é e como tratar?

Em que consiste a Leptospirose canina?

A leptospirose canina é vulgarmente chamada de “doença transmitida pela urina dos ratos”. É uma zoonose, ou seja, é uma doença que pode ser transmitida ao humano e, por isso, motivo de grande preocupação. Esta patologia é causada por uma bactéria da espécia Leptospira que pode ter várias subespécies. A sua transmissão é feita quando há contacto com urina contaminada, com um rato contaminado ou até da mãe para os bebés pela placenta ou leite.
A bactéria provocadora da doença, depois de entrar no sistema sanguíneo tem tendência a atingir órgãos como fígado e rins, podendo provocar graves insuficiências hepáticas e/ou renais. Os sinais mais comuns são apatia, anorexia (deixar de comer), vómitos, diarreias, anemia, pancreatite, entre outros.

Tratamento da Leptospirose canina

Uma vez identificada a patologia, deve-se iniciar o mais rápido possível o tratamento. É essencial o internamento numa clínica ou hospital veterinário e o cão deve ser colocado com soro e iniciar antibióticos específicos. Poderão ser realizadas outras medicações sintomáticas, ou seja, medicações para parar os vómitos ou diarreias, entre outros, consoante os sinais do animal. Esta patologia pode levar a internamentos de longos períodos de tempo e incluí repetição constante de análises para perceber o prognóstico.

Profilaxia

Apesar de haver muitas subespécies de Leptospira, a vacinação completa das doenças infeto-contagiosas é a arma mais importante que temos do ponto de vista da profilaxia. Algumas vacinas têm duas estirpes de Leptospira e outras têm quatro. É muito importante ter um correto protocolo vacinal, tanto nos meses inicias do seu melhor amigo, como em todos os anos seguintes. Deve também tentar evitar passeios em locais onde saiba que existem vulgarmente ratos.

Prognóstico

Quando diagnosticada numa fase precoce, a Leptospirose pode ter um prognóstico menos mau, principalmente quanto mais celere for o início da terapia. No entanto, uma vez que afeta os rins e o fígado e existem estirpes muito perigosas e rápidas de atuar, pode ser uma patologia mortal ou deixar sequelas para toda a vida.

Se souber que o seu cão esteve em contacto com um rato ou outro animal infetado, deve procurar ajuda do médico veterinário habitual o mais rápido possível.

Joana Silva

Médica Veterinária

5 actividades en el agua que puedes hacer con tu perro

  • Juegos de lanzar: Un clásico, pero que nunca pasa de moda y gusta tanto a perros como a propietarios. Ya sean pelotas, discos o juguetes, lanzarlos al agua para que el perro nade tras ellos se traduce en una actividad perfecta que satisface sus instintos, además de mejorar su salud muscular y articular.
  • Paddle Surf: Esta actividad, por la sencillez de su ejecución y lo gratificante de su práctica, ha ganado gran popularidad en los últimos años. Si bien es cierto que no todas las actividades acuáticas son aptas para nuestros amigos peludos, el Paddle Surf sí que lo es. Tan sencillo como subirse a una tabla, mantener el equilibrio y remar. Lo peor que puede pasar es que os caigas al agua, pero no viene mal darse un chapuzón. Esta actividad puede llevarse a cabo tanto en el mar como en agua dulce.
  • Jugar con las olas: A muchos perros les encanta el agua en movimiento que produce el oleaje. El ruido, la espuma y las olas, son unos elementos muy seductores que hacen que los perros se vuelvan locos tratando y las persigan constantemente. Durante el juego conviene mantener la supervisión por el animal fuera arrastrado por el oleaje.
  • Nadar: A muchos perros les encanta nadar, y son capaces de hacerlo durante largas distancias. Para los perros nadadores de dueños nadadores resulta una actividad muy interesante. No obstante, a diferencia del juego de lanzar, conviene que el propietario realice el ejercicio con el animal, por si el perro se pudiera desorientar o cansar.
  • Bucear: Especialmente indicado para jugar en piscinas pequeñas y de poca profundidad. La actividad consiste en arrojar objetos pesados que se hundan hasta el fondo, y animar a nuestro perro a sumergirse por ellos. Es un ejercicio en el que los animales gastan mucha energía, por lo que es ideal para individuos activos.

Esperamos que estas ideas os hayan gustado y podáis ponerlas en práctica con vuestros compañeros.

 

Juan Vázquez

Médico veterinario

5 formas de o seu cão dizer que o ama

Era mais fácil que os nossos patudos conseguissem falar e percebessem tudo o que lhes dizemos, mas como ainda não temos forma de o fazer, deixo-lhe pequenos truques para que possa expressar todo o amor que sente pelo seu cão:

  • Brincadeira e exercício físico: não à nada melhor que para o seu cão que poder passar tempo consigo e se for a fazer alguma atividade que envolva saltos e corrida não pode ser melhor. Assim programe uma caminhada e aproveite para lhe dar uma trela um pouco mais longa, ou então, um brinquedo novo em que possam os dois jogar durante a tarde, o seu cão vai amar e vai fazer bem a si e a ele!
  • Ensine-lhe truques novos: o treino com base no reforço positivo pode ser uma excelente forma de criar e mostrar ao seu cão o quanto gosta dele. Pois além de estar a ensina-lo está a dar-lhe atenção e mimo. Vai ajuda-lo a manter a mente ativa, inclui a atividade física necessária para o seu patudo e é um ótimo exercício para aqueles dias em que o passeio tem de ser mais rápido porque o tempo está chuvoso.
  • Faça-lhe festas, muitas festas: mais simples é difícil. Aqui as festas ou massagem devem ser feitas na zona que ele mais gostar. A maioria dos cães adora receber festas na barriga, no pescoço e atrás das orelhas, quaisquer mimos num destes sítios vai fazer as delícias do seu patudo. Evite locais que ele não gosta como as patas, as almofadas plantares ou mesmo o focinho.
  • Dê snacks saudáveis ao seu cão: que tal mimar o seu cão porque lhe apetece? E porquê não o fazer-lo de uma forma diferente?! Muitos de nós simplesmente vai a prateleira e tira o primeiro biscoito/snack que encontrar e dá-lhe. Mas como dias não são dias, porque não experimentar fazer-lhe uma receita de biscoitos ou que tal um gelado, sem dúvida que o seu cão vai perceber o quanto o ama e vai ficar bastante contente!
  • Deixe que o seu cão durma consigo: Pode ser uma simples sesta durante o fim-de-semana ou mesmo uma noite de exceção onde o deixa subir para a sua cama. Este pequeno gesto vai transmitir segurança e conforto para o seu patudo e vai ajudar a fortalecer os laços afetivos entre os dois.

Já disse ao seu cão que o ama? Não perca tempo em retribuir todo o amor e carinho ♥

 

Maria Beatriz Mariano

Médica Veterinária