Como lidar com a perda do meu cão

Lifestyle

Quem já perdeu um animal de estimação conhece muito bem os efeitos desse evento. Assim como perder alguém que amamos muito, o luto pela morte de um animal é muito pessoal e cada pessoa reage de uma forma.

Não é fácil lidar com a perda do nosso animal de estimação. Quando o nosso cão está doente ou velhinho, a sensação de conviver com a possibilidade de morte pode nos trazer ansiedade. Ao incluir o nosso amigo de quatro patas na família, fazemos de tudo para que ele esteja sempre feliz e saudável. Por melhor que cuidemos deles, pode surgir alguma doença ou até mesmo algum acidente que podem tirar a vida do nosso amigo. Mas, se souber entender como é esse processo, vai compreender como lidar com o turbilhão de sentimentos que surgem com a morte.

Como conviver com o luto?

Alguns pensamentos podem ajudar-nos a passar pelo luto de uma forma menos dolorosa:

 

  • Deve tirar o tempo que for necessário para expressar sua tristeza e lidar com a perda. Se tiver vontade de chorar, chore, não reprima o sentimento. Não se culpar pelo que aconteceu é um grande passo e talvez um dos mais complicados de entender, mas se o seu cão morreu isso não é da sua responsabilidade, tente tranquilizar-se e imaginar que fez o que pôde para ajudá-lo. Todos nós sentimos uma dificuldade muito grande em aceitar a morte no começo, mas mesmo assim é preciso ser paciente. É importante encontrar uma via para expressar esse sentimento, seja falando, escrevendo ou procurando uma terapia.

 

  • Encontre actividades para ocupar o tempo na rotina que anteriormente era dedicado ao seu animal.

 

  • Numa primeira instância, adoptar outro cão não é uma boa ideia. É preciso entender que um animal nunca substituirá o outro, eles são diferentes, com personalidade diferente, e a falta do animal que faleceu continuará a ser sentida. Se ainda não estiver preparado para que uma nova vida faça parte de seu lar, é capaz de se sentir ainda mais triste e consequentemente, não saber como interagir ou criar laços com o animal recém-chegado. Deve esperar que o tempo acalme o seu coração, para pensar melhor sobre a questão de ter outro cão e fazer a escolha de coração aberto.

 

  • Após esse período de reflexão, se sentir preparado, adopte um novo animal de estimação, que, além de ser foco de toda o carinho que era destinado àquele que já não está, será capaz de dinamizar a sua rotina com novas necessidades e ritmos.

Os animais são seres vivos que nos ensinam muitas coisas boas e eles sempre terão um espaço reservado dentro do nosso coração. Os anos podem passar, que continuaremos a recordar-nos das boas lembranças e momentos que nos proporcionaram, e isso ajuda-nos a ter uma vida mais feliz e completa. Abençoados sejam todos os animais, que contribuem tanto para que nossa existência faça sentido no mundo.

Sara Santos

Médica Veterinária de animais de companhia

Planos Barkyn

Crie o seu plano personalizado Barkyn e descubra uma nova felicidade!

Começar