Sarna demodécica: o que é e qual o tratamento?

Saúde

A sarna demodécica canina é uma doença parasitária que atinge a pele, provocada na maioria dos casos pelo Demodex canis – um ácaro que habita no folículo piloso.

cão

Existem 2 formas diferentes de sarna demodécica: a forma localizada e a forma generalizada. A forma generalizada afeta várias zonas do corpo, incluindo as patas e o focinho. A sarna demodécica, dependo da idade em que o animal manifesta os primeiros sinais clínicos, é designada como juvenil (aparece entre os 3 e os 8 meses) ou adulta (aparece posteriormente).

 

A transmissão entre animais ocorre?

O Demodex canis é transmitido da mãe para o cachorro por contacto direto nos primeiros dias de vida. Por volta das 16 semanas os cachorros começam a demonstrar sinais da doença, com o aparecimento de lesões de pele primariamente na zona do focinho – sarna demodécica juvenil.

O aparecimento de sarna demodécica generalizada no adulto deve-se à imunossupressão provocada por patologias como o hipotiroidismo, hiperadrenocorticismo, leishmanioseneoplasias (entre outros), bem como por terapia prolongada com corticosteróides.

 

É transmissível ao ser humano?

Não. Ao contrário da sarna sarcótica, a sarna demodécica não está identificada como sendo zoonótica.

 

Como suspeitar de sarna demodécica – sinais clínicos:

Alopécia (falta de pelo), eritema (pele vermelha) e descamação em diferentes zonas do corpo. Na forma localizada as lesões não costumam causar prurido (comichão), mas na forma generalizada muitas vezes há prurido associado ao aparecimento de pápulas, pústulas e crostas. As lesões com alopécia podem apresentar hiperpigmentação na zona onde há falha de pelo.

 

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico pode ser feito através da análise microscópica dos pelos (tricograma) ou mediante raspagem da pele, com o objetivo de se identificar a presença do parasita. Se a suspeita de sarna demodécica for grande, mas não se encontrar o parasita no tricograma, está recomendada a biópsia de pele das lesões.

 

Qual o tratamento que deve ser aplicado?

  • O tratamento médico consiste na administração de medicações acaricidas e tratamento das lesões secundárias. Como a recidiva ocorre com frequência, o tratamento deve manter-se até que hajam 2 tricograma negativos consecutivos intercalados de pelo menos 1 mês. O tratamento recentemente aprovado como mais eficaz é à base de fluralaner (em forma de comprimido administrado de 3 em 3 meses – Bravecto®). O tratamento promove igualmente proteção contra as pulgas e carraças. Banhos com substâncias acaricidas e a aplicação de injeções com avermectinas são tratamentos clássicos, contudo cada vez menos utilizados por serem mais trabalhosos. As pipetas à base de moxidectina (Advocat®) têm uma eficácia relativa. Contudo, quando utilizadas, devem ser aplicadas semanalmente. As fêmeas não castradas devem ser castradas, uma vez que a sintomatologia se acentua durante o estro.

 

Qual o prognóstico?

A sarna demodécica localizada normalmente, melhora em algumas semanas. A sarna demodécica juvenil generalizada pode recidivar mesmo após tratamento e melhoria clínica. A sarna demodécica generalizada no cão adulto requer tratamento acaricida e tratamento concorrente da causa predisponente, causadora de imunossupressão.

A sarna demodécica generalizada juvenil apresenta um componente hereditário, e como tal deve evitar-se que cães diagnosticados sejam utilizados para reprodução.

Daniela Leal
Médica Veterinária de Animais de Companhia

Planos Barkyn

Crie o seu plano personalizado Barkyn e descubra uma nova felicidade!

Começar