• Veterinário
  • Alimentação
  • Sobre nós
  • Loja
BlogSaúde

Piómetra em cadelas: Causas, sintomas e tratamento

A piómetra é uma infeção uterina comum em fêmeas adultas não esterilizadas. Para saber mais sobre sintomas, causas e tratamento continue a ler este artigo.

Ana Pinto

Ana Pinto

3 min de leitura
Sabia que o seu cão pode ter uma ração à medida dele?

O melhor para o seu cão

Sabia que o seu cão pode ter uma ração à medida dele?

-25%

na 1ª encomenda
SABER MAIS
SABER MAIS

A piómetra é uma infeção uterina comum em fêmeas adultas inteiras (não esterilizadas).  Acomete geralmente cadelas com mais de 6 anos e é uma patologia grave que pode conduzir à morte.

Quais são as causas de uma piómetra?

A piómetra ocorre após existirem alterações hormonais no ciclo reprodutivo de uma cadela, sendo mais comum entre 2 a 8 semanas após o fim do cio.

Há 3 fatores decisivos para que se desenvolva uma piómetra:

  • Após o estro (uma das fases do cio de uma cadela), a progesterona permanece elevada levando a um engrossamento da parede uterina. Ao fim de vários anos, com cios consecutivos sem gravidez associada, o útero continua a engrossar criando um ambiente perfeito para o crescimento bacteriano.
  • Os músculos uterinos deixam também de conseguir contrair devidamente, levando por sua vez, a que não se consiga eliminar corretamente os fluídos que vão sendo acumulados.
  • Durante o cio, as células de defesa normais que combatem infeções, não entram no útero para permitir que, caso haja cópula, o esperma do cão possa entrar no trato reprodutivo da cadela sem ser destruído. Desta forma, em casos de piómetra, as bactérias estão a crescer, sem serem destruídas pelas células de defesa (sistema imunitário) da cadela. As bactérias entram para o útero através do cérvix, que se encontra relaxado durante o estro, permitindo a passagem de bactérias existentes na vagina. Em situações normais, o útero preveniria que a infeção se prolongasse, contudo, com os 3 fatores descritos anteriormente, ficam reunidas todas as condições que facilitam o crescimento bacteriano.

ATENÇÃO: Os medicamentos à base de hormonas sexuais, como o caso das pílulas, vão mimetizar estes acontecimentos, favorecendo o aparecimento de piómetras não associadas à idade. Assim, as fêmeas que estejam a fazer tratamentos reprodutivos devem ser cautelosamente vigiadas.

Como podemos classificar as piómetras?

As piómetras podem ser classificadas em dois tipos:

  • Abertas – O cérvix permanece aberto, pelo que as secreções uterinas podem drenar. Representam aproximadamente 85% dos casos. Há presença de corrimento vaginal purulento (amarelo-esverdeado), com mau odor.
  • Fechadas – O cérvix fica obstruído devido à presença de nódulos na parede uterina, pelo que as secreções não podem drenar e acabam por se acumular. Nestes casos, não se visualizam corrimentos vaginais anormais. É a situação mais grave, quer pela identificação mais tardia da doença, por parte dos tutores, quer pelo risco de rutura uterina que põe em risco a vida do animal.

Quais os sinais a que devem estar atentos?

A sintomatologia varia de acordo com o tipo de piómetra, já que podemos ter ou não corrimento vaginal, bem como um abdómen inchado (distensão abdominal).

No entanto, alguns sintomas são comuns aos dois tipos de piómetras e a maior parte das cadelas apresenta:

  • Diminuição ou perda de apetite
  • Febre
  • Aumento da ingestão de água (polidipsia) e, consequentemente, maior produção de urina (poliúria)
  • Perda de peso
  • Vómitos
  • Prostração
  • Desidratação

Como é realizado o diagnóstico?

O diagnóstico é realizado pelo Médico Veterinário tendo como base os sinais clínicos e exames complementares: análises sanguíneas, raio-x e/ou ecografia abdominal para visualizar o aumento das dimensões uterinas.

Em caso de suspeita o que devo fazer? É uma situação urgente?

Sim, deve-se dirigir com o máximo de brevidade possível a um Médico Veterinário. As cadelas que não são tratadas morrem com uma infeção generalizada (sepsis).

Qual é o tratamento adequado?

O tratamento de eleição é a remoção cirúrgica do útero e dos ovários –
ovariohisterectomia. Em primeiro lugar a cadela deve ser internada e estabilizada antes do procedimento cirúrgico, através de monitorização atenta, fluidoterapia e antibioterapia.

Por isso lembre-se sempre, caso não tencione que a sua cadela seja reprodutora, a esterilização é o melhor método preventivo para que esta situação não ocorra!

Ana Pinto

Médica Veterinária de Animais de Companhia

O melhor para o seu cão

Alimentação saudável entregue à sua porta

A Barkyn entrega ração adaptada às necessidades do seu cão acompanhamento de um veterinário dedicado. Simule agora!

Começar agora
25%
desconto na 1ª encomenda
Alimentação saudável entregue à sua porta

© Barkyn, Lda. NIF: 514259426 - Love for your dog 2021

VisaCard Icon
MasterCard Icon
PaypalFooter Icon
  • Ajuda
  • Emprego
  • Privacidade
  • Loja