Picada da carraça: como identificar e tratar

Saúde

As carraças são parasitas que se alimentam do sangue dos cães e são portadoras de doenças que podem ter consequências de saúde graves, não só para cão, como para o Homem.

O que é Febre da Carraça?

A febre da carraça é o nome mais comum do conjunto das possíveis doenças que este parasita externo pode transmitir, sendo elas: a babesiose ou piroplasmose, a erliquiose, a borreliose ou doença de lyme, a hepatozoon.

Todas estas doenças têm em comum o modo de transmissão e os sintomas tanto nos cães como nas pessoas, pois são doenças zoonóticas.

A transmissão desta doença é feita pela picada da carraça quando se fixa á pele do seu cão, com bastante firmeza, para se alimentar e reproduzir. As carraças, apesar de não voarem, encontram-se na vegetação, nas árvores e nos arbustos.

Os sintomas são muito gerais, tornando o diagnóstico, por vezes, difícil, podendo ser: febre, prostração, apatia, falta de apetite, emagrecimento, palidez das mucosas, inflamação articular, dificuldades respiratórias, entre outros.

O diagnóstico é feito sempre pelo médico veterinário através da história clínica, analises clínicas e teste rápidos de diagnóstico. O tratamento é realizado com antibióticos e anti-inflamatórios durante algumas semanas.

Como Identificar a Picada da Carraça?

Na maioria dos casos, a carraça fixa-se na pele do cão, tornando-se visível quando realizamos uma inspeção ao pelo do nosso patudo. Outro dos sinais que o nosso cão nos dá é que pode começar a ter comichão na zona onde a carraça está instalada. Mas com esta agitação, também pode acontecer que a carraça não se consiga fixar e como a picada é indolor apenas conseguimos suspeitar de uma possível picada pois a zona da picada pode ficar inflamada e infetada, por reações alérgicas ou porque o nosso cão desenvolveu alguma doença da febre da carraça.

Encontrei uma carraça, como a posso remover?

  1. Remova a carraça com uma pinça, agarrando-a pela cabeça, que se encontra o mais junto a pele possível.
  2. Rode a carraça e puxe lentamente;
  3. Confira se removeu a totalidade da carraça e desinfete o local com betadine ou outra substância desinfetante.
  4. Durante os dias seguintes a remoção da carraça realize uma limpeza na zona da picada até esta cicatrizar.

Nota: Para sua proteção lave sempre as mãos após a remoção da carraça e se a deitar para o lixo retire-o de casa o mais rápido possível, pois o parasita pode não estar morto e voltar a procurar um potencial hospedeiro.

Prevenção:

Não há nada como prevenir estas situações, por isso é recomendado:

Maria Beatriz Mariano

Médica Veterinária

 

Planos Barkyn

Crie o seu plano personalizado Barkyn e descubra uma nova felicidade!

Começar