Se fosse um cão, que raça seria?

Que perguntas pode fazer a si próprio para perceber qual a raça que melhor encaixa consigo?

  • Em que casa gostaria de viver?
  • Prefere ficar em casa ou aproveitar o fim de semana para sair?
  • Gosta de correr e fazer bastante exercício?
  • É sociável?
  • É alto ou baixo?
  • Demora muito tempo a arranjar-se (tomar banho, vestir-se, etc)?
  • Prefere os convívios com amigos ou dedicar-se à família?
  • Que adjetivos o definem? Carinhoso? Teimoso? Impaciente? Preguiçoso?

A resposta a estas perguntas pode ajudá-lo a comparar-se a algumas raças de cães que podem ter gostos e uma personalidade e temperamento semelhantes aos seus!

Encontre a sua raça:

Labrador

Gosta de correr e fazer exercício. É considerado um cão ativo, com espírito jovem, frequentemente “aluado”, que prefere passear a ficar em casa. Não liga ao visual, mas a verdade é que tem uma beleza natural muito própria!

Pessoas extrovertidas, que gostam de festa e são extremamente sociáveis seriam sem dúvida um Labrador.

Golden Retriever

Inteligentes, muito leais à família, adoram atividade física tal como o Labrador! Tem um pelo que lhes confere uma aparência própria, muito elegante, que necessita de tratamento constante.

Pessoas que gostam de ter uma vida social ativa, que se preocupam com a imagem (principalmente com o cabelo!), que necessitam de exercício físico para se sentirem bem física e psicologicamente seriam um Golden Retriever.

Pug

O Pug é um cão de raça pequena, muito leal ao dono e que gosta de companhia a toda a hora! É um cão de apartamento e apesar de calmo pode ser bastante teimoso.

É o espelho de pessoas teimosas, mas afetuosas! Pessoas que preferem aproveitar o fim de semana em casa, com a família, que gostam de conviver e odeiam não ter companhia… seriam um pug!

Teckel

Gosta do sofá, mas não diz não a uma bela brincadeira no parque em troca de um fim-de-semana passado em casa. É um cão confiante, apesar da sua estatura. É uma raça sociável, mas graças à sua vontade muito própria pode entrar em conflito na relação com cães e pessoas. É curioso e muito enérgico e é visto por toda a gente como um cão com aparência muito fofa!

Se é uma pessoa curiosa, com ideias vincadas, confiante e gosta de manter uma vida social ativa… provavelmente se fosse um cão seria um teckel.

Pinscher

Cães de apartamento, que gostam de dormir mas adoram vir correr para o parque e conhecer novos amigos! Pequenos, “refilões”, muito ativos e medrosos.

Se revê estas características em si, provavelmente seria um pinscher.

Weimaraner

Grande porte, precisam de gastar energia (adoram nadar!), e são cães um pouco ansiosos. Dedicados à família, dão-se bem com outros animais e pessoas e precisam de treino constante para se manterem sociáveis e bem psicológica e fisicamente.

Se é uma companhia agradável para as outras pessoas, gosta de se dedicar à família e amigos, adora fazer exercício e explorar coisas novas, mas ainda assim tem um lado mais ansioso… a sua raça seria o Weimaraner.

Yorkshire Terrier

Um cão pequeno, que necessita de atenção e companhia, carinhoso e adora o colo do dono. É considerada uma raça vaidosa, pela necessidade de tratamento frequente do pelo e pelos movimentos graciosos. Apesar da estatura pequena, a teimosia e comportamentos de dominância são também característicos de muitos cães desta raça.

Se prefere apartamentos, é uma pessoa vaidosa, tem uma devoção pelo cabelo, adora partilhar momentos com a sua cara metade e adota comportamentos de teimosia e dominância na convivência com outras pessoas… provavelmente seria um Yorkshire Terrier.

Bichon Maltês

Também o Bichon Maltês necessita de atenção e companhia. É um cão tranquilo, adora o sofá e o colo do dono! É teimoso e tem uma personalidade forte. Apesar de gostar de dormir durante muito tempo, não diz não a uma boa hora de brincadeira…. sempre com o dono por perto.

Se prefere apartamentos, é uma pessoa tranquila mas com uma personalidade forte, e não diz não a um fim-de-semana no aconchego do sofá… o Bichon Maltês é a sua raça de cão!

Beagle 

Historicamente caçadores, os beagles são conhecidos pela sua energia sem fim. É alegre, adora brincadeiras, não aguenta muito tempo sem companhia e sem atividades desafiantes. Adora o exterior, precisa de uma educação firme e é confiante e corajoso! Muitos Beagles têm um uivar característico.

Portanto, se coragem e determinação não lhe falta, é uma pessoa extrovertida, que está sempre dentro de novos programas com os amigos, cria um ambiente de alegria à sua volta e tem uma voz marcante… provavelmente a sua raça seria o Beagle.

Corgi

Um cão de família, com um grande instinto de proteção e lealdade. Gosta de morar em apartamentos, e tem um pelo que necessita de tratamento frequente. É alegre e alinha em todas as brincadeiras. Adora comer e por vezes á um pouco impaciente. O treino é muito importante em cães desta raça!

Se tem um instinto protetor muito apurado, com uma ligação forte à família, adora divertir-se e é impaciente em determinadas situações… a sua raça seria o Corgi.

“Rafeiro”

É o cão de raça indeterminada… cuja personalidade é variável consoante as raças que lhe deram origem. Contudo, o meio ambiente moldará a personalidade dos rafeiros (assim como dos cães de raça!). São cães normalmente dóceis, muito próximos do dono… que também podem ter temperamentos negativos (como serem mais desconfiados). Depende!

Se tem um feitio com características não muito vincadas… quem sabe se não terá semelhanças com os rafeiros!

 

Daniela Leal

Médica Veterinária de Animais de Companhia

Acupuntura para perros ¿en qué consiste?

¿Qué es la acupuntura?

La acupuntura es una técnica terapéutica china de más de 4000 años de antigüedad. Se la considera medicina complementaria y es muy usada en humanos desde hace muchos años y, de forma más moderna, se está empezando a usar en perros con muy buenos resultados.

Esta técnica consiste en la inserción de agujas muy finas en puntos específicos del cuerpo, donde conectan un conjunto de nervios, aliviando el dolor. Se cree que las agujas en esos puntos crean una liberación de endorfinas, disminuyendo el dolor y dando sensación de bienestar.

Aunque parece una técnica dolorosa estas agujas son más finas de los habitual y no provocan ningún daño, es más, muchos perros las toleran sin ningún problema y sin necesidad de anestesia.

¿En qué casos es útil?

La acupuntura puede ser útil en casos de dolor y pérdida de movilidad, como por ejemplo:

  • En casos de parálisis completa o parcial.
  • Artrosis.
  • Displasia de cadera.
  • Mejora del sistema digestivo e inmunológico (alergias).
  • Complementario a tratamientos crónicos como tumores.
  • Casos de parálisis de nervios faciales.
  • Ayuda en problemas dermatológicos.

Suelen ser necesarias varias sesiones de acupuntura para ver mejoría y siempre debe realizarse por un profesional veterinario especializado en esta terapia.

Irene Martinez

Médica Veterinaria

5 Benefícios de um escritório Dog Friendly

cani ipoallergenici

É realmente benéfico ter um escritório que permite a presença de cães?

 

A resposta é sim, se a empresa não tiver colaboradores com receio ou medo de cães.

Um estudo recente do Animal Behaviour, Cognition and Welfare Group  (“Taking Dogs Into the Office: A Novel Strategy for Promoting Work Engagement, Commitment and Quality of Life”) demonstrou que os funcionários que podem levar frequentemente o cão para o trabalho:

  • Apresentam uma maior dedicação ao trabalho (com entusiasmo na resolução das tarefas);
  • Deixam de ficar ansiosos porque já não têm que deixar o cão sozinho em casa;
  • Apresentam níveis superiores de concentração e energia ao longo do dia;
  • Têm uma diminuição dos níveis de ansiedade perante tomadas de decisão de trabalho importantes;
  • Estão satisfeitos com as condições de trabalho;
  • Referem um equilíbrio satisfatório entre a vida pessoal e profissional;
  • Têm satisfação profissional.

 

Um escritório Dog Friendly tem benefícios para os donos e para os restantes colaboradores…

 

  • Torna o escritório mais interativo e sorridente;
  • Os cães transmitem calma durante o dia de trabalho, fazendo com que as tarefas sejam feitas de forma mais efetiva, motivando toda a equipa;
  • Torna os dias no escritório menos monótonos, especialmente se aparecerem patudos diferentes todos os dias;
  • Os cães quebram barreiras de comunicação entre os colaboradores, torando a equipa mais sociável;
  • Melhoram a experiência de trabalho (para quem gosta de cães, poder fazer uma pausa para oferecer festinhas é sem dúvida motivante!).

 

Como tornar o escritório Dog Friendly?

 

  • É importante que o escritório seja amplo e arejado;
  • Deve ser possível passear o cão durante o dia (não esquecer de recolher as necessidades do patudo!);
  • Devem existir taças de água à disposição;
  • Snacks saudáveis (para recompensa ao longo do dia);
  • Nada de canetas, borrachas, comida humana ou sacos do lixo à mostra – o escritório deve estar organizado!
  • Zona para brincar e dormir (com brinquedos e uma mantinha confortável, que podem ser trazidos pelo dono)
  • Façam uma escala de dias, para evitar que os colaboradores levem os patudos no mesmo dia.

 

E quanto a regras?

 

É importante ter em consideração que nem todos os cães gostariam de passar o dia no escritório, e que esse dia pode ser uma fonte de stress para eles e para os proprietários (caso eles não se portem bem ou não fiquem tranquilos durante o dia!). O proprietário deve fazer uma avaliação do cão:

  • Os cães devem ser de porte aceitável para o tamanho e espaço do escritório (levar um cão de raça grande para um escritório pequeno pode não ser boa ideia!);
  • Temperamento e comportamento do cão – Cães nervosos, ansiosos, que não reagem bem a barulhos ou que têm alguma dificuldade em interagir com pessoas não devem ser levados para o trabalho. Neste caso é preferível que os cães sigam um conjunto de treinos prévios, para se tornarem mais tranquilos e para que os donos os consigam controlar durante o dia de trabalho;
  • Deve ser definido o número de cães que podem ser levados por dia, dependendo do número de compartimentos do escritório. Os colaboradores podem criar uma escala para poderem gerir em que dias podem levar o ser patudo;
  • Os cães devem ter as vacinas e desparasitação em dia;
  • O tutor deve ser responsável por supervisionar o cão durante todo o dia;
  • As taças de água e comida devem ser lavadas diariamente, se utilizadas por todos os cães que forem levados para o escritório.

 

É muito importante ter o consentimento de todos os colaboradores ao transformar o escritório num local que permita patudos!

 

Daniela Leal

Médica Veterinária de Animais de Companhia

Otro perro en casa ¿es buena idea?

Pros de tener otro perro en casa:

Incluir otro peludo en nuestra vida siempre es momento de alegría, entre los pros que encontramos están:

  • Ayudará al otro perro si tiene algunos problemas de comportamiento como ansiedad por separación o conductas destructivas.
  • Hará compañía al otro perro.
  • Aumenta la cantidad de ejercicio de ambos ya que jugarán juntos.
  • Doble compañía, diversión y cariño.

Contras de tener otro perro en casa:

Entre los contras que debemos considerar tenemos:

  • Doble responsabilidad y doble tiempo que debe dedicarse a ambos perros.
  • Los gastos también se duplican: alimento, veterinario, etc.
  • Dificultad en los paseos: hasta que se acostumbren al paseo en conjunto puede ser complicado pasear con ambos a la vez.
  • Más limpieza: es normal que 2 perros ensucien más que 1, sobre todo si son cachorros.
  • Conductas indeseadas: al haber 2 perros pueden aparecer conductas que no queremos, como celos, sobre todo si son del mismo sexo.
  • Adiestramiento: puede que ambos perros no se lleven bien y sea necesario acudir a un profesional para que nos ayude a este proceso.
  • Espacio: se debe tener en casa suficiente espacio para ambos perros y que cada uno tenga su lugar de descanso.

Por supuesto, antes de adquirir un nuevo perro hay que ser consciente de que será una segunda responsabilidad y requerirá tantos cuidados y tiempo como el primer perro, es una elección muy importante que debe pensarse bien.

Irene Martinez

Médica Veterinaria

Como acalmar o meu cão dos foguetes?

Porque que os cães têm medo dos foguetes?

Barulhos fortes e desconhecidos assustam os patudos. Por isso é que os nossos amigos de 4 patas têm medo dos foguetes.

Sinais de ansiedade e medo:

É relativamente fácil de reconhecer se um patudo está ou não com medo dos foguetes. Os sinais de medo podem ser reconhecidos pelos tutores, sendo que os mais frequentes são:

  • Vocalização em excesso (ladrar, uivar, etc.);
  • Tremores;
  • Inquietação;
  • Necessidade de se esconder;
  • Colocação do rabo entre as pernas;
  • Urinar;
  • Arfar;
  • Salivação em excesso;
  • Dilatação das pupilas.

Como preparar os patudos e o ambiente para situações como esta?

  • Coloque distrações pela casa (como brinquedos que o patudo goste);
  • Coloque música ambiente (coloque uma melodia que acalme os patudos: “A day in the life” é uma boa opção. Jazz e músicas calmas em geral costumam ser uma boa opção nestas situações);
  • Tenha à disposição um sítio para que ele se possa esconder (com uma manta e um brinquedo familiares);
  • Se sair de casa, não demonstre movimentos de intenção para que ele não perceba que vai ficar sozinho;
  • Não lhe faça demasiadas festinhas nem dê demasiados mimos, como se o estivesse a proteger, na altura em que ele possa ter mais medo (pode aumentar a sensação de insegurança);
  • Se ficar em casa aja normalmente com ele, para que não lhe transmita insegurança;
  • Se possível, não o deixe lá fora e mantenha as janelas e cortinas fechadas (para diminuir a entrada de barulho e luz).

O que utilizar para acalmá-los nestas situações?

  • Coleiras ou comprimidos com feromonas apaziguantes (Adaptil®): as coleiras têm uma duração de cerca de 1 mês, e o comprimido pode ser dado em situações mais esporádicas (como esta). Deve dar o comprimido um tempo antes do momento esperado de stress. As feromonas apaziguantes têm como objetivo acalmar os patudos em situações de stress e barulho;

 

  • Coletes “anti-stress”: recentemente está a ser estudado o impacto da utilização de coletes que podem funcionar em alguns cães com sinais de ansiedade. O objetivo é transmitir uma sensação de conforto, pela ligeira pressão que é aplicada no corpo do animal.

A ansiedade e hiperatividade provocada pelos foguetes pode ser perigosa…

Para além de ser desconfortável para os patudos, em cães que estão num ambiente exterior (como jardim ou pátio) os foguetes podem assustar tanto ao ponto do patudo fugir de casa (saltando o portão, por exemplo). Certifique-se que em noite de festa não deixa os patudos sozinhos lá fora.

Daniela Leal

Médica Veterinária de Animais de Companhia

 

¿Cómo cuidar del pelo de mi Chow Chow?

¿Cómo es el pelo del Chow Chow?

El pelo del Chow Chow está compuesto por 2 tipos de pelo, el de cobertura y el subpelo, o lana. El pelo suele ser largo, brillante, con textura un poco áspera. El subpelo es muy denso,dando esa apariencia esponjosa y mullida, esta lana es más suave y el color es más degradado.

Por tanto, se trata de un perro con pelo de doble capa, que necesita unos cuidados especiales para mantener el manto perfecto. Entre los colores que podemos encontrar están el rojo, el crema, el negro y el azulado, siendo importante potenciar estos colores para que se vea un pelo más sano y
bonito.

Cuidados a tener en cuenta:

Para mantener este manto en perfectas condiciones se deben seguir una serie de consejos:

  • Baño: un baño al mes es necesario para mantener el pelo y la piel limpia y sana. A no ser que esté con algún tratamiento especial por problemas de piel o esté excesivamente sucio, esta frecuencia de baños es más que suficiente.
  • Champú adecuado: se debe usar un champú y acondicionador adecuados. También se pueden usar champús potenciadores de color, según la capa que tenga el animal.
  • Cepillado: de forma habitual el cepillado debe hacerse semanalmente. Se recomienda usar un peine de púas metálicas y largas y cepillar minuciosamente cada capa de pelo, desde la raíz a puntas, eliminando los nudos.
  • Mudas: en época de muda el cepillado debe hacerse casi diariamente y los baños pueden hacerse con mayor frecuencia para evitar los nudos.
  • Sanear pelo: se aconseja recortar las puntas a tijera para sanear el pelo y darle la forma redondeada característica de la raza.
  • No rapar: no se aconseja raparlos, pueden producirse lesiones en la piel, alteraciones en el manto y el color y otros problemas como alopecias. Además, este subpelo ayuda a la termorregulación del perro, sobre todo en verano.

Irene Martinez

Médica Veterinaria

Deliciosos hambúrgueres para o seu patudo

A receita mais fácil de hambúrgueres para o seu patudo

 

Além de deliciosa, esta receita de hambúrgueres para o seu patudo é indicada até para os estômagos mais sensíveis.

Assim que o cheiro começar a espalhar-se pela casa não vai demorar até ter dois olhinhos brilhantes e uma causa inquieta à sua volta.

 

Assim sendo mãos à obra

 

Ingredientes

– 250gr carne de vaca picada
– 1 ovo
– Um pouco de salsa picada

 

Instruções

1. Numa taça misture a carne picada, com a salsa e o ovo e faça pequenas bolas bolinhas.

2. Depois espalme-as até que fiquem com um aspecto de hambúrguer.

3. Pegue numa frigideira anti-aderente, e cozinhe os hambúrgueres até ficarem bem passados.

 

Já está a sentir o aroma no ar?

Os hambúrgueres para o seu patudo, mais deliciosos do mundo, estão prontos a serem devorados.

Como sempre tenha em atenção que isto deve ser dado apenas em ocasiões especiais.

 

Bom apetite

¿Es normal que mi perro duerma mucho?

¿Razones por las que un perro puede dormir mucho?

Que un perro pase más horas dormido que otro puede depender principalmente de estos 3 factores:

  • Edad: un cachorro suele dormir más que un perro adulto, llegando a las 16-18 horas al día, lo mismo ocurre con los perros ancianos, éstos suelen ser menos activos o presentar algún problema físico que hace que pasen más horas descansando.
  • Raza: algunas razas tienen tendencia a dormir más horas al día que otras. Estas razas suelen tener un nivel bajo de energía y realizar poco ejercicio de forma habitual. Las razas que duermen más horas al día son los Bulldog (inglés en concreto) y algunas razas de tamaño gigante. Por otro lado, los perros que suelen dormir menos horas son las razas de trabajo como los perros pastores, etc.
  • Estilo de vida: si no le damos la suficiente cantidad de actividad, tanto física como mental, a nuestro peludo, es normal que pase muchas horas al día durmiendo.

¿Qué otras razones puede haber?

Si nuestro perro es un animal joven y activo y vemos que empieza a dormir más horas de lo habitual puede deberse a diferentes razones:

  • Temperatura: es muy común que en verano, debido a las altas temperaturas, el perro tenga menos ganas de moverse y pase más horas durmiendo. Si crees que puede tratarse de un problema causado por el calor intenta que el animal esté en un lugar fresco de la casa y disponga siempre de agua.
  • Enfermedad: en otros casos, ese aumento de las horas de sueño puede ser debido a enfermedades sistémicas. Los problemas más comunes que hacen que el animal pase más horas durmiendo suelen ser insuficiencia cardíaca, dolor articular y anemia. Si sospechas de cualquiera de éstas no dudes en acudir a consulta veterinaria.

Irene Martinez

Médica Veterinaria

¿Por qué no debes dar huesos a tu perro?

¿Por qué no deben comer huesos?

Aunque muchos propietarios han dado huesos a sus perros sin que éstos presentaran ningún problema, muchos otros pueden relatarnos problemas graves que ha sufrido su mascota por la ingesta de huesos, alguno incluso con un fatal desenlace. Por tanto, aunque muchos perros pueden masticar y alimentarse de huesos sin problema, éstos deben ser los adecuado para el tamaño y mordida del animal, teniendo también precaución por el tipo de huesos que le ofrecemos.

Por tanto, los problemas que pueden aparecer tras una ingesta de huesos son:

  • Indigestión: los huesos son difíciles de digerir y, en muchas ocasiones, pueden dañar levemente la mucosa digestiva, apareciendo problemas digestivos como gastritis con vómitos y pérdida de apetito.
  • Obstrucción intestinal: en casos de animal con mucha ansiedad por la comida se han dado casos de obstrucción intestinal por la ingestión de huesos de tamaño demasiado grande, esto provoca mucho dolor, vómitos, pérdida de apetito y apatía, necesitando atención veterinaria urgente.
  • Estreñimiento: si el animal come gran cantidad de huesos puede provocarle una obstrucción en la última porción del intestino, con dificultad para defecar.
  • Perforación gástrica: la ingesta de huesos puntiagudos o que se astillan con facilidad puede dar lugar a una perforación digestiva.
  • Desgaste dental: si no damos un hueso adecuado para el tamaño y mordida del perro puede producirse un desgaste excesivo de los dientes, con fracturas dentales y pérdida de piezas.

¿Qué huesos pueden comer?

Si quieres premiar a tu perro algún vez con un huesos debes evitar siempre los que se puedan astillar y los huesos de pequeño tamaño que pueda ingerir enteros (pollo o conejo). Los huesos aptos para perros son:

  • Huesos largos de tuétano (fémur).
  • Hueso de cadera de ternera.
  • Hueso de rodilla de ternera.

Y, por supuesto, siempre ofrecer los huesos crudos para mayor seguridad, nunca cocinados y siempre bajo vuestra supervisión.

¿Qué otras opciones hay para que mastiquen?

Si no queremos arriesgarnos dándole un hueso a tu perro, en el mercado existe multitud de opciones para que el animal mastique, roa y se divierta durante horas, cuidando su salud dental y sin peligro:

  • Huesos y barritas de piel prensada.
  • Barritas dentales.
  • Tendones.
  • Orejas de cerdo y res.
  • Nervios de ternera.
  • Piel desecada de cerdo o ternera.
  • Juguetes dentales (kong).

Irene Martinez

Médica Veterinaria

Porque é que o meu cão come relva?

cane che scava buche in buche in giardino

O que leva o meu cão a comer relva?

Apesar de haver poucos estudos científicos neste campo e, por isso, poucas certezas dos motivos que levam o cão a ingerir relva, há várias teorias:

  • Cães que não têm uma dieta equilibrada e tentam, por isso, compensar a falta de fibra e de nutrientes com a ingestão de relva ou se a quantidade de alimento fornecida ao cão não é suficiente;
  • Por aborrecimento: cães que têm poucas distrações durante o dia e ficam muito tempo sozinhos e comem relva para se manterem mais entretidos.
  • Foram observados cães selvagens a ter o mesmo comportamento, por isso pode ser algo que o cão doméstico faz e que tem origem nos seus antepassados;
  • Para “induzir o vómito” quando não se sentem bem (esta teoria tem vindo a ser contrariada por alguns estudos que não o conseguiram demonstrar);
  • Apenas porque gostam do sabor e/ou da textura.

Comer relva pode ser perigoso para o meu cão?

Em princípio, se o cão comer pouca quantidade e não houver sinais de doença, não será motivo para preocupação. Deve sim consultar um médico veterinário se as quantidades ingeridas forem muito grandes, se houver vómitos muito frequentes a seguir à ingestão (ou qualquer outra alteração como diarreia, letargia, diminuição do apetite) ou se acha que a comida que está a dar ao seu cão poderá não ser a mais equilibrada.

Pode sim ser perigosa a ingestão de relva caso esta tenha sido tratada com herbicidas/pesticidas que são tóxicos. No caso de desconhecer se a relva foi ou não tratada recentemente, não deixe o seu cão comer essa relva. Caso haja ingestão acidental de relva tratada com substâncias sobre as quais não sabe o nível de toxicidade, é importante que procure rapidamente ajuda veterinária.

Alguns cães, além de relva, ingerem outras plantas e flores que podem ser tóxicas. Nesse caso convém sempre verificar que plantas tem no seu jardim para não correr riscos (aqui pode consultar uma lista com algumas plantas tóxicas).

Como posso impedir que o meu cão coma relva?

No caso de animais que comam comida caseira ou uma ração de uma gama mais baixa, pode ser importante começar a dar uma ração de melhor qualidade e equilibrada ou, no caso de querer dar comida cozinhada por si, consultar um veterinário especializado em nutrição que possa prescrever uma dieta equilibrada consoante as caraterísticas do cão. Se o cão fica muito tempo sozinho e sem fontes de entretenimento, deve deixá-lo com vários brinquedos (ir alternando os brinquedos que dá, para que o cão não se farte), dispensadores de comida e, sempre que possível, brinque, passeie e passe algum tempo diário com ele. Em alguns casos poderá ser difícil impedir este comportamento, principalmente se a ingestão for apenas porque o cão gosta do sabor da relva.

Inês Millet Barros

Médica Veterinária