Protocolo Vacinal em Cães Adultos

Saúde

As vacinas permitem que os nossos cães vivam vidas mais longas e saudáveis, ficando protegidos contra várias doenças. A maior parte das vacinas são administradas de forma subcutânea, são indolores e estão associadas a raros efeitos secundários.

Vacina da Raiva

A vacina da raiva é a única vacina obrigatória em cães em Portugal. O nosso país é dos poucos países da Europa onde já não existe raiva, devido à forte campanha de vacinação existente. A raiva é uma zoonose, ou seja, é uma doença que pode ser transmitida dos animais para os seres humanos.

Após a primovacinação, o reforço deve ser feito um ano depois. A partir daí, a maior parte das marcas recomendam que os reforços seguintes sejam trienais.

Vacina Polivalente

Esta vacina, apesar de não ser obrigatória por lei, é aquela que assume maior importância na saúde dos nossos cães, porque confere imunidade contra vários agentes infeciosos (parvovirus canino -2, vírus da esgana, adenovirus, vírus da parainfluenza canina e leptospira inativada), alguns deles tendo carater potencialmente fatal (parvovirose, hepatite infeciosa, leptospirose, esgana) e zoonótico (leptospirose).

Depois, da primovacinação, o reforço seguinte é entre os 6 e os 12 meses, sendo que, a partir daí os reforços devem ser anuais ou trienais, sendo o médico veterinário responsável por decidir a frequência dos reforços, de acordo com estilo de vida do animal (cão indoor vs cão outdoor) e da marca da vacina.

Vacina da Tosse do Canil

A tosse do canil é uma doença auto-limitante, isto é, geralmente, não evoluí para algo mais grave. A maior parte dos animais apresentam tosse intensa, como se estivessem engasgados. É muito contagioso entre cães, por isso, a vacina é recomendada a patudos que passeiam no exterior, que têm contacto com outros cães e / ou frequentem escolas de treino, creches ou hotéis.

Esta vacina existe na forma subcutânea ou intranasal, e os reforços são anuais.

Vacina da Leishmaniose

A leishmaniose é uma doença que não tem cura e também é uma zoonose. Está recomendada a vacinação nos locais endémicos, isto é, zonas onde a doença é muito frequente (área metropolitana de Lisboa e Setúbal, Trás-os-Montes e Alto Douro, Beira Interior, grande parte do Alto e Baixo Alentejo e o Algarve) e em animais que viajam muito.

Existem atualmente duas vacinas disponíveis no mercado e em animais adultos o reforço deve ser anual.

Por tudo isto, não deixe de vacinar o seu cachorro, e em caso de dúvidas, aconselhe-se com o seu médico veterinário.

Sara Alves

Médica Veterinária de Animais de Companhia

Planos Barkyn

Crie o seu plano personalizado Barkyn e descubra uma nova felicidade!

Começar