Os cães sentem culpa?

Lifestyle

Ao afirmarmos que os cães sentem culpa, poderemos estar a incorrer numa antropomorfização dos mesmos, mas a verdade é que já todos os tutores observaram, nos seus animais, manifestações comportamentais muito próximas desta culpabilização ou arrependimento em resposta a algo que terão feito e reconhecido como errado.

Qual é a manifestação de “culpa” num cão?

Um cão quando compreende que fez algo de errado, pode exibir diferentes respostas. O habitual é ficar com a cabeça baixa, afastar-se do local onde fez a asneira e procurar a atenção do tutor, encostando-se ao mesmo e procurando o seu toque, ainda que evitando o contacto visual direto, ao desviar o olhar. Este comportamento mais típico é aquele que os tutores geralmente associam ao seu cão estar a “desculpar-se”.

Contudo, outros cães tendem a isolar-se por completo de forma a não confrontar os tutores.

Ainda existe um grupo de cães que não sentem a verdadeiramente “culpa” pelos seus atos reprováveis e que depois de fazerem a asneira, tendem a captar a atenção do tutor, conduzindo-o ao local do “delito”.

Como lidar com a “culpa” manifestada pelo cão?

A “culpa” que o cão possa sentir depois de fazer a asneira pode e deve ser aproveitada pelo tutor. Veja o que deve ou não deve fazer ao “culpado” lá de casa:

  • Evitar punir – um dos erros mais comuns é o tutor castigar quando detecta que o seu cão teve um comportamento impróprio. Essa abordagem fará com que ele fique mais ansioso, não interpretando a mensagem corretamente. Não se esqueça que a melhor forma de educar é através do reforço positivo, nunca o negativo!
  • Ignorar – a melhor forma de demonstrar o nosso descontentamento perante uma asneira, é ignorar o cão nos minutos que se seguem, ao invés de lhe “ralhar” ou castigar. Ele tenderá a procurar a atenção do tutor e perceberá que o seu comportamento foi errado quando este deixar de interagir consigo.
  • Valorizar quando este se redime – se de facto o cão se sentir “arrependido” da asneira (ex: urinou fora do sítio ou destruiu determinado brinquedo) e se a recomendação acima for seguida e realizada com sucesso, este tenderá numa próxima oportunidade a modificar a sua atitude, exibindo, desejavelmente, o comportamento pretendido (ex: urinar no local correto ou brincar sem destruir). Se assim for, recompense-o com um biscoito, um elogio ou atenção extra (técnica do reforço positivo).

E se o meu cão fizer asneiras, sem sentir “culpa”?

Se seguir as dicas acima e o seu cão mantiver os mesmos comportamentos, não os reconhecendo como errados, o trabalho terá que ser no sentido de o reeducar e em conseguir demonstrar o seu desagrado pelas manifestações reprováveis que ele exibiu, evitando o castigo.

Em cães que continuam a fazer a asneira, ainda que o tutor o chame para junto de si ou tente desviar a sua atenção, a técnica do “time-out” pode ser uma boa opção. Este método consiste em colocar o cão numa divisão à parte e logo que ele esteja mais calmo, voltar a permitir que ele regresse. Esta técnica resulta muito bem em cachorros.

 

Não se esqueça: não precisa de culpar o seu cão para ele se sentir “culpado” e se ele assim se sentir, já sabe como tirar partido!

Tomás Magalhães

Médico Veterinário

Planos Barkyn

Crie o seu plano personalizado Barkyn e descubra uma nova felicidade!

Começar