5 Dicas para interpretar a linguagem do seu cão

Treino

A capacidade de conseguirmos entender a linguagem corporal do nosso cão, vai permitir-nos adequar o nosso comportamento às suas necessidades. Ou seja, perceber se este se sente seguro e confortável numa determinada situação, ou se, pelo contrário, está assustado e com medo. Uma vez que os nossos patudos (ainda!) não falam, é essencial prestarmos atenção à sua linguagem corporal para perceber o que nos querem transmitir.

cão

1. Cauda

Haverá algo mais fofo do que ver o nosso cão feliz a abanar a sua cauda? Duvido! De facto, é bem sabido que uma cauda levantada e a abanar é sinónimo de felicidade. Por outro lado, uma cauda escondida entre as patinhas traseiras é sinal de medo. Quando a cauda está esticada e dirigida para trás, significa curiosidade ou insegurança.

2. Orelhas

Se o seu cão apresentar as orelhas levantadas e inclinadas para a frente, significa que está a prestar atenção ao que lhe está a dizer. Quando as orelhas estão dirigidas para trás, é sinonimo de medo. Se o seu patudo estiver indeciso, as suas orelhas vão movimentar-se para a frente e para trás.

3. Olhos

Costuma-se dizer que os olhos são o espelho da alma. Pois bem, isso aplica-se também aos nossos cães. Um cão feliz e tranquilo vai apresentar um tamanho de pupilas normal, pálpebras relaxadas e músculos faciais distendidos. Por outro lado, um cão assustado terá os olhos muito abertos, com as pupilas dilatadas e os músculos faciais tensos.

4. Boca e dentes

Quando estamos perante um cão que apresenta os lábios retraídos e tensos em redor da sua boca, com exposição dos seus dentes, devemos ter cuidado porque esse animal está a avisar-nos que se sente desconfortável e pode, por isso, atacar. Nessas situações, o ideal será dar espaço ao cachorro e esperar que este se acalme antes de iniciar uma nova interação.

5. Braquicéfalos e a sua “poker face”

É mais difícil interpretar as raças braquicefálicas (bulldogs, pugs, boxers, etc), uma vez que a sua face está sempre enrugada (mesmo quando estão felizes!) e têm uma capacidade limitada de comunicar através de expressões faciais devido à conformação do seu crânio. Relativamente a estes patudos, devemos prestar mais atenção à sua postura, posição da cauda e das orelhas, para conseguirmos entendê-los.

 

Sara Alves
Médica Veterinária

Planos Barkyn

Crie o seu plano personalizado Barkyn e descubra uma nova felicidade!

Começar