• Home
  • SobreChevron Icon
    • Testemunhos
    • Veterinário
    • Alimentação
  • Blog
  • Comunidade
  • Simular
BlogSaúde

Refluxo em cães: causas, sintomas e tratamento

Saúde

O refluxo gástrico em cães é um sinal clinico comum mas que poder ser silencioso. Pode aparecer em qualquer idade e raça e passar despercebido, mas em casos severos pode causar dor, perda de apetite e até pneumonia. Venha descobrir as suas principais causas e tratamento neste artigo!

Tal como nas pessoas, também os nossos patudos podem sofrer de refluxo, que pode provocar inflamação/irritação esofágica e em casos mais severos pneumonia por aspiração.

O refluxo gastroesofágico consiste no retorno do conteúdo do estômago para o esófago. Isso acontece quando o ácido no estômago é excessivo ou quando o esfíncter esofágico inferior (músculo que fecha a passagem para o estômago) não fecha devidamente. Como consequência do refluxo pode ocorrer aquilo que se designa por regurgitação, que é diferente de vómito.

Uma das formas de diferenciar a regurgitação de vómito, é perceber se o seu patudo está enjoado, com náusea. Se isso ocorrer, estamos perante um vómito e não uma regurgitação.

Quais as causas de refluxo gástrico?

O refluxo gastroesofágico ocorre principalmente por dilatação esofágica, esofagite e, mais frequentemente, pela ingestão de alimentos em maior quantidade que a capacidade de entrada estomacal.  Por essa razão, raças de menor porte são mais predispostas ao problema. Ao ingerir grandes volumes de alimento, ultrapassando essa capacidade, o seu patudo poderá necessitar de regurgitar.

Já os problemas no esôfago propriamente dito, como a dilatação e as inflamações, podem ter origem em fatores que vão desde alterações congênitas até lesões causadas por corpos estranhos, passando por neoplasias e hérnias de hiato.

Quais são os sintomas do refluxo em cães?

Por si só, o refluxo em cães pode não se manifestar. Muitas vezes os nossos patudos apenas regurgitam, expulsando a comida sem grande esforço abdominal.

No entanto, dependendo da causa primária, os sinais clínicos também podem ser bastante inespecíficos, como, por exemplo, a falta de apetite, prostração, febre.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico do refluxo gastroesofágico passa pela identificação da causa do problema. Uma anamnese completa e um exame clínico adequado podem levantar algumas suspeitas mas a confirmação passa por alguns exames complementares, tal como radiografias contrastadas ou endoscopia.

O tratamento está diretamente relacionado com a causa primária do refluxo. Isso porque, boa parte das vezes, proporcionar uma alimentação balanceada, em quantidade adequada ao porte do aniaml é suficiente para reduzir significativamente a frequência do problema.

Pode ser necessário tratamento médico e farmacológico mas em casos de situações congénitas uma das soluções pode ser a adaptação da posição de alimentação do patudo.  Pode ser experimentado colocar o animal em posição bipedal por 30 minutos após a refeição de forma a prevenir o refluxo e a consequente regurgitação.

Se reconhecer ou suspeitar que o seu patudo sofre de refluxo e regurgitação, não hesite em levá-lo ao seu médico veterinário habitual 🙂

Helena Ferreira

Médica veterinária de Animais de Companhia

PARTILHE SE GOSTOU!

Facebook IconTwitter Icon

Aprenda mais sobre o seu cão

A Barkyn entrega ração adaptada e acompanhamento constante de um veterinário dedicado. Simule para si!

plans

Formuladas por veterinários, as rações Barkyn são feitas com carne ou peixe fresco e têm condroprotetores para tornar o seu cão mais forte. Aprovado por mais de 50 000 cães.

Barkyn

Sobre

  • Home
  • Testemunhos
  • Veterinário
  • Alimentação
  • Blog
  • Comunidade
  • Simular

Siga-nos